NASCEU CAMPEÃO

Tu és a glória dos teus fundadores

22 de jun de 2010

GRUPOS G e H - DEFINIÇÕES

O nosso grupo, o G, parece bastante definido, exatamente ao contrário do grupo derradeiro, bem em aberto.

GRUPO G:
O Brasil, depois de um início tíbio contra os comunistas - (graças a deus) da Coréia do Norte, um bando de pobres-diabos, que sequer podem dar entrevistas - parece o time brasileiro e seu ignorante técnico (sobre o berra, burro e cagão destinados ao Alex Escobar, da Globo, escreverei logo) - deslanchou contra a Costa do Marfim, fazendo uma partida muito boa, a despeito de o segundo gol de nossa seleção ter sido uma jogada típica de vôlei, usando ambas as mãos. Irregular, mas um golaço. Temos 6 pontos. Mais uma pequena falha da zaga, compreensível, quando os jogo já estava decidido, tal qual ocorrido contra os coreanos.
Portugal foi a quatro pontos, com saldo 7, dada a goleada incrível sobre os mesmos norte-coreanos. Costa do Marfim tem um só ponto e saldo -2. Assim, somente com alguma coisa próxima um repeteco da goleada pelos marfinenses, somados a uma vitória ampla brasileira, pelo menos três gols, sobre Portugal, haveria alguma surpresa neste grupo. Brasil e Portugal já estão classificados. As chances de Cote d´Ivoire são matemáticas, apenas isso.
GRUPO H:
Aqui, nem com reza braba. O Chile, com duas vitórias e seis pontos, é, em tese, o mais forte candidato à classificação, basta-lhe o empate. O problema é que enfrenta a Espanha, tida e havida, antes da Copa, como a principal seleção do mundo - com méritos, dada a conquista da Eurocopa há dois anos. Já discorro mais sobre os problemas de nossos hermanos chilenos.
Do outro lado, cruzam-se fabricantes de relógios cucos há 500 anos (apud Orson Welles) versus caribenhos, estando Honduras já eliminada (mais uma vez, chances matemáticas há, suas duas derrotas foram razoáveis - 1X0 e 2X0, sem passar vergonha).
A Suíça, embora tenha dificuldades patentes no ataque, deve vencer uma das seleções mais frágeis desta Copa.
Assim, indo a Suíça a seis pontos, tudo se decidiria naquele jogo problemático que há pouco mencionei, e aí, uma vitória simples da Espanha tira os chilenos, o time mais constante dessa chave. Um empate, de outro lado, muito provavelmente tira a Espanha da Copa (Chile - 3 pts, saldo 2, Espanha - 3 pts, saldo 1, Suíça - 3 pts, saldo 0), salvo empate da Suíça, classificando então os hispanos.
É até complicado escrever sobre esse grupo, tamanho o imbróglio. Palpitão: Espanha em 1°, Suíça em 2° - e nossa adversária. Mero chute, não há como saber o que ocorrerá aqui. De todos, acho que a Suíça pode ser o adversário mais morrinha para o Brasil (uma seleção mais fechada que o sigilo bancário de seus bancos). É isso. Logo escrevo sobre os classificados dos grupos A e B (Uruguai e México; Argentina e Coreia do Sul).

Nenhum comentário:

Postar um comentário