NASCEU CAMPEÃO

Tu és a glória dos teus fundadores

13 de jun de 2013

LUPUS EST LUPUS LEPUS - O COELHO É O LOBO DO LOBO.

Gastei meu latim todo (na verdade gastei dois segundos no google
translator) no título do post, agora vem uma empulhação das
brabas. Hobbes, o parceiro do Batman, ficaria orgulhoso do latinório. Tudo isso apesar do símbolo do Guará não ser um lobo, mas uma garça. Mas, divago.


Eu poderia escrever sobre a vitória de número 1000 na história do Tricolor, ou sobre o recorde do Lima (mas vou deixar esse assunto pra um pouco mais tarde, só para deixar vocês, fãs do Lima - o Bocão principalmente - tremendo de emoção e ansiedade), mas vou falar apenas do jogo, da vice-liderança, e da pausa no campeonato. Como teremos vinte e cinco dias sem jogos, terei tempo para voltar a falar das importantes marcas atingidas ontem.

Vitória importantíssima em Guaratinguetá. Acho que, apesar do resultado, o time nem jogou tão bem assim. Finalmente pude acompanhar bem o jogo, depois de três meses e meio em Criciúma, pois achei um buteco em que posso ver os jogos do JEC numa TV decente, e não em streaming no laptop, e tomando uma cervejinha. Mas esses dias também parecem estar no fim.

No jogo, o adversário chegava com alguma facilidade ao nosso gol, tendo o avante deles perdido um fácil, após indecisão de Ivan em uma bola cruzada. O jogo era perigoso, até que abrimos o placar numa bola parada, em jogada aparentemente ensaiada e que lembra um pouco o gol contra o América-RN, em que Little Richard bateu em direção ao Sandro, que cabeceou para o meio para o gol de Ronaldo. Nesta, Ricardinho jogou no meio da área e Lima, discosta, raspou na bola para abrir o placar.
O jogo continuava igual, mas ao final da primeira etapa, Charles Albert fez jogada de linha de fundo (já fizera na vitória contra o Avaí), e colocou mais uma vez na cabeça do maior artilheiro da história do Tricolor, por hora empatado com Nardela. A bola ainda triscou em Pedro Paulo, e foi morrer nas redes do Garça.
Assim como em Fpolis, fomos para o vestiário com uma boa folga no placar. 
Na segunda etapa, voltamos a correr alguns riscos, Ivan teve de fazer algumas boas defesas em chutes do ataque do Guará, mas em bela jogada pela esquerda, Wellington Bruno driblou o marcador colocou a bola na cabeça de Lima, dentro da pequena área e este, sem ser fominha, ajeitou lindamente para Ronaldo fuzilar de primeira. Golaço, principalmente pela construção da jogada.
Ainda tivemos tempo de sofrer um golzinho, após falha de Carlos Alberto - se bem que o cara do Guará dominou a bola com a mão. Mas já era bastante tarde - 39' da segunda etapa - e a vitória estava assegurada. A diferença técnica entre os jogadores das duas equipes fez toda a diferença
O resultado só não foi ainda melhor porque a Chape, que a esta altura empatava por 2 a 2 como Paysandu, conseguiu a vitória ao 45' do segundo tempo, com uma triplete de Bruno Rangel, o inacreditável artilheiro do certame, com 9 gols.

Mas está ótimo. Vice-liderança, quinze pontos em dezoito disputados, uma boa folga de mais de vinte dias, e depois dois jogos em seqüência em casa, contra adversários fortes na briga pelo acesso - Sport e a líder Chapecoense.
E contando...
Não há consenso sobre ser boa ou má a folga iniciada após o jogo. Tenho a impressão que a parada pode ser muito boa para o JEC. Primeiro, obviamente, por termos ainda fora de condições ideais o Lingueta, o Wellington Bruno, o Eduardo, o Edu, e ainda poderemos entrosar os recém-contratados Edgar Junio e Bruno ao nosso elenco.
Depois, acho que esses seis jogos em seqüência, às terças e sextas, acabam por cansar mentalmente os jogadores - acho que houve mais falhas defensivas contra o Guará do que vinha havendo até então. Não pode haver relaxamento, mas uma pausa não é necessariamente má.
Descansar a cabeça, acertar o time, e reiniciar com tudo. Nos próximos 6 jogos faremos 4 pelejas na Arena (Sport, Chape, Boa e Figueira) e pegaremos fora o ABC e o Icasa. O que nos impede de repetir esse score, e chegarmos ali na 12ª rodada com uns 30 pontos?

Então, nessa parada, o negócio é cuidar bem do time, esconder nossos jogadores para que nenhum time desesperado na Série A venha enfraquecer o elenco, e deixar o Arturzinho fazer esse time jogar ainda mais do que vem jogando. Já foram dispensados Artur Sanches e Jailton, bem como o preparador físico que estourou meio time - nem sei o nome do cabra, que para arrematar suas cagadas, parece que lá na Ressacola errou de vestiário e se encaminhou para o do bvaí, onde já trabalhara. Vai pro inferno, ô istepô. Tudo parece ir no caminho certo. Tomara. AVANTE, JEC!

8 de jun de 2013

JEC 2X0 AVAÍ. ERA O QUE FALTAVA: A VITÓRIA FORA DE CASA

O time começou encagaçado, e chamou o bvaí pra cima. Era tudo
Chora não, boneca!
que eles queriam, pois até então tinham a segunda pior defesa do certame, com 8 gols sofridos (agora já são dez buchas que levaram), e se o JEC ficasse atrás, eles não teriam que se preocupar com sua confusa retaguarda. 

E tudo ia bem, até fizeram um golzinho não assinalado pela arbitragem - a bola entrou por um pentelhésimo, mas o lance era muito difícil para o bandeira, e aí as chiliquentas começaram a só reclamar, e esqueceram que o Tricolaço estava do outro lado (até parecem não lembrar que no ano passado, pela Série B, abriram o placar com um gol em impedimento e mesmo assim fomos lá e buscamos a virada).
Então, em dois lances iniciados pelo "missi, missi, missi" Charles Albert, o JEC abriu dois a zero. Primeiro com Ronaldo, em jogada de linha de fundo do nosso veterano (ou não) lateral; e, depois, tendo ele roubado uma bola no tranco na defesa, e a lançando à frente, encontrando o Lima, que contou com uma furada medonha do "zagueiro" bvaiano, e só teve que desviar do goleiro Diego bracinho-de-foca para matar o jogo - esse é o Limatador

O chororô é livre. A paquita aí acima está cansada de apitar os jogos, e os árbitros catarinenses, de regra, se cagam todos quando vêem Marquinhos Santos pela frente. Ontem, o Ronan não fez uma ótima arbitragem, mas pelo menos não arregou pra prima-donas da ilha. Na segunda etapa, o JEC apostou na confiabilidade da segunda melhor defesa da Série B - aposta mais do certa. Sandro e Rafael, secundados por Augusto Recife (eu cheguei a dizer que essa tinha de ser dispensado, e me peço desculpas; a demissão certa era a que foi feita, ou seja, Artur Neto), Marcus Vinícius, Rafinha e Carlos Alberto, vêm jogando muito bem. Sequer concedemos ao Avaí faltas próximas à nossa área, que poderiam criar riscos dada a qualidade de Cleber Santana e Marquinhos na bola parada. Controlando os dois meias do bvaí - como fizemos - o jogo ficou à nossa feição.
A "assessora da xuxa" ao final do jogo disse que o árbitro Ronan é "um boca-mole", não tem personalidade. No Catarinense, ele já tinha desancado o Célio Amorim, foi julgado e nada aconteceu. Será que mais uma vez vão passar a mão na cabeça desse aspirante a árbitro? Mas deixemos de falar de coisas pequenas.

No campeonato, estamos na vice-liderança, com a surpreendente Chape na ponta do certame. Em cinco de 38 rodadas, a Chapecoense já conseguiu um terço dos pontos necessários para se manter na Série B, e logo haverá os 20 dias de folga em razão da Copa das Confederações, o que certamente garantirá o fôlego (a força física de seu reduzido elenco) da Chape por mais algum tempo. A campanha é brilhante, e Bruno Rangel - fui contra a sua dispensa no ano passado, como se vê aqui - é o artilheiro do campeonato, com 6 gols. "Impsionante", diria o falecido Chico Anysio.
Mas nós não estamos longe disso, e temos mais elenco. Fizemos doze pontos (com quatro ou cinco jogadores potencialmente titulares ainda fora do time), vencemos o primeiro jogo do importantíssimo mini-Catarinão, e também o primeiro fora de casa, acabando com a eterna ladainha de "time que não ganha fora da Arena", e contra o bvaí, assim como a indiada venceu o figueira no Scarpelli. 

Na próxima terça-feira encararemos o Guaratinguetá. No ano
Cuidado com o Guará!
passado vencemos bem, mesmo fora de casa. E neste ano, o Guará não vem bem. Tem três derrotas, um empate e uma vitória (primeira rodada, contra o América-MG). Não dá pra contar com "the egg in the ass of the chicken", mas mais uma vitória fora de casa é possível, desde que continuemos jogando com a mesma aplicação. Pedro Paulo, nosso bom ex-zagueiro será um dos adversários. AVANTE, JEC!

7 de jun de 2013

VITÓRIA CONTRA O MEQUINHA E O OUTRO CAMPEONATO DENTRO DA SÉRIE B

Vencemos mais uma vez em casa, a terceira vitória seguida em nossos domínios, na última terça contra o América de Natal, em jogo que ficou fácil logo, com a abertura do placar aos 4', com gol de Ronaldo, em jogada aparentemente ensaiada (Ricardinho jogou na área, Sandro cabeceou pro meio, e o atacante chutou, meio sem jeito, mas abrindo o placar). Depois, Marcelo Costa e Sandro - aquele meio sem-querer e este após escanteio - ampliaram o placar, deixando o time com larga vantagem ao descer para o intervalo. O time que voltou para o segundo tempo parecia outro, acomodado pela larga vantagem construída na primeira etapa. Não vejo nada de errado nisso, até com o time já se poupando para o jogo  lá no mangue da Costeira do Pirajubaé, logo mais tarde. 9 pontos, vice-liderança, tudo muito bem, tudo muito bom, mas agora começa uma etapa muito importante.
Vamos brigar forte nesse mini-campeonato.
É exatamente contra o bvaí, hoje à noite, que começa o "campeonato dentro do campeonato", pois durante a Série B disputaremos 18 pontos contra times catarinenses, e nesses confrontos muita coisa pode ser decidida. Se fôssemos reeditar os jogos do Catarinão faríamos 6 pontos apenas (dois empates com o fig, duas derrotas para a Chapecoense e uma vitória e um empate contra o avaí), o que seria muito pouco. No mínimo precisamos fazer 50% de aproveitamento contra os outros times de SC. Não podemos perder os dois jogos pra nenhum dos três adversário (é bom lembrar que no ano passado contra os catarinenses - bvaí e Criciúma, vencemos ambos os jogos).
A Chapecoense, mais uma vez, largou muito bem nesse mini-certame. Venceu o Figueirense, dentro do Scarpelli. Agora é a nossa hora de buscar pontos na Ilha.

O bvaí perdeu para o "parmera", por dois a um. O time da capital (au, au, au...) tem dois "meias talentosos", o Marquinhos e o Cleber Santana. São dois jogadores que podem decidir numa bola parada ou em uma jogada de qualidade, mas, por outro lado, não marcam ninguém, e a "paquita" quando resolve ser preguiçosa avacalha facilmente todo o time de fpolis. 
Ademais, se Augusto Recife e Marcus Vinícius colarem nos dois - desde que não cometam muitas faltas próximas à nossa área - facilmente os anulam. São jogadores que bem marcados desanimam do jogo, principalmente "a assessora da xuxa".
Márcio Diogo - não só pelo golaço marcado contra o Palmeiras, mas também pelo gol que marcou contra o Oeste, em Itápolis, é um jogador a ser marcado de perto.
Se acertarmos a marcação com nossos volantes, e Marcelo Costa e Ricardinho (?) - acho que o jogo era pro Artur Maia e Francis de titulares - conseguirem cair nas costas dos dois meias avaianos e preguiçosos, ficando de mano com Eduardo Costa (já é também um boi cansado) e o outro volante, teremos espaço para jogar e temos tudo pra buscar um bom resultado. AVANTE, JEC!

4 de jun de 2013

B-A-A-A-A: SERÁ UM PRESSÁGIO?

Bragantino, Atlético, Asa, América, Avaí: Um B, quatro A. Será
Canta "Sonho Meu", dona Ivone!
que é um presságio de nosso destino, a Série A? 

Vencendo o jogo de hoje à noite contra o América de Natal, que não parece um time assim tão forte e hoje está com dois pontos - mas tem um jogador que parece perigoso, o tal de Cascata, que já tem três gols - chegaremos a ótimos 9 pontos e 75% de aproveitamento.

Figueirense e Chapecoense se enfrentam em Floripa, e Palmeiras e Avaí se enfrentam em São Paulo (ou onde quer que seja que o Parmera esteja mandando seus jogos). Ou seja, dos cinco primeiros colocados do campeonato, só o JEC pega um time que não está ali em cima na tabela. Jogo pra vencer. Dessa forma, temos tudo para acabar a rodada na vice-liderança, acumulando uma gordurinha para os dois próximos jogos fora de casa (onde andamos mal, mas a maré terá de virar), antes da pausa para a Copa das Confederações, contra Avaí e Guaratinguetá. Depois da pausa teremos Eduardo, Kim, Lingueta, entre outras boas opções.

Se lembrarmos do ano passado, vencemos o Bragantino em casa no pau da goiaba, por um a zero, num jogo em que o "massa bruta" foi prejudicado pela arbitragem, e contra o ASA também vencemos pelo placar mínimo. Neste 2013, um três a zero e um dois a zero, ambas as vitórias de forma tranquila, sem riscos, jogando bem.  Não parece mais restar dúvidas que o elenco deste ano é melhor do que o do ano passado.

Vencer hoje é muito importante. Acho que a sistemática de dar um bônus para os jogadores a cada rodada que estivermos no G4 foi uma ótima ideia da direção do clube. Nada daquelas mini-metas do ano passado que apesar de garantir a permanência na Série A nos fizeram pensar pequeno, assim como o relaxamento (e comemoração) que houve quando chegamos aos 42 pontos, escapando do rebaixamento muito antes de o campeonato chegar a seu fim.

Pelo que acompanho pela internet, Arturzinho vai colocar Ricardinho no time. Disconcordo, como diz o outro. Nosso time ficará menos ofensivo, e nem para a bola parada precisamos dele. Mas é torcer para que "o apagado" - iluminado nem a pau - faça boa partida.
Carlos Alberto será colocado como volante no lugar do suspenso Augusto Recife, e Boiadeiro entra na lateral-direita. Mudança natural, e certa a escalação nesse ponto. 
Rafael volta à zaga, que tem se portado muito bem, para reeditar sua parceria com Sandro. Jussani parece ser a quarta opção defensiva, ultrapassado por Jacó.
Por fim, Ronaldo voltará ao time depois de cumprir suspensão pela expulsão em Goiânia, entrando no lugar de Francis que fez boa partida contra o ASA. Tenho dúvidas quanto a essa opção, mas confio que Little Artur sabe o que faz.
No banco, Wellington Bruno (fora de ritmo, ainda) e Edu. O que falta para o time deslanchar definitivamente é o nosso camisa 9 fazer alguma coisa (seja ele o Lima ou outro que esteja com vontade de jogar bola). AVANTE, JEC!

PS 1: Parece que teremos um novo site, o que é ótimo, porque o atual, apesar de melhor do que o anterior, é bastante pobre.

PS2: E o Rafinha, hein? Eu disse que achamos um baita lateral. Eu o tinha visto jogando pelo Metrô aqui em Criciúma, e fiquei muito bem impressionado. Grande contratação. Opção para faltas, chutes de fora da área, bom defensivamente. Cuidado para que ninguém da Série A o veja. Dizem até que Jorginho, técnico do Flamengo que assistiu à nossa vitória sobre o ASA ficou impressionado com a bola que joga o nosso lateral.