NASCEU CAMPEÃO

Tu és a glória dos teus fundadores

31 de ago de 2012

JOINVILLE, 30 GRAUS: JEC x ABC

Temos de achar os caminhos para superar o ABC!
Amanhã teremos um dia perfeito para o futebol, temperatura batendo nos trinta graus na hora do jogo, é momento para todos estarmos na Arena, com pelo menos quinze mil torcedores - e não há desculpa para não ir - para dar aquele empurrão ao time para bater nos 40 pontos na tabela, e, com um pouquinho de sorte,  nos afastarmos de nossos perseguidores (Atlético-PR, Goiás e Avaí jogam fora, sendo que este último enfrenta o São Caetano, ou seja, os quatro primeiros times que estão em nosso encalço tem confrontos difíceis, e o quinto, o América-RN, embora em casa, enfrenta o líder Vitória e vencer o time baiano não anda nada fácil). 
Se todos os resultados ajudarem, poderíamos ficar quatro pontos à frente do quarto e cinco à frente do quinto colocado, o que seria ótimo.
Leandro Carvalho, infelizmente, não conseguiu se recuperar da lesão no tornozelo, mas me parece que Carlos Alberto poderá substituí-lo à altura, pois vem jogando muito bem. Na lateral-esquerda ou joga Willian, ou, se este fizer a meiúca no lugar do Real, deve ser Gilton o titular na sinistra (sinistro, hein!). Acredito que o time seja Ivan, Eduardo (que retorna de suspensão), Pedro Paulo, Maurício e Gilton; Carlos Alberto, Ricardinho, Willian e Marcinho; Lima. Se Willian for pra lateral, Adailton está cotado para ser titular. Mas há o risco de Willian ficar fora do jogo, por contusão; daí eu já não sei mais nada.
O ABC, segundo rumores, vem com o técnico Ademir Fonseca já demitido, qualquer que seja o placar. Bastará voltar a Natal para receber o famoso bilhete azul. 
Esse foi o time deles no empate, em casa, contra o Ipatinga: Andrey, Pedro Silva (Ivan), Flávio Boaventura, Vinicius (Leandrão) e Airton, Guto, Bileu, Jérson e Raul (Diego Clementino), Éderson e Adriano. T: Ademir Fonseca
Nem seria preciso pedir, pois esse grupo do JEC está muito a fim de jogo. Mas, de qualquer forma, seriedade, comprometimento, entrega durante toda a partida serão absolutamente necessários, pois não podemos abrir mão desses três pontos em disputa no sábado. Cada partida, principalmente em casa, será uma decisão. Cada vitória em nossos domínios representa um passo gigantesco para nosso objetivo - o acesso. Já tô esperando o jogo, ansioso.


Esse logo que o Thales adaptou logo
 poderá ser utilizado pelo Clube.
Os sócios: segundo a contagem diária de AN, estamos com 9383 sócios, o que significa que somente nesta última semana, o clube obteve mais de 300 novos associados. Essa contagenzinha do "coelho de A Notícia" é uma baita idéia. Todo dia, o cara lê o jornal e lembra que pode ser sócio, e que é barato, e que vale a pena. Amanhã, antes do jogo, facilmente aparecerão pelo menos 100 novos "mensalistas". É isso que sempre preguei para o site do JEC, esse incentivo à associação, mas nosso marketing andava meio manco - o que esperamos seja agora reparada pela nova profissional contratada. Nesse ritmo, e a persistir a ótima campanha que vimos fazendo dentro da cancha, chegaremos aos dez mil no próximo mês. E tem caixa pra mais.

200.000 mil acessos: o blog passou de 200 mil acessos - do que não falara porque tem muita coisa boa acontecendo com nosso time - fato que foi notado pelo Bocão e corneteado pelo Lenzi, dizendo que estou pagando para "uns guri" ficar acessando. É verdade mesmo, o que importa são os números. Então, agradeço primeiramente ao meu "empregado de menor" que fica o dia inteiro teclando, e depois, a todos vocês que cotidianamente vêm ler o blog, palpitar, opinar, e fizeram esse blog um negócio legal, e que possibilitou que muitos de nós nos tornássemos amigos também fora do ambiente virtual. Abraços e agradecimentos a todos que lêem o blog. AVANTE, JEC!

29 de ago de 2012

ATLÉTICO 1x1 JEC - UM PONTO A MAIS, APESAR DO APITO

Trio escalado para Atlético x JEC
Mais uma vez fomos claramente prejudicados pela arbitragem (e hoje não só pelo árbitro principal), mas nem estou tão chateado assim. Pênalti contra, expulsão, pênalti a favor revisto e cancelado, etc.
Mas, nesse jogo, sendo realista, quando qualquer um de nós fez os prognósticos para o acesso, pensou: - é um dos jogos em que se poderia, tranquilamente, computar uma derrota como um resultado normal e ninguém iria arrancar os cabelos. O empate - mais uma vez com um homem a menos - portanto, significa não um pontinho, mas um pontaço conquistado, ainda mais se considerarmos as derrotas de São Caetano, Criciúma e América-MG. 
E o JEC mais uma vez - como já fizera contra o Vitória - prova que será, mesmo fora de casa, um adversário a ser sempre temido - ou, no mínimo, respeitado.
Agora, na seriedade e comprometimento total, na linha de um jogo por vez, é vencer o ABC (que já vencemos lá em Natal, mas o juiz invalidou o gol do Pedro Paulo nos roubando outros dois pontinhos), e também ficar de olho nos demais resultados, principalmente nas pelejas entre São Caetano e Avaí (um empatezinho seria ótimo), bem como entre Paraná e Goiás. E, quem sabe o Criciúma - até agora 100% no Heriberto Hulse - não comece a perder uns pontinho em casa, hein?

Para o sábado, Eduardo volta ao time, Willian será o lateral-esquerdo novamente (mas pode também jogar na meiúca), pode ser que Leandro Carvalho volte; será a primeira partida sem Tiago Real. Mas, na soma das coisas, voltaremos a ter o time mais completo do que nas últimas rodadas, o que sempre é bom.
Tô achando que esse promete.

Willian, acredito eu, logo logo, nos fará esquecer do Tiago Real. É seu terceiro gol no JEC, o terceiro em chutes de fora da área (tá bom, contra o Goiás ele tava um passo dentro da grande área). Passamos a ter uma arma que até então não existia nesse time - o chute de média distância. Pode fazer uma grande diferença a nosso favor. Tiago Real em todo o turno fez 4 gols, Willian já tem 3, mesmo reserva ou jogando fora de posição. Como diria o Edson Paraná: "tá me cheirando bem" a sua entrada no time.


É hora de, mesmo com a grana curta - bem sei que o faz-me-rir só sai no dia 5 - ir à Arena. Estamos no 15º posto entre as torcidas mais presentes no Estádio, em todas as divisões do futebol brasileiro. Só para terem uma ideia da grandeza dessa conquista, os quatro grandes do Rio de Janeiro estão abaixo de nós (é verdade que sem o Maracanã, mas, ainda assim...). Temos de colocar 15 mil, de novo, no Estádio Municipal. Esse time merece isso, e até mais.
No primeiro turno, estreamos com derrota em casa; agora, empate fora. Bem melhor. Só falta transformar o empate fora contra o ABC em vitória na Arena. AVANTE, JEC.

26 de ago de 2012

JEC1X0 GOIÁS: GRANDE VITÓRIA PELO PLACAR MÍNIMO.

O JOGO DO SÁBADO:
Nos primeiros quinze ou vinte minutos não nos encontramos em campo, todas as segundas bolas eram do Goiás, errávamos passes bisonhamente. O time parece que sentia a pressão de jogar com um clube que, tradicionalmente, está sempre disputando a Série A. 
Mas, a partir do momento em que, aos 17', Eduardo fez linda jogada pelo lado do campo, para Lima chutar de direita e Harlei operar um milagre digno de Ivan, e no rebote, o mesmo Lima, agora de esquerda, jogar a bola no travessão, nosso time se tranquilizou e passou a dominar a partida.
Aos 26', um golaço, visto agora em reprise, ainda mais bonito. Ricardinho ganhou a jogada pela direita e rolou para o Willian, que vinha chegando na grande área. Ele dominou, deu um corte para a esquerda que enganou, tranquilamente, quatro jogadores esmeraldinos (ui!), e bateu cruzado, agora sem chance pro bom goleiro, que é baixinho, velho, mas ainda pega muito. Nas minhas contas, Harlei fez pelo menos três defesas difíceis, além da impossível acima apontada. 
Ivan teve de fazer uma defesa média e uma difícil (pero no mucho, mas importantíssima porque no último minuto de jogo). Tivemos mais chances, corremos alguns riscos apenas porque o árbitro apitava muitas faltinhas na meia cancha, permitindo várias bolas alçadas em nossa área; contudo, nossa defesa se portou muito bem nesse quesito no jogo de ontem. E também estivemos muito bem nas bolas pelo chão, com Maurício Jussani muito bem, este com uma velocidade de recuperação impressionante a cada jogada.
No resumo da ópera, nosso time foi melhor, o Goiás teve pouca produção ofensiva, pouco nos assustou. Não é demais lembrar que o Goiás é um dos únicos dois times (ao lado do São Paulo) que venceu o Atlético-MG (o melhor time do Brasileirão) neste 2012. Vencemos um adversário muito qualificado. Grande vitória que nos faz virar o turno na terceira colocação. 
Um adjutório para o Goiás.

No fim de jogo, além das desculpas habituais dos perdedores, uma pouco ortodoxa: caganeira. Não duvido da justificativa, mas sim da origem da "ligeirinha": aposto que não foi a comida do hotel, mas o medo de enfrentar o tricolor, medo que Amaral disse não ter, mas que o time demonstrou. 


O FUTURO:
Fechamos o primeiro turno com 36 pontos, acima do que esperávamos todos. Dobrar a pontuação nos levaria a 72 pontos, que significariam acesso certo, e em 2006, 2007 e 2010, por exemplo, suficiente para ser campeão (o Galo venceu com 71, e o Coxa, um ano com 69 e outro também com 71). 
Não espero tanto, não espero o título até pela grande diferença que o Vitória e Criciúma já abriram no certame, mas a esperança de subir existe, sim, e forte. Terça-feira já tem mais. 
Infelizmente Eduardo estará suspenso, e Leandro Carvalho torceu o tornozelo (é o terceiro jogador com problemas de entorse de tornozelo, uma infeliz coincidência). Tarcísio continua no DMCarlos Alberto jogará, não sei se de lateral ou de volante, mas estará bem em qualquer uma das duas. Enfim, teremos duas improvisações, que esperamos LC saiba equacionar. Um empatezinho contra o Atlético será um ótimo resultado. 
Pensando na viagem?
Há ainda a inesperada venda de Tiago Real do Coritiba ao Palmeiras - ao menos anunciada nas redes sociais neste domingo. Parece que Real ainda joga na terça-feira, mas será uma perda sentida para o segundo turno - eis que virou um jogador muito efetivo neste brasileirão. Acredito que Willian poderá substitui-lo a contento, e talvez superá-lo, pois é um jogador que faz mais gols que nosso quase-ex motorzinho. Mas uma contratação se fará necessária para encorpar o elenco. Ramon, que era carta meio fora do baralho deve ser posto de sobreaviso, ao menos para compor o banco de suplentes.
Comemoração pelo que já fizemos, preocupação com o porvir. Mas, confiantes, sempre. AVANTE, JEC!


Ficha técnica: JEC 1 x 0 Goiás, Arena, 25.08.2012 – público 14241
JEC: Ivan; Eduardo, Mauricio, Jussani e Willian (Gilton); Leandro Carvalho (Carlos Alberto), Glaydson, Ricardinho e Tiago Real (Linno); Marcinho e Lima. T. Leandro Campos.
Goiás: Harlei; Vítor, Ernando, Lacerda e Egídio; Amaral, Thiago Mendes, Ramon (Renan Oliveira), Caio (Felipe Amorim) e Ricardo Goulart; Iarley (Walter). T: Enderson Moreira
Gol: Willian, aos 28’ do 1º T.

24 de ago de 2012

AMANHÃ, O JOGO-BÔNUS CONTRA O GOIÁS

A verdade é que pelo histórico, em todos os anos em que a Série B teve 20 clubes e com pontos corridos, quem fez 66 pontos subiu pra Série A, o que nos leva à conclusão de que o JEC já fez o suficiente, neste turno para, dobrando seus pontos, ano que vem estar na elite do futebol. 
Então, eis a importância deste jogo contra o Goiás. A vitória nos levará a 36 pontos, nos colocando três pontos acima do necessário, com uma gordurinha a queimar. É uma vitória bônus.
Vencer nos colocará, por exemplo, 6 pontos adiante de Avaí e América-MG. 

Teremos em casa, no returno, ABC, Avaí, Paraná, BOA, São Caetano, CRB, América-MG, Guaratinguetá e Vitória. Todos jogos "ganháveis", e confrontos que podem, lá na frente, significar a vaga contra adversários próximos como Avaí, Paraná, São Caetano, América e Vitória.
Fora, enfrentaremos Atlético-PR, Guarani, ASA, Ceará, Barueri, Ipatinga, América-RN, Criciúma, Bragantino e Goiás. Daqui, pelo menos em 6 jogos considero nosso time com boas chances de buscar pontos. Roubar pontos de Atlético, América, Criciúma e Goiás (este considero pouco provável que consigamos, pois na última rodada) pode encurtar o caminho para a Série A, seria um "plus a mais".
Gols são o nosso trunfo!
Então é isso. Hoje foi só uma rapidinha. Vencer o Goiás e chegar a 36 pontos pode ser um "super trunfo" para iniciar o returno com menos pressão para enfrentar o Atlético, e um grande passo para, lá adiante, buscarmos o acesso. 
Essa análise, rodada a rodada, de forma mais aprofundada, será feita mais adiante.

Amanhã, como bem lembrou o Sandro, o jogo é às 16h00, e não às 16h20. Não se engane, chegue no horário, e vamos lá, com mais de 15 mil na arquibancada, buscar esses três pontinhos extras. AVANTE, JEC!

23 de ago de 2012

CEM ANOS NESTE DIA - NELSON RODRIGUES. E, LÁ NO FIM, O JEC!

Hoje peço licença aos leitores jequeanos para deixar de falar do Tricolor e prestar uma homenagem a um homem que recebe deste ignorante uma elogiosa crônica que, contudo, nunca estará a altura do homenageado. 
Nelson Rodrigues, se vivo fosse, hoje completaria cem anos de idade. E essa efeméride merece toda a comemoração possível, pois estamos a tratar do maior - sem dúvida alguma, o maior - escritor do mundo sobre o futebol. 
E além disso (o futebol), é também sem questionamentos que se trata do maior autor teatral do Brasil (leiam Vestido de Noiva, arrebatador); e, ainda, o cronista do cotidiano mais brilhante que já li (O Reacionário, Cabra Vadia e o Óbvio Ululante têm de ser lidos). Enfim, um gênio completo e acabado da raça. 
Pensem em alguém com talento. Multipliquem por cem, ou mil, e aí terão o retrato do "anjo pornográfico" - título da sua biografia escrita por Ruy Castro - , do escritor que era achincalhado por idiotas puritanos como um "tarado" - esse era o adjetivo que lhe impingiam cotidianamente lá nos idos dos 50 e 60. 
Em qualquer momento que estiverem de bobeira, comprem um livro de Nelson - qualquer um; procurem na internet textos do homem (recomendo a engraçadíssima crônica "A Vaca Premiada", duas páginas brilhantes para conhecerem as lidas rodrigueanas - pode ser lido aqui), e verão do quê e de quem se trata. Risos incontidos, emoções variadas, pau na igreja, pau nos "progressistas", pau nos conservadores, pau nos novos-ricos, pau na classe média, pau na juventude, humor cáustico, ridicularização dos idiotas, enfim, um retrato perfeito de um mundo imperfeito.

Só para terem mais uma idéia do que falo, Nelson foi o primeiro a chamar Pelé de "rei" quando o negão tinha ainda 17 anos, antes mesmo da Copa de 58; alcunhou Amarildo - da copa de 62 - de "O Possesso" - antes de este entrar em campo após a contusão do Pelé; teve o nome de seu irmão - outro grande jornalista, autor de "O Negro no Futebol Brasileiro" - imortalizado no Maracanã, o estádio Mário [Rodrigues (eis o parentesco)] Filho. Foi autor de frases como "o brasileiro só é solidário no câncer" - de Bonitinha, mas Ordinária; "toda unanimidade é burra", "nem toda mulher gosta de apanhar, só as normais"; "o pior cego é o que só vê a bola", "um conselho para os jovens: - Envelheçam!"; "Sou um reacionário. Minha reação é contra tudo que não presta"; "Subdesenvolvimento não se improvisa; é obra de séculos" entre outras inesquecíveis. O "óbvio ululante" também é criação sua. Até "o alagoano" já o citou - embora em equívoco, como se pode ver aqui


Eu, um completo analfabeto, queira [ele] ou não - certamente que não quereria - sou um discípulo mal-ajambrado de Nelson Falcão Rodrigues. Se tento ser irônico, escrever com alguma graça, embora sem talento algum, tudo isso não passa de uma cópia de quarta divisão do que já fez Nelson Rodrigues. E, mais, todo mundo que escreve, ainda que um ridículo bilhete para a própria mãe, copia o Nelson, em um ou outro momento.
Uma vez perguntaram ao velho o que ele estava lendo. A resposta, curta, foi mais ao menos assim: - Dostoievski. E o que mais, insistiram. - Nada mais. Leio e releio, sempre, Dostoievski. Está tudo ali. 
Se me fizessem essa pergunta, eu diria: - Leio Nelson Rodrigues, e só, e sempre, só Nelson. Está tudo ali. 
É isso. Quem quiser conhecê-lo pelos textos de futebol, deve procurar o livro "À Sombra das Chuteiras Imortais". Há muito mais a conhecer, e se admirar com a prosa e o teatro espetacular do homem que hoje completaria seu centenário.
AVANTE, JEC! Parabéns ao defunto mais vivo - ele mesmo se confessava uma múmia, com os achaques característicos - Nelson Falcão Rodrigues.

O JEC 
1. Ah, ainda tem o jogo de sábado contra o Goiás, mas sobre ele escrevo amanhã. O técnico parece ter algumas dúvidas, os resultados de terça - derrotas de Avaí e América-MG - foram muito bons para nós. Só nos falta vencer.
2. Lembram de que eu falava da necessidade de haver um placar do sócios no site, para que a torcida acompanhasse o crescimento do número de associados? - Ainda não tem, mas em ANotícia há todo dia um coelhinho contando o número de sócios - até ontem, 9056. Idéias simples que esperamos, com a nova gerente de marketing, sejam postas em prática.

20 de ago de 2012

A DERROTA MAIS BONITA. VITÓRIA 2x1 JOINVILLE

Eu estava em grande dúvida sobre o quê escrever, se sobre o jogo de sexta ou sobre a feijoada com nossos craques do passado, no sábado. Escreverei sobre os dois: hoje sobre a partida contra o 
Vitória; outro dia sobre o espetacular encontro com o passado que houve na feijoada, onde vi meus ídolos de infância, pude conversar com eles, tirar fotos, e, todos, de uma simplicidade e respeito enormes, muito felizes pelo reconhecimento que a torcida jequeana lhes prestou. E como havia gente, muita gente para prestigiá-los. Foi bonita a festa, pá!

Trato do jogo de sexta, então: começamos a peleja meio assustados, e logo tomamos um gol de bola parada - depois de boa defesa de Ivan, ninguém chegou pro rebote e Willian abriu o placar. Pedro Paulo, com apenas 35 anos e muito inexperiente, parece ter dado um tapa no Batoré (a imagem não foi clara, se o tapa pegou na bola ou na cara de Willian que, a propósito, não reclamou do lance, o que me faz acreditar que houve exagero da arbitragem), sendo expulso. LC teve de rearranjar a zaga, tirou Gilton e colocou Linno, e antes mesmo de o time novamente se assentar no jogo, o Vitória fez o segundo gol, com Elton. Parecia que uma goleada se avizinhava, e que sairíamos humilhados do Barradão. 
Mas eis que se deu o exato oposto. 

Começamos a ficar com a bola no pé, e devagarinho, nos assenhorarmos do jogo. Após pênalti em Eduardo, convertido por Little Richard, fomos para o intervalo perdendo por dois a um, com alguma esperança para a etapa final. 
Na segunda etapa, o que o JEC fez foi uma das coisas mais legais que eu já vi nosso tricolor fazer. Com um a menos, tomamos conta da partida, mandamos no campinho, e pelo menos por duas vezes tivemos a chance clara do empate, que infelizmente não saiu. É claro que concedemos o contra-ataque, e corremos riscos enormes (Ivan fechou a porteira), mas jogamos de forma intrépida, corajosa. É só o que pedimos sempre - jogar pra tentar vencer, sejam quais forem as circunstâncias.

Lá no Meurer, após o jogo, não havia um só torcedor lamentando pela derrota. Pelo resultado até sim, mas pelo que jogamos - e era um sentimento comum - havia apenas orgulho do futebol apresentado, e uma quase certeza que, doravante, em qualquer jogo, seja na Arena, seja fora de casa, não mais jogaremos com medo, e podemos fazer frente a qualquer um de nossos adversários nesta Série B. Um time "de macho", como disse o Leandro após a partida. A confiança até aumentou, apesar da derrota. 
Por isso, embora não exista derrota boa, pensei após o jogo que essa foi nossa "derrota mais bonita", em que mostramos que podemos enfrentar um clube como o Vitória, com orçamento 5 ou 6 vezes maior do que o nosso, que em uma só semana tem cacife pra contratar Elton, Marcelo Nicácio e William (esses três pagam uns 50% da folha do nosso elenco todo, cada um embolsa uns "cem conto" frouxo), e jogar de igual pra igual. E poderemos seguir assim nos 20 jogos faltantes nessa Série B.
E com esse futebol - se conseguirmos repeti-lo rodada após rodada, não é de se duvidar que o acesso é uma real possibilidade. 

Lembrei-me da derrota do Brasil para a Itália, em 1982, com a famosa capa do Jornal da Tarde lá em cima exposta. Acabado o jogo, na Globo narrava Luciano do Valle e comentava Márcio Guedes. Luciano abriu a palavra para o comentarista, e hoje, seria absolutamente comum que alguém com o microfone na mão descesse a ripa no time que acabara de perder. 
Pois Márcio Guedes - vi o jogo em VT na TV Cultura - apenas disse que era uma pena que aquele time, que jogara tão bem, que dera um show de futebol, perdesse aquela partida. Era injusto, mas assim era o futebol, e que aquela equipe merecia todos os aplausos. Pois assim foi o JEC na sexta-feira. Apesar da derrota, só aplausos. AVANTE, JEC!

17 de ago de 2012

FEISHOWADA, APAGÃO E JOGO CONTRA O VITÓRIA

Assuntos paroquiais rápidos, pois ando meio ocupado:

1. Quem puder, amanhã, às 11h, deve comparecer à Feishowada de nosso antigos craques. Parece que estarão presentes Paulo Egídio, Lico, Nardela, Maringá, Geraldo Pereira, só pra citar alguns dos maiores, além de outros mais antigos, muitos que não vi jogar mas que tem grandeza semelhante. Paulo Egídio é meu ídolo maior, o jogador que eu mais gostava de ver jogar na minha infância. Prestigiar esse passado glorioso do JEC, que parece estar voltando, é um grande programa para esse sábado. Pelo que sei, a camiseta da festa está à venda na Toca do Coelho, por 35 reais. É barato pela qualidade da festa.

2. Jogo de hoje à noite: todos nós sabemos que será um jogo muito difícil, contra um time cinco pontos à nossa frente na tabela. Teremos desfalques importantes (Lima, Tarcísio e Maurício), mas contaremos com os retornos de Ricardinho e Glaydson
Não sairemos do grupo de acesso, qualquer que seja o resultado, mas quem sabe uma vitória ou mesmo um empatezinho, e considerando que a rodada tem vários confrontos diretos entre times que almejam alguma coisa, poderemos ficar ainda mais perto do objetivo, agora tangível, de subir à Série A. No sábado que vem, sim, fecharemos o turno contra o Goiás, na Arena, em mais uma festa daquelas de nossa torcida.

3. Apagão: não comento aqui sobre outra coisa que não seja o JEC, com raras exceções. Essa é uma delas: li que ontem, no Centreventos, durante o jogo Krona e Botafogo, as luzes "se apagaram". Coincidentemente, o jogo estava 2 a 1 para a Krona, e um gol do Botafogo, empatando o jogo, eliminaria o time de Joinville. Com o apagão, houve tempo para que o jogo de Assoeva e Florianópolis terminasse, com vitória do time de Venâncio Aires. Nessa quadra, quando o jogo recomeçou, o Botafogo já não precisava mais empatar, pois estava classificado mesmo com derrota, e a vitória da Krona classificou os dois times que jogavam em Joinville. 
Estranho, no mínimo. Não desconsidero a hipótese de realmente ter havido a queda de luz, mas que ela foi extremamente conveniente, disso não há dúvidas. Mas, deixo pra lá. O importante é o JEC, hoje à noite. AVANTE, JEC!

15 de ago de 2012

JEC 1x0 BRAGANTINO: TIVEMOS QUE PARIR UMA BIGORNA

Eu já esperava uma vitória obtida a fórceps, na marreta, só não esperava que fôssemos obrigados a parir uma bigorna. 
Já no começo da partida o jogo se mostrou truncado, e nosso gol aos 15' não mostrava exatamente o que era o jogo. Jogamos bem mesmo apenas nos últimos vinte minutos do primeiro tempo, quando tivemos 4 ou 5 chances claras de gol, em chutes da linha da grande área, mas todas saíram raspando as balizas; o Lima até chutou uma na trave, e depois desses gols "perdidos", sempre vem aquele medo: não vai fazer falta? - Pois quase fez (se o gol do Braga fosse anotado, teríamos amargado essa perda de gols com a perda de pontos).

Na segunda etapa, o jogo ficou ainda pior - quero dizer, mais difícil - e como eu estava embaixo do placar, só à distância vi um um cara do Bragantino cabecear a bola na trave e o  Leandro Carvalho tirar em cima da linha (depois, já em casa, todo mundo viu que a bola entrou quase um metro). Ivan ainda teve que fazer umas duas boas defesas para garantir a vitória - embora no gol não marcado do Bragantino ele tenha saído mal do gol. 
Não jogamos bem, mas vencemos (e foi a quinta consecutiva). Os desfalques no meio-campo realmente fizeram falta. Glaydson e Ricardinho dariam mais consistência (além do entrosamento natural) na meia-cancha, facilitariam nossa movimentação ofensiva e, penso eu, teriam tornado o jogo menos difícil. Gilton (fora de ritmo), esforçou-se, e bastante cansado foi substituído, sendo aplaudido pela galera. Quem sabe o LC consiga ressuscitar um jogador que anda encostado, e ele possa recuperar o futebol que já jogou por aqui. 
Até Aldair entrou em campo no finalzinho, e no seu primeiro lance quase fez um gol. 


"Massa bruta" desandou aqui. Nós é que estamos fortes.
Ontem houve apenas dois resultados que eu considero bons para o tricolor: Ipatinga venceu o Paraná e o Barueri venceu o Goiás. O Criciúma venceu o América/MG, que é um resultado razoável para nós. O resto não nos ajudou, fez muita gente continuar junto na tabela. Precisávamos de uns empatezinhos dessa turma que nos segue. 
Vamos (3º) pra Bahia jogar contra o Vitória (2º). Goiás (4º) e São Caetano (5º), se enfrentam. Dessa forma, permaneceremos no grupo do acesso, qualquer que seja o resultado dessa partida de sexta-feira, o que sempre é bom. Os dois Américas (6º e 7º), também se enfrentam. O Criciúma tem parada dura contra o Atlético, em Curitiba. Enfim, teremos uma rodada interessante, e uma vitória pode nos colocar, com alguma sorte, 4 pontos à frente do 5º colocado. É muita suposição e muita sorte, mas quem sabe...
Não teremos o Lima - terceiro cartão, e me parece que Tarcísio e Maurício são cartas fora do baralho, por suas contusões. A propósito, o tornozelo do Maurício começa a preocupar. Mais uma vez com desfalques, provavelmente com Jean Carlos no comando do ataque tentaremos mais uma vitória, mas acho que será bem complicado trazer os três pontos. Acho que LC vai retrancar, e estará certo se assim fizer. AVANTE, JEC!

14 de ago de 2012

PRÉ-JOGO JEC x BRAGA: PRA VENCER A FÓRCEPS

Joguinho hoje à noite, às 19h30 (todos na Arena, por favor!) que, para mim, será bastante difícil. 
Convocação legal que tá no site do JEC!
Dois desfalques na meia-cancha - Glaydson e Ricardinho - que nos forçarão a alterações ainda não vistas por aqui, alterando a meiúca que vem funcionando muito bem, e dando um grande auxílio ao sistema de marcação. 
Ouvi os programas esportivos de ontem, e salvo algum equívoco Mira pregava o seguinte time: Ivan, Eduardo, PP e Maurício (ou Jussani), Marcinho; Leandro, Carlos Alberto, Real e Willian; Adailton e Lima.
Nardela faria diferente: Ivan, Eduardo, PP, Maurício (ou Jussani) e Romano; Carlos Alberto, Leandro Carvalho, Real e Bruno Tiago (ou Djair); Marcinho e Lima.

Tendo a concordar com a segunda escalação, principalmente pra não improvisar na lateral-esquerda. Romano não vem jogando lá grandes coisas, mas não colocando o jogador de ofício na sua posição, e recuando o Marcinho - que aliás vem subindo muito sua produção ofensiva, com gol e passes para gol, me parece um contrassenso. 
Ainda ontem, porém, descobri que Romano está contundido, e pode ser que Gilton jogue, mas pela entrevista do LC, me parece que realmente Marcinho usará a camisa 6. Eu apostaria no Gilton, embora sabedor dos riscos que trazem sua escalação, até porque a torcida pegará no pé dele se em dez ou quinze minutos não demonstrar que pode jogar bem. 

O Bragantino vem com quatro desfalques - o goleiro titular que já está há três partidas fora e mais três jogadores de linha. Está elas por elas com os nossos desfalques. 
Cavalo: técnico novo traz motivação!
Ademais, Leandro Campos tem feito boas declarações sobre os ausentes e os prováveis substitutos, não arranjando desculpas esfarrapadas, elogiando os reservas, e dizendo que o importante é o elenco qualificado que ele tem em mãos. LC acerta cada vez mais, nas palavras e na tática. Esperemos que ele faça as melhores opções possíveis para hoje. 

Roberto, o "Cavalo", assume o Braga (vulgo "massa bruta" - ui!), e me parece daqueles técnicos estilo Leandro Machado, já treinou 30 times em 15 anos de carreira - ou seja, é demitido, em média, duas vezes por ano - e não me parece um treinador com potencial para grandes conquistas. Contudo, já disse que vai jogar no 3-5-2, numa retranca braba. É questão de fazer um golzinho pra quebrar o esquema do cavalo.
Vamos pra Arena, às 19h30. AVANTE, JEC!

PS: O André Budal - Bocão - está querendo organizar um futebol fixo às quartas-feiras - como ele mesmo anunciou nos comentários ao último post, com a turma que lê o blog. Por questões profissionais, não poderei fazer parte constante do grupo mas, vez em quando, se o jogo sair, estarei por lá. Eis os detalhes:

Pessoal, gostaria de convidá-los a mostrar seu futebol arte.
Estou montando um grupo para jogar uma bola toda quarta-feira às 21 horas.
É futebol suíço em campo de grama natural. 8 na linha e 1 no gol.
O custo será de R$35,00 por mês para cada jogador de linha. Goleiro não paga.
Haverá 1 churrasco por mês incluso no preço.
O campo fica perto da Udesc/Garten Shopping.
Se você é uma pessoa que sabe jogar futebol, sem a pressão de ser um Neymar, e quer brincar e não brigar, está convidado.
As regras são as mesmas que o futebol de campo com exceção do impedimento e de que não vale carrinho, mesmo sem intenção e que não pegue em ninguém. Afinal, todos têm de trabalhar no dia seguinte.
Primeiramente estou confirmando goleiros. É que se não tiver goleiros não há grupo que se mantenha. Já tenho um bom goleiro confirmado.
Preciso de mais 2 goleiros compromissados, que possam ir jogar quase sempre. Um deles precisa se dispor a jogar na linha sempre que os três goleiros do grupo comparecerem.
Se você quer participar ou conhece alguém legal que também queira, entre em contato comigo pelo celular 88350362 ou pelo meu e-mail andrebudal@gmail.com. Pode chamar de Bocão mesmo.
E o mais legal é que poderíamos confraternizar além do blog.

12 de ago de 2012

GUARÁ 0x3 JEC! DE G4 É MAIS GOSTOSO!

Para quem estava com saudade, e alguns até reclamando da falta de textos, voltei.

Nas últimas rodadas estamos muito, mas muito bem. E há espaço para melhorar - e se isso ainda acontecer, a acesso será uma real possibilidade.
Não estou com vontade de fazer um levantamento, mas acredito que nas últimas rodadas, desde a vitória contra o Barueri, tenhamos a melhor campanha, e estamos numa crescente. A vantagem do Criciúma - líder - que já foi de mais de 10 pontos, agora está em 6. E entramos no grupo que, considerando a ilógica conjectura de que o campeonato terminasse agora, conquistaria o acesso à Série A.
Mas o fato é o campeonato só acaba quando termina, e agora nossas metas (mini) devem ser jogo a jogo, vencendo uma após outra, sem pensar muito lá adiante. 

Ontem, lá no Meurer, assistimos aos primeiros minutos um pouco preocupantes, com o Guaratinguetá vindo para cima do JEC, e nós passando alguns sustos, com Ivan sendo exigido e como sempre, correspondendo. Maurício se contundiu, entrando Jussani. Uma Brahma gelada tranquilizava a turba.
Essa pressão inicial contra vem sendo a tônica de nossos jogos fora, até que em 15 ou 20 minutos entramos no jogo, primeiro equilibrando a peleja, para logo depois passar a jogar melhor, e nesse jogo específico, coroando a primeira etapa aos 44', com gol de Lima, em jogada pela direita, que contou com a participação Glaydson e ótima assistência de Marcinho.
Na segunda etapa, com o jogo sob controle, aos 38', o homem de dez milhões de reais, após rebote da zaga, fez o segundo gol. Willian, que aos poucos começa a a dar pinta que pode ser mais uma boa opção no elenco, fechou o placar mais uma vez aos 44', tal como Lima já fizera na primeira etapa. 

Eduardo fez gol, de novo. Ainda voltarei ao assunto Eduardo, o nosso Lee Majors - essa é do tempo do "guaraná com rolha", hein? - para falar sobre a renovação de seu contrato, e a multa estipulada, e o que isso pode significar para o próprio jogador, para o elenco, e principalmente, para o JEC

O PRÓXIMO JOGO, como sempre, é o mais importante.
Ontem, pegamos um time que vinha mal na tabela, e vencemos, como já fizéramos contra Barueri e Ipatinga. E também pontuamos bem contra os ponteiros do campeonato (Américas e Criciúma). 
Na próxima terça-feira, uma vez mais pegaremos um dos lanternas do campeonato, agora o Bragantino (que perdeu em casa para o Ipatinga e entrou na ZR), para depois terminarmos o turno jogando novamente contra dois integrantes do grupo de acesso (Vitória e Goiás). Nada a que não estejamos acostumados, mas é sempre bom dizer que o Braga vem fazendo campanha melhor fora de casa do que em seus domínios. Antes de perder para o Ipatinga vencera o Vitória na Bahia.
Teremos, ainda, dois desfalques certos por cartão (Ricardinho e Glaydson), e mais dois bastante prováveis (Maurício e Tarcísio). É claro que esta é mais uma preocupação.

De qualquer forma, o elenco Tricolor parece bem consciente do que deve ser feito, e uma vitória na terça-feira será essencial para nosso objetivos. Temperatura por volta dos 20 graus, sem chuva, jogo às 19h30 - facilitando que todos cheguem cedo às suas casas após a almejada vitória - com a chance de galgar mais uma posição na tabela, embora isso seja pouco provável, pois nossos concorrentes diretos terão jogos em que aparentemente são também favoritos.
Por isso, vencer, quer para manter a posição, quer para não permitir que os três primeiros colocados desgarrem, é essencial. 

Ademais, me parece importante notar que, vencendo, chegaremos a 33 pontos a duas rodadas do final do turno. Desde que a Série B assumiu a presente formatação - em 2006 - todo time que fez 66 pontos subiu, ou seja, já teríamos cumprido metade do caminho para o acesso, antes mesmo da metade do certame. Nas outras duas rodadas poderíamos até acumular alguma gordurinha, facilitando as coisas no returno.
É jogo pra no mínimo, no mínimo, 12 mil jequeanos na Arena, embora o time mereça mais, uns 15 mil tricolores, quem sabe. AVANTE, JEC!
Ficha técnica: Guaratinguetá 0×3 JEC, Guaratinguetá, 11.08.2012
Guaratinguetá: Cézar, Leandro, Fábio Braz, Marquinhos e Filipe(Jefferson); Jonatan(Fran), Bruno Formigoni, Lenílson e Danilo Gomes(Leandrinho); Marcinho e Alemão. T: Pintado.
JEC: Ivan; Eduardo, Pedro Paulo, Maurício(Diego Jussani) e Tarcísio(Willian); Leandro Carvalho, Glaydson, Ricardinho e Tiago Real(Carlos Alberto); Marcinho e Lima. T: Leandro Campos.
Gols: Lima 43′ 1T, Eduardo 37 2′ 2T e Willian 44′ 2T

6 de ago de 2012

JEC 3x1 CRICIÚMA: 5º LUGAR; 3º ATAQUE; 2ª DEFESA.

Bela maneira de passar um sabadão!
Se até o jornalismo dito profissional só repercute hoje a vitória do JEC, porque a edição de domingo do jornal é fechada no sábado ao meio-dia e o meu ídolo sequer viu o jogo, esse modesto blogueiro também pode exercer seu direito à preguiça e "entregar" sua nova edição apenas nesta manhã de segunda-feira.
Quase 18 mil jequeanos na Arena, boa renda, sábado ensolarado, estreia do bonito bandeirão, só faltava o time vencer, e como de praxe contra o Tigre, e vencemos bem, por 3 a 1, com gols de Tiago Real, Lima e Eduardo
O time vem crescendo e muito, na bola e na confiança. Nosso ataque, anêmico até outra hora, faz cinco ou seis rodadas que desembestou a fazer gols, e hoje já é o terceiro melhor (com uma combinação quase perfeita com a segunda melhor defesa do certame). 
Há alguns pontos a destacar no jogo de sábado: Jhonathan, nosso goleiro imberbe fez mais uma boa partida, e não comprometeu - soltou uma bola fácil, mas quando exigido fez ótima defesa; Eduardo é um demônio, vem jogando muito (mas tá sendo cogitado no Palmeiras); o futebol do Lima cresce a olhos vistos - não só faz gol, como prepara jogadas - ele que ajeitou a bola para Tiago Real abrir o placar e deu o passe para Eduardo fechar o caixão do time do Sul do Estado; Marcinho já subiu muito do produção, e hoje já se assemelha a um (bom) jogador de futebol. 
Mas é LC que merece reconhecimento, depois das tempestades. Já o critiquei muito por aqui, e ele já ouviu muitas reclamações de todos os lados, e é aí que quero chegar: quando achincalhado, nunca reagiu, nunca xingou ninguém (como já vimos por aqui de um recentemente demitido lá pras bandas da lanterna da Série A); e agora, que o time está bem, não tripudia, não arrota: mantém-se sereno, tranqüilo, e penso que isso deve ser muito importante para o elenco. E a verdade é que sob seu comando o time vem evoluindo. 
Os próximos passos: pegaremos fora o Guaratinguetá, hoje na ZR com 9 pontos, e depois o Bragantino, em casa (que é o primeiro time fora do rebaixamento com 15pts). Pela lógica, venceríamos os dois jogos. Mas, convém abrir os olhos, manter a aplicação e não deixar escapar essa possibilidade de chegarmos aos 33 pontos, para depois enfrentarmos os fortes Vitória e Goiás para fechar o turno. 
O Guará só venceu duas vezes. Jogando bem, conseguiremos impedir a terceira vitória do time paulista e temos reais chances de buscar três pontos. Depois, é encarar o time do falecido Nabi Abi Chedid na Arena, também sem bobear. O Braga, nesta rodada, foi à Bahia e venceu o poderoso vice-líder Vitória, logo se vê que colocação na tabela diz alguma coisa, mas não muito. Se assim fosse, não teríamos vencido na seqüência três times que estavam na área de acesso.
Enfim, que alegria depois do jogo de sábado. Um time e uma torcida que acreditam cada vez mais, que em 15 rodadas chegou aos 27 pontos e tem daqui pra frente 23 rodadas para fazer apenas 20 pontos para evitar qualquer risco. Nessa toada, na quinta ou sexta rodada do retorno já teremos evitado o rebaixamento, e aí teremos nas últimas 12 ou 13 rodadas uma liberdade enorme para arriscar e, quem sabe, beliscar uma vaguinha para a Série A-2013. AVANTE, JEC!

Ficha técnica: JEC 3 x 1 Criciúma – Arena, 04.08.2012, público 17926
JEC: Jhonatan; Eduardo, Pedro Paulo, Maurício e Tarcísio; Carlos Alberto, Glaydson, Ricardinho (Djair) e Tiago Real (William); Marcinho e Lima (Jean Carlos). T: Leandro Campos.
Criciúma: Douglas Leite; Ezequiel, Mateus Ferraz, Nirley e Marlon; Rodrigo Possebon, Fransérgio (Elias), Kleber, Válber e Giovanni Augusto (Gilmar); Douglas (Lins). T: Silvio Criciúma. 
Gols: Thiago Real, aos 11’do 1º T;  Lima, aos 17’ e Eduardo aos 30’ do 2º T.

2 de ago de 2012

AMÉRICA 0X2 JEC: O PROFETA DO ACONTECIDO.

O profeta é burro! Já me dizia meu amigo Alexandre, que o profeta é adivinho, e por isso, embora ela saiba de alguma coisa, ele sabe apenas por uma revelação, e não porque realmente entenda das coisas. 
E por isso, porque sou profeta, não há nada de extraordinário no que direi; confesso que pensei em dizer o que segue antes do jogo de terça, mas não o fiz. Logo, o que escreverei é "adivinhar sobre o passado". Sou um profeta do acontecido.
Eis a revelação, quase uma confissão: nessa última semana sem jogo comecei a pensar (coisa rara), e cheguei a uma conclusão não-definitiva: é possível, embora seja improvável, que LC entenda um pouco -muito pouco - mais de futebol do que eu. 
O bigode deve ter chegado aqui no JEC e pensado: esse time, há anos perdendo, eu tenho que evitar, a qualquer custo, o rebaixamento, e impedir que essa fase recente e crescente do clube acabe de repente. "Vou me segurar pra não chegar na décima rodada fodido, na zona do rebaixamento". E meteu o time lá atrás, pra ter alguma segurança. Deu certo, ficamos ali pelo meio da tabela - onde ainda estamos, é bom dizer.
Aí, de leve, ele começou a dar sinais de que tava começando a mudar suas pretensões. Tentou vencer o São Caetano e até merecia. Tentou vencer o CRB, e conseguia, até a pane do time. E terça-feira, pela terceira vez seguida fora de casa, tentou vencer e - surpresa - venceu, em mais um bom jogo do Joinville
Após um primeiro tempo com alguns sustos, Marcinho entrou na segunda etapa, fez ótima partida, e mudamos o jogo. Lima, um minuto depois de perder um gol feito, abriu o placar, e pasmem, Jean Carlos marcou, no apagar das luzes, para decretar a vitória do JEC, fora de casa, sobre o terceiro colocado do campeonato.
Parece que não é só a torcida que acredita, LC começa a achar que podemos mais. 


Nessa seqüência de jogos difíceis, contra os ponteiros do campeonato, já vencemos dois times que estão dentro da zona de acesso. Agora vem o Criciúma, nosso freguês, mas que tá numa fase iluminada. O que o Tigre já fez de gols no último minuto, virou jogos espetaculares, meteu goleadas improváveis fora de casa, etc., não tá no gibi, mas, não há bem que sempre dure, não há mal que não se acabe. 
Esta semana começaram tumultos no Tigre, o que até então não se via por lá. Primeiro, lançaram um chororô em nota oficial contra "assédio" de outros clubes por jogadores - nós passamos dessa fase de ficar reclamando porque alguém (que não digo o nome) queria o Eduardo ou o Lima; depois, o Zé Carlos (um baita atacante, diga-se), que já fez 16 gols, conseguiu cavar uma suspensão para o VERDADEIRO clássico catarinense e não nos incomodará no sábado. E não fosse isso, resolveu tumultuar o ambiente, fazendo um pedido de aumento de apenas 80% (quer passar de 50 para 90 merréis por mês). 
Jardel sentenciou: clássico é clássico; e vice-versa.
Sábado, então, é o jogaço, imperdível. Estreia do bandeirão, fogos de artifício, combate contra o líder da Série B no VERDADEIRO clássico catarinense (os dois maiores campeões catarinenses desde o surgimento do JEC), dois times embalados e que vêm jogando bem. Você não pode estar em outro lugar  no sábado à tarde. Ir à Arena é obrigação, para respaldar o time que vem fazendo belíssima campanha e que precisa de seu apoio. Temos tudo para conquistar uma vitória, fazer um grande público, e com alguma sorte, quem sabe, chegar ao terceiro posto na tabela.AVANTE, JEC!


Ficha técnica: América-MG 0 x 2 JEC, 31.07.2012, Estádio Independência

América-MG: Neneca; Boiadeiro, Gabriel, Vinicius Simon e Pará (Brian); Dudu, Agenor (Romão), Gilberto e Rodrigo Pimpão; Alessandro e Fabio Junior (Sebastian). T: Givanildo.
JEC: Ivan; Eduardo, Pedro Paulo, Maurício e Tarcísio; Leandro Carvalho, Glaydson, Ricardinho e Tiago Real (William); Adaílton (Marcinho) e Lima (Jean Carlos). T. Leandro Campos
Gols: Lima aos 19’ e Jean Carlos aos 47’ do 2º T.