NASCEU CAMPEÃO

Tu és a glória dos teus fundadores

30 de mai de 2011

SÉRIE C: SEM TV, SEM DINHEIRO?

A TV Pública federal, a famosa TV BRASIL (ou TV Lula, para os íntimos) mijou pra trás, como se dizia lá no Glória, e não vai mais transmitir a Série C do Campeonato Brasileiro. É uma péssima notícia por dois aspectos, mas já estamos acostumados com más notícias, portanto, não vamos nos desesperar (mas bem que poderíamos).

Primeiro, obviamente, que não poderemos ver alguns dos jogos do JEC fora de casa como prometido, as marcas de nossos patrocinadores atuais e os futuros (e espero que sem TV também não desistam) deixarão de ser exibidas, o que pode tornar menos interessante que patrocinem o Tricolor.

Depois, pelo que eu li quando se acertou esse contrato - que agora vê-se que não estava fechado - prometia-se patrocínio para pagamento dos deslocamentos aéreos e mais 5 mil por jogo para hospedagem, aliviando sobremaneira as despesas para uma competição que, quase certamente, será deficitária. Será que a CBF vai bancar estas despesas sem a ajuda da TV?

A alegação da rede de televisão é de falta de dinheiro (viram como não é so o JEC que está na pindaíba?). Vejam a nota oficial da rede pública:
"No início deste ano, a Empresa Brasil de Comunicação - EBC iniciou conversações com empresas credenciadas pela Confederação Brasileira de Futebol - CBF, com vistas à aquisição dos direitos de transmissão, pela TV Brasil e Rede Pública de Televisão, dos jogos da Série C do Campeonato Nacional.

Esta semana, a EBC reuniu-se com dirigentes da CBF, que se empenharam na busca de uma fórmula contratual que possibilitasse o fechamento do acordo. Em seguida, a diretoria da EBC realizou um rigoroso exame de sua situação orçamentária e financeira, concluindo que seria imprudente destinar ao referido evento esportivo, embora reconhecendo sua importância e relevância, recursos que poderiam comprometer outras atividades da empresa e do Sistema Público de Comunicação que gerencia.
A EBC espera, para o próximo ano, uma situação orçamentária mais confortável, que lhe permita financiar a transmissão desta competição, tão importante para as populações dos estados e cidades mais remotas do Brasil"

Acho tal conduta um desrespeito da rede PÚBLICA de Televisão. A concessão de televisão é um serviço público por definição, e agir tal empresa, ao mesmo tempo, de um lado para reconhecer que a competição é "tão importante para as populações dos estados e cidades mais remotas" e de outro para se eximir de seu papel de ser um canal de integração desses lugares alijados não só de verem seus times nas primeiras divisões do futebol, mas agora até de vê-los, é na verdades um grande DESSERVIÇO PÚBLICO. AVANTE (E NAS ONDAS DO RÁDIO), JEC!

26 de mai de 2011

TEMPESTADE EM COPO D´ÁGUA?

Ainda bem que só lembrei do jogo aos 30' do segundo tempo. Assim, economizei 75 minutos da minha vida.  Daqui por diante, só quero ver o time quando estrearem todos os jogadores contratados, porque esse time que está aí não vai dar liga, será um fracasso retumbante. Precisamos dos jogadores novos, urgentemente.Bom, já conseguimos estar na lanterna de uma competição ridícula. Esse time tá com um cheiro de Leandro Machado, que sei lá.

É ceu de brigadeiro então. Estamos combinados, OK?
O site SOUJEC defendeu, outro dia, que a mídia está fazendo tempestade copo d´água. Está mesmo?
Não estaria o pessoal do clube vendo um mundo de encanto, onde tudo é belo? Vendo um mar de rosas onde em verdade há aridez, pedras e espinhos. Não sei e nem é possível saber, por ora, tantas são as dúvidas no Clube e no time.
O time deve hoje foi Wanderson, David, Linno, Renato Santos e Gilton; Zanutto, Mateus, Jocinei e Ramon, Aldair e Lima.
O novo time poderá jogar no 4-4-2 ou mesmo 3-5-2 (Tarracha é ala, não é lateral, e terá problemas na marcação segundo Juari, que conheço e confio), e o time poderia, por exemplo, ser este:
Ivan, Tarracha, Linno e Ênio (ou ainda Renato Santos e/ou PP se 352) e David; Glaydson e Zanutto (ou JB), Ramon, Ricardinho (esse lerdeza ainda vai ganhar a posição, pode apostar), Lima e Capixaba.
Seria completamente diferente - veja que eu digo que seria diferente, não afirmo que seria melhor. Enquanto essa boleirada não começar a jogar, não adianta mais ficar malhando ferro frio, discutindo um time que não vai ser o time da Terceirona. Tô de saco cheio de discutir o passado, mas ao mesmo tempo, eu vejo o futuro repetir o passado (conferir Agenor Araújo Neto), e isso é preocupante.

Descontraindo, acho que o Lima fez muito bem em dar uma porrada no cara do Brusque - e nem sei se deu, porque não vi o jogo. Tem que ir por TJD e tomar uns 3 jogos de gancho pra descansar e não jogar essa merda de Copinha, e ficar pronto pra Série C. Lima não precisa jogo-treino, ele sabe o que fazer.

Zanutto não pode dar uma bobeira dessas. Depois volta pro banco e não sabe por quê. Daí, se reclamar falta de oportunidade, perde toda a razão.

Chris ainda é carta fora do baralho, e tenho dúvidas de que essa situação mude. Giba disse, em respostas à pergunta do Fronzi, que o Chris Christopherson só viajou porque os outros jogadores não estão inscritos, e que o latagão só pode jogar 15 ou 20 minutos. Preocupante. Só falta o Chris ser opção pra Aldair ou Edinho, na Série C. Ter o Chris, que foi nosso artilheiro no Catarinão 2010, banco de Aldair e Edinho, que malemale conhecem o caminho do gol seria de lascar.
Giba, como diria o "poetinha", fica tranqüilo:
"teu caminho é de paz, de amor".
O Fronzi, em seu blog, já acabou de afirmar que a chapa esquentou pro Giba. Será que o mito do eterno retorno, de que já falei tantas vezes, em particular o círculo vicioso de um técnico a cada três ou quatro meses, voltou? Se o Giba (não que ele seja o Rinus Michels) vazar, sugiro, logo, o Vogelsanger pra técnico. Vamos economizar e cortar, desde logo, os intermediários.
Tô aqui com a paciência e a Brahma acabando. O que fazer?  O TEMPORA, O MORES, JEC!

Ficha técnica: Brusque 2 x 0 Joinville, Augusto Bauer, 26.05.11.
JEC: Wanderson; David (Tiago Real), Linno, Renato Santos e Gilton; Diego Zanuto, Mateus, Jocinei (Edinho) (Júlio Bastos) e Ramon; Aldair e Lima. T: Giba.
Brusque: Wender; João Neto (Jocinei), Alexandre Carvalho, João Vitor e Tiago Cristian; Fabinho, Leandro Leite, Marcelinho (Tom) e William (Lê); Leandrinho e Aloísio. T: Itamar Schulle.

SEGUE A COPINHA: JEC E BRUSQUE, COM MUDANÇAS E DISPENSAS

Pois hoje temos um jogo em Brusque, que confesso, estou com preguiça até de ouvir na rádio.
O JOGO: nosso time será Wanderson, David, Linno, Renato Santos e Gilton, Diego Zanutto, Matheus, Jocinei e Ramon, Aldair e Lima.
No site do JEC anunciaram que houve treino físico hoje pela manhã, e na foto estão Ricardinho, Capixaba e Jailton, que, portanto, não devem sequer viajar.
O Brusque, que vem de derrota para o fortíssimo Metrô, terá vários desfalques, inclusive o Vinícius pagodinho (a famosa ausência que preenche uma lacuna), e o Itamar Shulé vai tirar do time o (bom) goleiro titular, não sei por que razão, parece que para dar ritmo ao reserva, se for necessário utilizá-lo em alguma eventualidade. Tem professor pardal em tudo quanto é canto.

ECONOMIA: Penso que o JEC acerta ao economizar nas viagens, indo só no dia dos jogos quando as partidas são aqui por perto, e também ao evitar concentração nos jogos em casa. Se o campeonato é para treinar, a concentração agora é desnecessária e custosa, pois treino é treino, jogo é jogo, como dizia Didi (não o Mocó, mas o Valdir Pereira). Trata-se de medida racional.


Diretoria falou, tá falado! Né não, Maneca?
DISPENSAS: Foram afastados: Max, Paulo Sérgio, Daniel, Souza e Pantico. Pensei que estavam sendo mandados para a imensidão da Sibéria, mas como disse o Maneca, comentarista aqui no blog, pra ficar na moda, consideremos que eles estão na Líbia. É a segunda barca de 5 jogadores em menos de 3 meses.
Qual o impacto financeiro dessas dispensas não se sabe.

ALAGOAN IDOL: não é que até o - esquecido, por mim, e confesso minha máxima culpa (tenho que voltar a meu mestre mais constantemente) - alagoano, deu uma dentro hoje a esse respeito - as dispensas, em ANotícia. Vejam:
"Sempre que pinta uma crise, o JEC divide opiniões: manda quatro ou cinco embora e traz outros para preencher as posições daqueles. E nessa de ensacar fumaça [boa], o máximo que o clube conseguiu foi subir da Série D para a C, via tapetão.
Até concordo que fazer futebol de alto nível hoje é uma operação muito engenhosa e, por que não dizer, onerosa, mas, por todo o respeito que tenho pelo presidente Márcio Vogelsante, não dá mais para conviver com um quadro tão sombrio.
Afinal, o Joinville acaba de encerrar um ciclo de dez anos sem ganhar o Catarinense e, paralelamente, despencou no ranking da CBF. Pior: mão de obra ociosa demais só tem uma explicação: a culpa não é dos atletas, mas de quem os contratou".
AVANTE, JEC!

25 de mai de 2011

DU-VI-DE-O-DÓ!

Hoje, excepcionalmente, não apresentaremos a sessão de opiniões disparatadas que se costuma ver por aqui, em razão da apresentação de DÚVIDAS, e nada mais.  Só tenho perguntas, não tenho respostas!

Se houver algum oráculo por aí, que se manifeste.

1. Como vamos jogar em Brusque? Não ouvi os programas de rádio hoje, então tô meio por fora. Wanderson e David devem começar o jogo, mas será que os outros reforços ainda dependem de regularização na CBF?

2. O Giba realmente cogitou sair do JEC por ingerência - mais uma vez - do Presidente Márcio Vogelsanger? O Alemão não aceita ser contrariado, e não esquece das afrontas. Lembram da demissão do Ramirez? Será que teremos percalços novamente, com troca de técnico na hora H? É bom lembrar que o Giba não tem multa rescisória, e se ele quiser dar no pé, é só se decidir e largar tudo.

3. O clube está em dificuldades financeiras tão sérias como vem sendo cogitado por aí? Será verdade que não havia 27 mil pra pagar as inscrições dos novos jogadores na semana passada?

4. A contratação de Fábio Dalonso como gerente de marketing é relevante? Tem ele alguma obrigação de resultado, se sua contratação se deu para angariar patrocínios? E se não der resultado, o que vai ocorrer, apenas aumentar as despesas do clube? Não vai se falar novamente que estamos trazendo a política para dentro do clube, como já aconteceu e deu errado?

5. A Brascola/Araldite vem mesmo por aí? O patrocínio (não sei se seria o master), será de apenas 30 mil, como se ventila?

6. O novo site do JEC ficou bom? Gostaram? Acho que houve pouca mudança de conteúdo, e em três ou quatro computadores que acesso demora um pouco para carregar e algumas abas ficam "encavaladas". Mas já melhorou desde sábado, e acho que ainda estamos em fase de adaptações. A possibilidade de compras e de associação pela internet era necessária e é uma ótima medida.

7. As dispensas já começaram? Pode ser que ainda não, mas que tá cheio de nego curtindo uma geladeira dentro do clube, isso tá! Parece que estão exilados na Sibéria.

8. O amistoso contra o Paraná fez água? Vamos jogar (ou melhor, treinar) contra a gurizada?

9. Quem matou Salomão Ayala? AVANTE, JEC!

23 de mai de 2011

EU TE DISSE, EU TE DISSE!

Não consigo parar de pensar no desenho animado que fez parte da minha infância, "Carangos e Motocas", em que as motocas (The Chopper Bunch) faziam planos contra Willie, o fusquinha, e o quando plano dava errado, sempre a menor das motocas, de sugestivo nome "Confuso", dizia aos seus comparsas: "Eu te disse! Eu não te disse? - Eu te disse!".

Pois bem, vimos só o que ja sabíamos que seria visto, e piorado ainda, porque Jailton não pode jogar.
O Ramon é um jogador entrado em anos (que chique), deveria ser poupado por agora, jogar só uns 60 minutos por jogo na Copinha, ser substituído para chegar inteiro lá na frente. Nas últimas rodadas do Catarinense ele já não andava bem. Não dá para exigir que ele se mate agora. E ele ainda vai demorar alguns jogos para encontrar seu ritmo, e depois, ele só consegue manter esse ritmo por um período não muito longo.

Tiago Real não funcionou como segundo atacante, ou como um falso-atacante, parece ser jogador de segundo tempo. O Lima se fodeu o jogo inteiro sozinho lá na frente, e convenhamos, não estávamos jogando com o Barça no Camp Nou, mas contra o Concórdia, em casa. Um 4-5-1 não parece o melhor esquema para enfrentar um timeco desses.

Nosso jogo ficou afunilado pelo meio, com raras escapadas do Daniel na primeira etapa pela direita, e com o Gilton, no segundo tempo, pela esquerda. David parece bom, chega mais que Daniel ao ataque, mas só jogou 20 ou 30 minutos. Vamos esperar mais um pouco.
O Gilton, apesar de ter certa culpa no gol dos caras, no segundo tempo saiu melhor para o ataque, e parece que pode ser um jogador um pouco diferente do que foi no Catarinense, quando pouco apoiava. Falei com nosso ex-volante Juari, que disse que chegou a jogar com o Danilo Tarracha, e disse que este é bom jogador, tem seu forte no apoio, mas não é um grande marcador.

Júlio Bastos é um mistério. É um volante comum, joga meio corcunda, e não dar uma seqüência para ver se o Zanutto pode ser sempre aquele jogador que foi contra o Avaí, Imbituba e um outro time, fora de casa, me parece uma teimosia incompreensível.

Quando saímos perdendo o jogo não vi o "evoluído" time do segundo turno, mas parece que vi, por alguma alucinação não-alcóolica (êta proibição de merda), PASMEM, o Leandro Machado mudando o time no primeiro jogo do Catarinão contra o Brusque, botando Aldair e Edinho para virarem o jogo. Tive a impressão de que em vez de evoluirmos, involuímos para a época do Leandro Machado. Só falta no jogo em Brusque o Pantico ou o Marcelo Silva virem de titular!

Aceito a explicação do Giba, de que ele não quis por o Chris porque o jogo estava complicado e ele quer ver o nosso atacante em um joguinho mais mamão-com-açúcar, para não colocá-lo numa roubada, vindo de contusão. O que não sei é se vamos conseguir um joguinho assim "doce" jogando o que jogamos ontem.

Bom, tudo resumido, o jogo foi ruim. Não nos esqueçamos que o Concórdia foi rebaixado no Catarinão. E a mesma desculpa de sempre, de que o adversário veio aqui "retrancado" não pode servir sempre como explicação recorrente para maus resultados em casa.
Ora, o JEC quando vai "retrancado" jogar fora, costuma voltar derrotado. Os outros times, retrancados, vêm aqui e conseguem bons resultados. Que lógica é essa? A retranca só é boa pros outros?

E, digo mais, os caras foram no nosso gol uma vez e abriram o placar. Imaginem um time bonzinho, da Série C, que vier aqui e fizer um a zero. Vão começar a tocar a bola, se defender com mais qualidade, e imaginem as grandes dificuldades que teremos para reverter um placar contra um time melhorzinho, se contra esses mortos de fome já passamos um sufoco. A expulsão do cara do Concórdia, aliás, pra mim foi exagerada.
Pra que serviu o jogo, então? É como no samba enredo da União da Ilha: "como será o amanhã, responda quem puder". ESTRÉIA LOGO, JEC!Ficha técnica: Joinville 1 x 1 Concórdia, Arena, 22.05.11

JEC: Wanderson; Daniel (David), Linno, Renato Santos e Gilton; Mateus, Júlio Bastos (Edinho), Jocinei e Ramon; Tiago Real (Aldair) e Lima. T: Giba.
Concórdia: Segala; Maurício, Charles, Sig e Rodrigo Crasso; Tomaz, Sabará, Rodolfo e Toldi (Rafael); Gazola (William) e Alan (Gustavo). T: Ílton de Almeida.
Gol: Lima, aos 37/2º tempo (Joinville).

20 de mai de 2011

JEC x CONCÓRDIA: O JOGO É DOMINGO, MAS FALTAM 64 DIAS PARA A ESTRÉIA

Velocidade 5: créu, créu, créu!
Durante o Campeonato Catarinense conseguimos a proeza de empatar em casa com o Garnizé do Oeste - que é um timeco da porra que teremos de enfrentar de novo - e conto-lhes uma grande novidade: assim será a Copinha, um eterno retorno.
Faz exatamente dois meses desde tal empate, e quero ver se realmente houve a tão falada evolução de nossa equipe. Se domingo der merda, nas coletivas vão dizer que falta ritmo de jogo, que era estréia, que os reforços não estrearam, etc...
Naquele jogo saímos perdendo, viramos o jogo e conseguimos tomar o empate nos últimos minutos, com gol anotado por... Miro Bahia, após uma furada do Júlio Bastos. Foi de lascar, um horror como escrevi aqui.
Foram dadas algumas explicações sobre a não-estréia dos novos contratados, e as razões explanadas, reconheço, são razoáveis, e vão da falta de ritmo de jogo, passando pela falta de entrosamento ao acúmulo de treinos físicos nas últimas duas semanas para os novos contratados. Quem tiver curiosidade pode ver as razões dadas pelo diretor de marketing, nos comentários do post anterior. Só não entendo porque alguém da comissão técnica (ou mesmo da assessoria de imprensa) não veio a público e disse isso de uma vez, evitando discussões vãs e teorias conspiratórias (se é que são conspiratórias).

De qualquer modo, vamos lá, então, ver a mesma rapaziada de sempre TREINAR para a Série C, e alguns, possivelmente, pela última vez.
Nosso time terá Max(imus Meridius) (prestes a ser jogado à cova dos leões; o gladiador deve estar com os dias contados na Arena, pois parece que o Ivan foi contratado), Daniel (na verdade - ou melhor, na bíblia - foi ele que ficou na cova com os felinos), Linno, Renato Santos (por que o Souza foi posto para escanteio no JEC é para mim um mistério e o NARDELA - primeiro e único - também estranhou esse ostracismo a que foi relegado o zagueiro, no programa vespertino da AM1590), Gilton; Mateus, Júlio Bastos, Jocinei e Ramon; Lima e Tiago Real.
Os ingressos tão custando a merreca de 30, 40 e 50 mangos. Tá até barato para ver uma competição do nível da Copinha. Por isso, imagino que deve dar uns dois ou três torcedores que não sejam sócios, possibilitando uma arrecadação recorde de aproximadamente 100 reais para o clube.
Assim, seguimos esperando a Série C, e para nossa estréia faltam só 64 dias (e 71 para o primeiro jogo em casa). De qualquer forma, temos um joguinho do nosso Tricolor para assistir, do que já estávamos todos sentido falta. Volto a escrever depois do jogo. AVANTE, JEC!

19 de mai de 2011

A COPINHA VEM AÍ (DE NOVO): TODO DIA ELA FAZ TUDO SEMPRE IGUAL...

Mais ou menos um mês após a eliminação no Catarinense, em Chapecó, o JEC volta ao campo de futebol, para disputar a TEDIOSA Copa Santa Catarina. Chega (por enquanto) de falarmos de estrutura, planejamento, política, sub-sede, patrocínios, etc, mas sem disso esquecer, e quando for necessário, voltaremos às cobranças.

Vamos falar de bola rolando.

Premissa básica para o JEC: A Copinha NÃO VALE NADA.
Ela só tem importância para preparar o time para a Série C (a única coisa que importa), mas no começo da competição, nem para isso terá serventia! Estou pasmo (ui!).

Na estréia vamos jogar com o "Galo do Oeste". É brincadeira!!! Pra nós que vamos à Arena, no domingo, há somente um resultado admissível. Uma sonora goleada. E ainda que ganhemos de 23 a 0, esta partida já é uma imensa perda de tempo. Isso porque nosso provável time será Max, Daniel, Linno, Renato Santos e Gilton; Mateus, Júlio Bastos, Ramon e Jocinei, Tiago Real (ou Jailton) e Lima.
Ora, já conhecemos esse time, e sabemos o que ele pode dar. Ele chegou só em 5º lugar no catarinense. Perdeu de um adversário direto da Série C no seu último jogo - a bugrada. Portanto, quem realmente não tiver nada a fazer no domingo - tal como o blogueiro, vá a Arena. Jogaremos nessa competição somente com quem ficou abaixo de nós na tabela do Estadual. Se erguermos o caneco, espero que o time tenha a serenidade e pegue o troféu, coloque embaixo do braço, e vá para o vestiário sem dar sequer a volta olímpica, pois o torneio terá sido somente TREINO para a série C, e não se comemora conquista em treino.

Mas por que esse time é que sairá jogando?
Quero dar crédito ao Giba, e achar que ele não quer, desde logo, queimar o time que ele ajudou a montar e conduziu no Catarinense (até porque a diretoria não resolve as dispensas), tirando de uma vez só Max, Daniel, Gilton, Renato Santos, Júlio Bastos ou Mateus, Jocinei e Tiago Real para colocar Wanderson, David, Danilo Tarracha, Ênio, Glaydson, Ricardinho (ai ai) e Ronaldo Capixaba. Mas assistir ao mesmo time do Catarinense me dá uma má impressão.

E me dá uma má impressão, ainda que olhe de vários ângulos, porque: i) ou o Giba é teimoso (a insistência com Júlio Bastos aponta de leve nesse sentido), e vai morrer abraçado com o time do Catarinão; ii) ou nossas contratações foram muito mal feitas e o Giba é obrigado a ficar com quem já estava aí (não posso acreditar nisto, e ontem Moysés Cândido - o otimista, na AM 1590 disse que os novos contratados são jogadores para Série C, jogadores de força, desses que esfregam a bunda no chão e acrescentarão ao time).

Como disse, quero achar que o Giba sabe o que faz - embora, repita, esteja perdendo tempo por não fazer qualquer mudança, umazinha que seja, no time - e vai botar a turma que já está aí e entrosada, e aos poucos, fazer as mudanças na equipe. Até porque quando ele fez mudanças de uma só vez, com a chegada dos então "novos contratados" PP, Linno, J Bastos, tomamos um vareio incrível do Figueirense, na semifinal do turno, que só não foi catastrófico porque Max fez alguns milagres. Se  tivéssemos perdido de 7 ou 8 teria sido normal.

Tenho que ser um pouco otimista (a partir da segunda rodada, pelo menos). Como vem dizendo o Wilson França, veremos - ao menos no domingo - um time que é tão apenas "mais do mesmo", e acrescento eu, não só um time, mas uma competiçãozinha que também não tem nada de novo. PLAY IT AGAIN, JEC!

17 de mai de 2011

OS PROJETOS DO JEC: A PALAVRA DE FERNANDO MATTOS - DIRETOR DE MARKETING

Escrevi o post sobre a possibilidade de captação de 1,2 milhão, como sempre, direcionada ao leitores deste espaço. Pois não é que houve uma grande novidade?
O Diretor de Marketing do JEC, Fernando Mattos, respondeu detalhadamente às minhas dúvidas e, diria a algumas "provocações".


Com a palavra, Fernando Mattos
Concordo com quase tudo. Explanarei concordâncias e discordâncias.

É importante trazer o que foi dito pelo Fernando (permita-me a informalidade de quem sequer o conhece), pois, pela primeira vez desde que surgiu este blog (em nov.2009), merecemos uma resposta oficial do Clube, ou seja, recebemos aquilo que tanto cobrávamos: TRANSPARÊNCIA.
É claro que não represento, aqui neste blog, qualquer setor do clube ou mesmo de sua torcida. Apenas dou minha opinião. Sou apenas um torcedor, associado, que assiste aos seus joguinhos lá na descoberta, e acha que tem o direito de reclamar do que lhe incomoda.
Mas, se os que me lêem puderem - através do blog - conhecer o que o Clube planeja (e almeja), um tanto melhor.

Vamos às palavras do Diretor, em resumo:

1. Ele disse que há dois projetos de captação de recursos: esse primeiro, agora aprovado, é SOMENTE para CUSTEIO - ou seja para pagamento de despesas corriqueiras, ordinárias, da BASE.
Ele argumenta que além do aumento de investimento de 70 para 100 mil por mês na base, agora teremos uma redução do déficit mensal do clube, haja vista a desnecessidade de se retirar dos cofres do clube essa grana para as divisões inferiores.
Diz ele que falta a publicação no Diário Oficial - e que isto poderá levar meses. Estranho muito o "meses", pois se tudo já aprovado, a publicação é dos problemas o menor, e o prazo, ouso afirmar, deveria ser de dias.

Não há dúvida de que contabilmente faz todo o sentido. Agora acreditar na redução do déficit, só acreditarei quando for publicado, em 2012, o balanço relativo a este ano. Qualquer crisezinha ou mesmo a necessidade de contratar no desespero, para tentar corrigir alguma coisa na Série C, e esses 70 mil serão, imediatamente, despejados no futebol profissional, pois, afinal, já tínhamos mesmo esse deficit, podemos continuar com ele (ou até aumentá-lo, segundo prognóstico do nosso presidente de gastar 700 mil/mês na Série C - entrevista a Claudio Loetz, em AN).

2. A boa notícia é que, conforme eu imaginei, esse é um projeto que pode ser renovado, DESDE QUE corretamente executado. Ademais, informa o Diretor que o JEC está 100% preparado para executar o prejeto, e que "estamos adotando as providências adequadas para conseguir captar rapidamente o aludido valor".  

2.1. É claro, Fernando, que a menção à empresa do Presidente Márcio Vogelsanger foi uma provocação. Nem tudo deve ser levado a série neste blog - que afinal, como já disse várias vezes é de um torcedor, que por sinonímia, é secador.
Se não fosse vedado por lei o que "propus", seria ao mínimo antiético que o Presidente requeresse o benefício fiscal para sua empresa.

3. O segundo projeto (e mais importante), esses sim atenderia às necessidades de reestruturação do CT, apresentado ao Governo do Estado (FUNDESPORTE), e segundo Fernando está em processo avançado de tramitação, "mas ainda não foi 100% aprovado" [ou seja, ainda não foi aprovado, digo eu]. Aprovação é como gravidez: ou tá grávida ou não tá; ou tá aprovado, ou não tá.
Esse projeto, também de cerca de 1,2 milhão, será integralmente destinado ao CT.

Aqui transcrevo o que Fernando prometeu, pois não quero alterar nada do que o Clube me promete, e se for necessário aqui cobrar a execução do prometido, será feito nas exatos limites daquilo que o JEC afirmou:

"Conforme este projeto, será erguido um prédio novo (não é simples reforma), com 2 andares e mais de 1.000 metros quadrados de área construída. Haverá 26 suítes, auditório, sala de musculação, sala para o departamento médico, cozinha, refeitório, sala de convivência para os atletas, vestiários, sala para as comissões, técnicas, etc. Todas estas instalações também serão devidamente mobilidadas. Não me recordo se a construção do 3º campo também está incluída neste projeto (mas acho que está).
Após a execução deste projeto, o JEC terá o melhor e mais moderno CT de Santa Catarina e um dos melhores do Sul do Brasil".

O projeto é bem melhor do que eu imaginei - no chute, porque não havia divulgação pelo Clube. Que bom que agora vêm à luz os nossos planos.

4. Fernando ainda promete interlocução mais constante com este blog, para esclarecer sobre loja virtual, nova loja no Shopping (desta eu não sabia), a camisa retrô - que a cada dia fica mais retrô ainda - o nosso busão, patrocinadores e outras iniciativas de marketing.
Também fala de seu projeto mais audacioso, o Museu Joinville (http://www.museujoinville.com.br/); já vi o site (vale a pena dar uma olhada) e considero, realmente, ambiciosíssimo (voltarei a tratar do assunto).

5. Por fim, Fernando me dá uma sugestão: que antes de falar de algum tema "delicado" no JECMANIA, eu entre previamente em contato com o Clube.
Caro Fernando: esta é uma "sugestão" que NÃO POSSO aceitar. A minha sugestão/opinião é de que o Clube é que deveria dar esclarecimentos à torcida - o que raramente ocorre, e não que a torcida que seja obrigada a cobrá-los; o vetor das informações é que está errado. Espero que o novo site seja um novo e operante canal de comunicação do Clube para a Torcida.

Então, se escrevi o post sobre nossos projetos de captação de recursos, assim, meio no escuro, é porque no escuro estávamos todos sobre os planos de nosso Clube - digo NOSSO CLUBE porque além de torcedores, quase todos somos associados da instituição.
Não há dúvida de que em relação a alguns assuntos buscarei elementos informativos diretamente contigo, já que abriste este canal de comunicação, por email. Mas não sempre! A meu ver não existe "assunto delicado". Há assuntos amenos e outros graves. Tratarei de ambos, quando achar relevante.

E, asseguro, não sou profissional da imprensa (estes têm a obrigação de "ouvir o outro lado"), mas busco separar notícias de fofocas, não dou respaldo a teorias conspiratórias - por exemplo, "fora Nereu", ou de que esse ou aquele levam grana, ou de que alguém tem passe de jogador. Devaneios fantasiosos não são levados à frente por aqui.

Mesmo que eu sempre trabalhe com fontes secundárias (o que leio e ouço na imprensa), pois não tenho (ou tenho muito pouco) contato com as fontes primárias de dentro do Clube, busco ser razoável.
Mas, não sendo profissional da imprensa, e sendo esse um "blog do eu sozinho", E DE UM TORCEDOR, sinto-me no direito de, às vezes, mesmo sem ter razão, cornetar, meter o pau, xingar gregos e troianos.
Obrigado pelo esclarecimento que prestaste a mim e aos que lêem este blog. Voltaremos a nos encontrar - virtualmente.
AVANTE, JEC! QUE AS PROMESSAS SE CONCRETIZEM!

16 de mai de 2011

A IMPORTÂNCIA DE UM CT: VÍDEO PARA ILUSTRAR O POST ANTERIOR

Façam-me um favor: leiam o presente post em conjunto com o anterior. Esse segundo só faz sentido para o JEC se o anterior também for lido.

Por uma coincidência do caralho, o meu cálculo chutado de 600m² de área construída para um CT é exatamente a área de "La Masia", que segundo o google translator significa "a casa da fazenda", que evidentemente não é a casa da fazenda da Record, onde só haveria fracassados da TV que tentam uma volta por cima.

Nesse lugar está a base do Barcelona, que todo mundo, eu inclusive, acha o melhor time do mundo atualmente. Pois saibam que desse rock rural saíram nada menos do que 8 dos atuais titulares do Barça (Valdés, Puyol, Busquets, Piqué, Messi - chegou da Argentina aos 13 anos, Pedro, Xavi e Iniesta).

É claro que as coisas não acontecem do dia para a noite, e o JEC não será o Barça do amanhã (qualquer comparação será puro devaneio), mas sempre é hora de dar o primeiro passo para um futuro mais promissor, pois começar já é metade de toda a ação.

Por mim, que a base sofra mais um ano, que passe uns perrengues, que treine como vem treinando, para que no ano que vem, com uma estrutura para muito tempo, nossa gurizada esteja DEFINITIVAMENTE em boas condições de finalmente deslanchar, quer como provedora de jogadores para o time principal, quer como fonte de receita - a venda de jogadores é importante até para times grandes, por que não seria para o nosso?

Eis o profeta!
Assista ao vídeo do Paulo Calçade (ver aqui), da ESPN Brasil, e reflita se nosso caminho com essa grana de 1,2 milhão não deveria ser esse. Como disse Pelé ao fazer seu milésimo gol: Ô cambada do JEC, "PENSEM NAS CRIANCINHAS".

PS: Este post já estava escrito desde sexta-feira, e como o assunto "casava", não pude deixar de publicá-lo.
Mas, desde então, no último post, Fernando Mattos, diretor de marketing do JEC troxe ao blog um longo comentário sobre os investimentos e projetos do JEC, que merecerão um post à parte, dada a extensão e seriedade da informação que foi exposta pelo Diretor. Desde logo, porém, agradeço ao Fernando - a quem não conheço - pelos esclarecimentos que foram dirigidos não só a mim, mas também aos "distintos leitores" do blog - como ele mesmo disse. Quem quiser desde já, conhecer as considerações da Diretoria, leia os comentários do post anterior. Em breve, aqui no blog, minhas considerações. Ab, ST.

13 de mai de 2011

EIS UMA BOA NOTÍCIA, FINALMENTE (MAS COM GRANDES PODERES, VEM GRANDE RESPONSABILIDADE)

Grande filósofo esse aranha!
Esse post foi publicado ontem, mas houve um problema no blogger, ele sumiu. Por isso republico-o, hoje. Infelizmente, os comentários foram perdidos por falha do site, e não deste blogueiro. Segue o post, tal como publicado:

Não tem muito a ver com o futebol profissional, mas o JEC conseguiu aprovar uma verba de 1,2 milhões de reais para as DIVISÕES DE BASE.

É uma grande notícia que consta do site do JEC -  embora, como sempre, a informação seja incompleta (parece que vem o novo site aí, mas a promessa já tá demorando a ser cumprida). Por exemplo, não consegui descobrir exatamente qual o projeto aprovado, ou seja, o que vai ser feito, o que vai ser construído com o dinheiro.

Eu, pessoalmente, não conheço o CT do Morro do Meio, e confesso que deveria ir até lá para dar uma olhada (mea culpa).
Parece que agora há dois campos oficiais, e segundo me lembro, o Márcio disse que custava cerca de 130 mil para construir um campo novo.
Acho que pelo menos dois novos campos deveriam ser realizados, permitindo que a divisão de base tenha campos oficiais, para que não vejamos cenas como vimos outro dia, com a gurizada treinando no estacionamento da Arena, e igualmente, para que os campos dos profissionais estejam sempre em bom estado para nossos treinos, porque senão daqui a pouco começa a chover e vem a ladainha que não temos onde treinar.

Nossos gastos anuais com a divisão de base giram em torno de 750 mil, segundo o presidente (ver aqui).  Espero que esse 1,2 milhão não seja só para cobri essas despesas. Partindo dessa premissa, prossigo.

Vou fazer um cálculo rastaqüera, porque não conheço a fundo a matéria, mas dou meus pitacos: o CUB - o custo médio por metro quadrado de construção de um projeto-padrão está em cerca em R$1.041,00, segundo o site do SINDUSCON.
Já tomei parte de uma incorporação de obra com tudo de primeira, em que a construção ficou com custo em 80% do CUB, ou seja, dá pra construir um metro quadrado de alto padrão com uns R$ 800,00. Com um projeto mais simples, acredito que seja possível gastar ainda menos do que isso, pois não se busca lucro na construção, e não precisamos construir nada luxuoso, mas apenas algo bem construído e confortável para nossos atletas profissionais e da base, acho que esse valor pode ser ainda mais baixo, mas vou considerar, para efeitos de cálculo, o custo de 800,00 para construir um metro quadrado. O luxo não pode estar em nossas aspirações no presente momento.

Não sei qual o projeto e nem sei  bem das necessidades do clube, mas vamos supor (chute mesmo) 20 quartos - dez para os profissionais concentrarem e descansarem e dez com beliches para os amadores - de 12 - ou 15 m² (são 240 metros quadrados), mais refeitório, sala para departamento médico, sala para massagem e fisioterapia, e espaço para academia. Será que 600 m² de área construída seria suficiente? Acredito que sim. Numa expectativa realista, gastaríamos aí uns 500 mil na construção do prédio.
Cada campo custa cerca de 130 mil, conforme dizia o Márcio, em entrevista antes da construção do segundo campo do CT, agora já pronto. Precisamos de só mais um campo? Então temos até agora uns 650 mil investidos.

É possível melhorar muito o nosso CT!
SE esse dinheiro for bem gasto e bem administrado, dá pra comprar todo o mobiliário dos quartos (camas, TVs simples - beliches para os juvenis, armários), mobiliário para o refeitório, equipamentos de ginástica, equipamentos básicos para o departamento médico. Dá, enfim, para construir um MODESTO, MAS COMPLETO, centro de treinamentos, pavimentando uma estrada melhor para o futuro que queremos.

Outra coisa importantíssima: esse projeto tem duração de 12 meses, o que me faz parecer que é um projeto renovável, sempre pode se pedir mais, desde que um novo projeto seja feito, e, principalmente, que esse primeiro dinheiro seja CORRETAMENTE utilizado, em prol do Clube.

Só há um senão (e sempre o há): esse dinheiro não vai aparecer assim, do nada. É um dinheiro de renúncia fiscal, o que significa que a grana não vem diretamente do Governo para o JEC e depois de amanhã a bufunfa estará em nossas mãos. Muito pelo contrário, essa grana precisará ser captada com empresas e empresários da iniciativa privada que podem, de acordo com a Lei n. 11438/2006, descontar do imposto de renda apurado sobre o regime do lucro real essa GRANA QUE INVESTIREM no esporte.

Aí vem aquela dúvida: vai aparecer alguém (não canso de falar que o empresariado joinvilense costuma cagar e andar pro JEC) pra investir esse dinheiro, ainda que ele possa ser abatido no pagamento de imposto de renda da pessoa jurídica?
E mais: além do projeto aprovado, o JEC já tem uma estratégia ou eventuais interessados nesse projeto mapeados?
Se for tão fácil assim, a Vogelsanger - empresa de nosso presidente - já poderia (e deveria) ser a primeira interessada.

Bom, espero que sim, que tudo já esteja previsto e planejado, e que logo logo tenhamos uma nova realidade no CT, para as divisões de base e também para os profissionais.
AVANTE, GURIZADA DO JEC! CUIDADO COM ESSE DINHEIRO, DIRETORIA!

10 de mai de 2011

ÊNIO E TARRACHA - WHO IS WHO?

Temos dois novos jogadores: Ênio e Tarracha. Um é integrante do Muppet Show e o outro um jogador multi-uso, que se encaixa em diversos perfis, como comprovam as fotos abaixo, que ilustram o presente post.

Mas, vamos falar sério:


O primeiro é zagueiro (Dirceu, do Coxa, que vinha, acabou fondo, e não vem mais), tem também 1,89, foi criado no Cruzeiro e serviu às divisões de base da seleção brasileira. Estava, agora, como todos os que estamos contratando, perambulando por aí, e o JEC o encontrou (às vezes o JEC parece aqueles pescadores ilegais, que passam uma rede feiticeira e pegam qualquer coisa que nela cair). Tomara que não tenha esquecido como se joga a bola que dele se esperava quando juvenil (lembro de uma seleção pré-olímpica brasileira em que a zaga era Cafu, Roberto Carlos, Junior Baiano e Remerson; adivinhe quem destes quatro jogou no JEC?) e que possa se consagrar por aqui.
Jogou o Paulistão A2 pelo Comercial de Ribeirão Preto, em que o time conseguiu o acesso, de forma invicta - embora sem o título (o que parece ser um bom cartão de visitas para um zagueiro).

Tarracha é lateral-esquerdo, estava no Linense, que terminou o Paulistão em 14º lugar, quando jogava no Botafogo de Ribeirão Preto foi até chamado de "The Flash do Fogão" - espero que não seja em razão de ser bom garfo ou bom cozinheiro -ou seja, deve ser um lateral rápido - o que me leva à certeza que o Eduardo já era até como lateral-esquerdo. Ele disse que que jogou bem num esquema 3-5-2, mas não acho que esse será nosso sistema de jogo, por isso espero que ele seja, além de rápido, um bom marcador. O Gilton fecha bem atrás, mas ficou devendo no apoio ao ataque, ao menos no Catarinense. Teremos, ao que tudo indica, dois jogadores bem diferentes para esta posição.

As dispensas não foram ainda anunciadas, e acho muito estranho que o JEC tenha anunciado a pretensão de "emprestar" a outros times esses jogadores que têm vínculo até o final do ano. Se emprestarmos, certamente vamos arcar com algum prejuízo (pagar parte dos salários), rombo financeiro que também virá se simplesmente dispensarmos os jogadores e tivermos de arcar com as verbas rescisórias.

Tenho uma pergunta: esse aí é o time de 700 mil que o Márcio prometeu em ANotícia? Insisto, mesmo sendo chato: como estão as 200 empresas a 1000 reais cada uma? E o novo patrocínio (BMG, ANDRA, GM?). Daqui a pouco vão baixar a meta para 30 empresas pagando um pão com bolinho por dia e - sem qualquer demérito - mendigar um patrocínio da Lanchonete Ponto 17.

Na verdade, tenho outra pergunta: iguais a essa renca de jogadores que estamos contratando, não estarão os outros times contratando por igual? Ou seja, estão todos contratando jogadores medianos, e assim, não temos como prever uma superioridade do JEC em relação a Chapecoense, Brasil, Caxias e Santo André, mas sim jogos muito parelhos, e que deixam como uma verdadeira incógnita nossa performance na Terceirona?

Portanto, a partir de agora já não não faço mais uma mera torcida ou uma análise apurada sobre nossas contratações, trata-se de um auto de fé, uma crença sobrenatural: tomara que nossas contratações dêem certo, porque, como já cansei de repetir, num campeonato duro e curto como a Série C, não há espaço para reformulações.
E prossigo na quase-certeza de que no decorrer da Copinha, quando se aproximar a Série C, buscaremos a contratação de mais alguns jogadores "diferenciados". AVANTE, JEC!

PS: Sobre Ivan, o Terrível, só falo se a contratação se confirmar. Não vou gastar meus poucos neurônios falando em supunhetamos! (Mas que é um bom goleiro, isso é!).

9 de mai de 2011

TÃO QUERENDO ME ENGANAR!

Como é muito desinteressante acompanhar a final do campeonato catarinense sem o Tricolor... Por mim, poderiam jogar uma moeda pra cima, e quem ganhasse no Cara ou Corou seria o vencedor do certame. Continuamos no marasmo noticioso, não saíram ainda as dispensas (será que não vamos ficar com um elenco reduzido - o Moysés sempre apontava que nosso elenco no Catarinense era pequeno).
O Júlio Bastos, dizem, so aparecerá hoje e talvez tenha propostas (pois que o dispensem logo, não fará muita falta). Será que hoje ainda saia a primeira barca?

Voltando à enganação (prática minha muito comum neste blog, mas que hoje vem de outra fonte). Abro o jornal A Notícia e dizem: Joinville pode ser local para treinos na Copa 2014.
Logo me vem à mente a propaganda da sadia: Tão querendo me enganar, é?

Todo começo de ano dizem (acho que até por exagero da PM, bombeiros e etc.) que nosso Estádio não está sequer preparado para jogarmos o Catarinense (o chiqueiro que é o estádio do Marcílio raramente enfrenta problemas, "talvez" por Itajaí ser sede da Federação). Várias vezes foram apontados problemas graves nos vestiários, nas arquibancadas, na estrutura, etc.
A Arena não é prioridade, como bem disse o Carlito (AN, 13.12.2009), e não será nem neste ano nem no próximo, pois a prefeitura não cansa de dizer que tem pouco dinheiro. Logo, não haverá sequer tempo hábil para arrumar a Arena até 2014.
Outras mazelas e vexames: realizaríamos os Jogos Escolares Brasileiros (ou outra competição destas) e já disseram que perdemos por falta de rede hoteleira (falta de estrutura).

Seríamos sub-sede do campeonato mundial feminino de handebol, e também perdemos. Não temos ginásio para tanto (ou vocês acham que Abel Schulz - que deveria ser demolido - ou Ivan Rodrigues - em que chove mais dentro do que fora - podem servir à alguma competição de primeiro nível?

Nosso aeroporto parece um campo de pouso de cidade do interior. O aeroporto de Chapecó é muito mais movimentado do que o nosso.

Vocês acreditam, portanto, que teremos estádio, aeroporto, estrutura hoteleira, lugar para treinos fechados quando chova, etc, etc... para sermos sede de qualquer coisa na Copa do Mundo?

Isso tudo não é nada mais do que "grupo", mentira, potoca, enfim.

Não ganharemos nada (não me chamem de burro, por favor! não me prometam falsidades e queiram que eu acredite!). Desperdiçaremos dinheiro em projetos mirabolantes, e ao final, lamentaremos uma "injustiça" ao perder para projetos "piores" (competimos com Florianópolis, com três projetos - Figueirense, Avaí e Costão do Santinho).

Assim, em Joinville, em que verdadeiros GALPÕES são chamados expocentro ou megacentro, um estádio fica inacabado e aos poucos vai caindo aos pedaços (sequer se consegue pintar as arquibancadas), vivemos, EM NOSSOS SONHOS, em "um mundo de encanto, onde tudo é belo", mas que no mundo real nos leva ao título (e ao primeiro verso) da canção: "Me dê motivo, pra ir embora".
Como dizia o "síndico": "Este país não pode dar certo. Aqui prostituta se apaixona, cafetão tem ciúme e traficante se vicia". É por aí também aqui na nossa aldeia: parece que somos uma cambada de chapados que acredita em qualquer promessa , de qualquer um, e responde:"é isso aí, podicrê", e acha que com essa conversa surreal alguma coisa vai acontecer. VOCÊ NÃO ME ENGANA, JOINVILLE!

4 de mai de 2011

REFORÇOS ESTÃO AÍ. MAS É SÓ ISSO?

Pois bem, há 10 dias saíamos do campeonato, e entrávamos em coma profundo do qual hoje, parcialmente despertamos. Na verdade, abrimos um olho, demos uma olhada no quarto de hospital e dissemos: vou ficar aqui mais um pouquinho. Porque, convenhamos, o pacote de reforços não é tudo aquilo que se esperava, a uma, em razão de que os possíveis reforços já tinham sido especulados pela imprensa, a duas, porque como sói acontecer, os reforços são pouco conhecidos (o famoso quem?)

A bem da verdade, nossos primeiros reforços foram as renovações de Jailton, Mateus e Tiago Real, a quem se esperava que os times curitibanos quisessem de volta. Não quiseram (isso é bom ou mau sinal?).

Ricardinho também já está aí. Já comentei sobre isso (A questão Ricardinho) e não vou mais perder tempo a esse respeito.
Depois - hoje - vieram:

Ronaldo Capixaba, é, na verdade, uma contratação que me causa certa preocupação não pelo seu futebol (que não conheço), mas porque vejo aí embutida uma possível dispensa do Chris.

Será esse aí, em forma roliça, nosso novo atacante?

Criciúma e ABC são os times de maior expressão que defendeu, agora estava na Lajeadense (time pequeno do RS), tendo feito três gols (!) no Gauchão, e parece ser um segundo atacante, não sendo jogador de referência na área (papel que caberá ao Lima, por certo) - o que pode indicar que talvez o Chris permaneça. Não é uma contratação empolgante. Ricardo Freitas elogiou, disse que é bom jogador.

David: lateral-direito vindo do Palmeiras B (que disputou a segunda divisão paulista), parece ter sido o destaque do time, em notícias do Futebol Interior. Tem apenas 21 anos. Em princípio, um acerto.

Wanderson: goleiro do Coritiba não conseguiu chegar de Curitiba a Joinville por problemas na Serra. Como já disse outro dia, esteve no banco do Botafogo de Ribeirão Preto (13º colocado) no Paulistão.
Era banco, aqui vai ser titular?
Contudo, ontem ouvi boas referências a seu respeito na rádio, acho que do Aurélio Ramos, que disse que o viu jogando aqui na Arena, ano passado, pelo Coxa.

Glaydson, volante que estava no Zequinha de Porto Alegre - um time de quarta divisão - parece ser um segundo volante, que sai para o jogo. Mas é daqueles jogadores cuja carreira aparentemente decaiu, já foi titular do Criciúma, hoje tá lá no São José.

Dirceu, zagueiro vinculado ao Coxa, jogou no Botinha/SP, tal qual o Wanderson, e deve ser apresentado nos próximos dias. É alto - 1,89 e tem apenas 23 anos. Não tenho maiores informações, mas no Globoesporte.com, até onde procurei, não foi titular (não constou das escalações nos jogos contra Santos, Corinthians ou São Paulo).

O Mira, em seu comentário na AM1250, aprovou as contratações - espero que ele entenda mais do que eu e esteja certo. Disse que são jogadores com cara de Série C (mas pergunto eu, que cara seria essa?).

Começo a achar que esse não será o último pacote de contratações antes da Série C. A Copinha - de baixíssimo nível técnico (só disputarão contra nós times que ficaram abaixo do JEC no Catarinão), vai demonstrar quem serve ou não serve. Anunciaram-se  8 ou 9 reforços mas chegou pouco mais de metade disso. Ainda não se falou concretamente sobre jogadores do Atlético-PR (o Ocimar "Boliceta" foi pra rua por lá) ou Cruzeiro ou Inter, como anunciado e "planejado".
Quer me parecer que ainda estamos na dependência da montagem definitiva dos elencos desses e dos demais times das Séries A e B, para ver quais jogadores estarão livres por não serem aproveitados nessas equipes, para contratar os últimos jogadores para a Terceira Divisão. Eu esperava (um pouco) mais hoje.
Mas olhando - ou tentando olhar - de forma positiva as nossas "aquisições" é de ver que contratamos jogadores jovens, ninguém em fim de carreira, e segundo o Nereu, Glaydson e Capixaba são jogadores de força (e já estavam mapeados há muito tempo, e contratados há mais de 30 dias), o que será necessário na pauleira da terceirona.
Estamos mudando o perfil de nossa equipe? Estamos mudando o jeito de jogar, apostando na juventude, força, e uma pitada de talento com Lima e Ramon para ascender à Série B?
O fato é que nem eu, nem ninguém viu esses caras em campo. Mais uma vez, só nos resta esperar e torcer.
AVANTE, JEC!

3 de mai de 2011

OS GOLS QUE O JEC TOMOU NO RETURNO: A BOLA AÉREA

O JEC não cria pauta, vou de um post que estava meio esquecido, rascunhado, mas que terá alguma importância para nossas pretensões na Série C, afirmando peremptoriamente: temos que saber nos defender da bola aérea, ou estamos fudidos.

Li, outro dia, na coluna do Elton Carvalho (essa nova geração de jornalistas esportivos me parece bem melhor do que a velharia que ainda temos por aqui; é claro que mesmo entre os provectos há alguns de cabeça arejada e conhecimento de causa, como o França, de quem gosto muito; pra vários outros, indico o seguinte endereço: INSS, Rua 9 de março, 241, centro, Joinville) que o JEC sofreu 8 de seus 9 gols no returno em jogadas aéreas.

Achei estranha a estatística e fui rever os gols do returno. Discordo do Elton.
Os gols foram assim: Falta longa do Breitner - FIG; Chute longo do Teco e jogada aérea (aquele gol contra de cabeça do Max) contra o Marcílio; 1 falha do Júlio Bastos e 1 cruzamento mal cortado cumulado com falha da zaga contra o Concórdia; 1 escanteio e uma falta de longa distância (Metrô). Na semi, contra a Chapecoense, dois gols de bola aérea (um escanteio e uma jogada pela esquerda).
Não sofremos gols contra Brusque, Avaí e Imbituba.
Então, o meu resumo dos tentos sofridos é o seguinte: Duas faltas longas que o Max engoliu (reconheço que são discutíveis as falhas), e um auto-gol de cabeça de nosso arqueiro (considerarei bola áerea), uma falha por baixo de Júlio Bastos, um chutaço do Teco em Itajaí (o único gol sem culpados) além de mais quatro bolas aéreas contra Concórdia, Metrô e Chapecoense.

Assim, na minha conta, "apenas" 5 dos 9 gols foram por cima. Max colaborou intensamente em 3 dos 9 gols, e em nenhuma jogada aérea ele saiu debaixo dos paus.  

Embore discorde do Elton nos números, concordo plenamente com sua preocupação.
Temos de acertar a marcação na bola parada! E achar um goleiro que não deixe tudo para a zaga.
Em defesa do Max, há de se dizer que embaixo das traves em chutes à queima-roupa o homem é um monstro, faz várias defesas impossíveis, mas quando tem de sair do gol, lembro-me do Zagallo e da propaganda da Volkswagen: "sai do gol, Dida". Nunca sai, e quando sai, sai mal, e nas bolas longas, tem comprometido. Deu pra ti, Maximus Meridius (esse gladiador não pisa mais na arena - que trocadilho infame! - desculpem).

Também há de se dizer que várias dessas bolas que a zaga pifou, o Max garantiu, fazendo ótimas defesas embaixo do gol, se não fosse isso, teríamos tomado muito mais gols de cruzamentos.

Não tinha ainda pensado nesse aspecto (não sai do gol nem por decreto), e me parece que há mais uma razão para que o Max não fique ou não seja titular. Se ele for caro, deve ser dispensado para contratarmos um titular absoluto (será que vão tentar o Martini, que tá lá no Novo Hamburguer?).

Pois bem: hoje em dia, com esse futebolzinho mequetrefe que temos por aí, a bola parada é primordial. O jogo é pegado no meio, poucos times - ainda mais na Série C - têm criatividade, jogadas pelo meio, tabelas, e o bumba-meu-boi na área cresceu em importância no futebol. Até por isso não devemos dispensar o Chris.

Há três causas principais para nossos problemas defensivos na bola alta:
Nossos zagueiros andam perdidos.
Nosso goleiro não sai do gol.
Há jogadores que compromentem dentro da área (Gilton marca mal por cima, por exemplo).

Há algumas coisas a fazer:
Sai do Gol, Dida!
1. CONTRATEM UM GOLEIRO QUE SAIBA SAIR DO GOL! (o Luxa na segunda ressaltou a importância de um grande goleiro para um time; temos que pensar nisso. Me parece que o goleiro reserva do Botafogo/SP não é a solução para nossos problemas!).
2. PELAMORDEDEUS, GIBA: (SE SOUBER COMO FAZER) TREINE A DEFESA PARA A BOLA PARADA! Até na minha pelada eu sei que não dá pra marcar a bola, e sim que é necessário encostar no jogador.
3. Escolham zagueiros bons nesse tipo de jogada.

Sei que o post ficou meio avacalhado, peço desculpas, mas também nosso time está sem assunto há uns 10 dias. Repito, se na Série C soubermos bloquear esse jogo aéreo (não conseguimos fazê-lo bem no Catarinão), nossas chances aumentam. AVANTE, JEC!

1 de mai de 2011

O QUE FOI E O QUE PODERIA TER SIDO

Hoje (e nas próximas duas semanas), como mera diversão antropológica, vamos observar a final do returno entre bugrada e o time do mangue, e depois, do vencedor desse combate contra o Criciúma, na finalíssima.
No lugar do Tigre, deveríamos nós estar lá. Aquele jogo contra o Metrô, na última rodada do turno, foi o divisor de águas do campeonato para nosso time. Teríamos decidido os dois jogos em casa, e poderíamos hoje estar esperando essa partida lá no Oeste, para na próxima semana começar a decidir o campeonato.
Mas, águas passadas, e o que poderia ter sido, não o foi. Estamos "em férias", confiando que a diretoria esteja montando um time  razoável para a Série C.
Digo que já disputamos a Série C e costumávamos ao menos não temer os adversários (embora não tenhamos feito grande coisa). Hoje já tem nego todo cagado ao olhar adversários como Brasil de Pelotas (disputou a segundona gaúcha), Caxias - que tem uma trajetória (ruim) parecida com a do JEC nos últimos anos, Chapecoense e Santo André.
Que é isso? Vamos, sem cagaço, disputar essa porra de Série C! Estamos, no mínimo, em iguais condições com nossos adversários da chave. AVANTE, JEC! VTNC, AVAÍ.