NASCEU CAMPEÃO

Tu és a glória dos teus fundadores

27 de mai de 2013

JOINVILLE ESTREOU MUITO BEM. AMANHÃ TEM MAIS, EM GOIÂNIA.

Um primeiro tempo muito bom, firme, não dando espaço nenhum
Foto: ND Online
ao "massa bruta" - fiquei com dúvidas se se tratava de um time de pedreiros - nos colocou à frente do placar, por dois a zero, com gols de Lima e Ronaldo, sempre com a participação de Marcelo Costa (que fez sua melhor partida com a camisa do JEC, e ainda daria o passe para o terceiro gol, por cobertura, de Artur Maia). 

No segundo tempo, um início um pouco desorganizado, dando algumas chances para o Bragantino encostar no placar, mas os gols foram evitados ou por ruindade do ataque adversário ou em razão de grandes defesas de Ivan
O terceiro gol do JEC matou o jogo, e ainda perdemos a chance de fazer o quarto gol e dormir na liderança do campeonato - o que pouco importaria salvo pela gozação, haja vista que o que importa é estar entre os quatro lá na 38ª rodada. 
Lima desencantou, embora ainda pareça lento e dispersivo. Se ele quiser (e se puder, fisicamente) voltar a ser o artilheiro que já foi, seria muito bom. Quem sabe não esquece.

A defesa continuou sólida, malgrado Carlos Alberto e Rafael tenham se contundido, ao que parece, ambos com pouca gravidade, eis que Charles Albert viajou pra Goiânia, e Rafael deve estar à disposição para sexta-feira, contra o ASA (que tem um time acertadinho, os vi jogando contra o Paysandu, que é fraco). Os volantes bem, com Augusto Recife um pouco abaixo, em razão de ter tomado um cartão ainda no primeiro tempo.
Arturzinho, em entrevista depois do jogo, disse que "defensivamente nosso time está consolidado, às vezes falta ofensividade e criatividade, e isso está sendo cobrado dos atletas". É bem verdade, embora possamos relevar que os desfalques, principalmente do meio para a frente continuam sendo muitos - em verdade um a mais do que para o jogo de ontem. Agora são doze os encostados, embora com retorno programado de pelo menos três ou quatro para o jogo de sexta, em Joinville.


Esse é o "campinho" a encarar.
Em Goiânia, jogaremos no maior gramado do país, o de maior dimensão, o que se, por um lado dificulta a marcação, pode, se tivermos a capacidade de não tomar gol no início do jogo, proporcionar que usemos a dimensão do gramado como vantagem para contra-ataques, e quem sabe, buscarmos uma vitória fora. Na Série B, não tomar gol, ou melhor, não tomarmos o primeiro gol da peleja, é mais de meio caminho andando para vencer o jogo. O Atlético-GO é dos adversários mais qualificados da Série B, oxalá façamos um bom jogo, e consigamos impedir o ímpeto ofensivo inicial de nosso adversário.

Vou relembrar a lição da entrevista do Pelaipe citada no último post: cada jogo é importante. Não adianta achar que perde dois ou três jogos e depois recupera. - Não recupera porra nenhuma. Então, buscar ponto(s) é o ideal. E se conseguirmos buscá-los com os tantos desfalques que temos, imagino com otimismo o que poderemos fazer com o elenco completo.

Haverá o tempo de se falar na importância que terão os 6 jogos (18 pontos) que faremos contra nossos conterrâneos catarinenses - no Estadual, por exemplo, perdemos 6 pontos contra a Chapecoense - "O" Chapecoense, diria a mídia do eixo RJ-SP. Mas isso é assunto pra quando enfrentarmos o bvaí, na 5ª rodada. Logo, primeiro as coisas primeiras. A Goiânia e ao Serra Dourada, então. AVANTE, JEC!

Ficha técnica: Joinville 3 x 0 Bragantino, 25.05.13, Arena
JEC: Ivan; Carlos Alberto (Boiadeiro), Sandro, Rafael (Diego Jussani) e Rafinha; Augusto Recife, Marcus Vinicius, Arthur Maia (Jailton) e Marcelo Costa; Lima e Ronaldo. T. Arturzinho
Bragantino: Rafael Defendi; Macedo, Alvaro, Kadu e Bruninho; Carlinhos (Preto), Elias, Serginho, Deyvyd Sacconi (Magno) e Danilo Sacramento (Dudu); Lincon. T. Mazzola Jr.
Gols: Lima, aos 16’ e Ronaldo, aos 33’ do 1ºT e Arthur Maia, aos 20 do 2ºT 

24 de mai de 2013

COPA DO BRASIL E SÉRIE B: COMO FOI, COMO VAI (OU PODE) SER.

COPA DO BRASIL:
O embate contra o Santos mostrou um JEC muito forte na marcação, e para mim, jogando no esquema da
moda, o 4-2-3-1. A linha de defesa, com um lateral mais preso (Carlos Alberto, até pela necessidade de marcar o Neymar) e um com mais liberdade - Rafinha, que ainda vai crescer muito, pois é bom jogador; dois volantes marcando - poderíamos ter um com mais qualidade para ir à frente, mas tudo bem; três meias Ricardinho ou Artur Maia, Marcelo Costa e Liguera; e um atacante - que realmente anda numa péssima fase. 
Isso já demonstra que Arturzinho não é preso a conceitos prévios, e pode sim abandonar o 3-5-2, de acordo com os jogadores que tiver à sua disposição - e os terá, embora não amanhã, pois há muitos contundidos e alguns ainda fora de forma. 
Volto ao mata-mata propriamente dito: em ambos os jogos, as chances mais claras de gol foram nossas. Em Joinville Rafael impediu um gol do Lima, e Ligüera perdeu um feito. Em Santos, o arqueiro santista defendeu incrivelmente um chute do Ligüera e Sandro teve a bola do jogo num escanteio aos 44' do segundo tempo, para levar o jogo para os pênaltis, mas cabeceou para fora - disse que a bola estava molhada (porra, mas com aquela juba tinha que ter acertado). Uma pena. Concedemos poucas oportunidades aos Santos, que se não vem jogando um bolão, tem jogadores do nível de Arouca, Neymar, Cícero. 
Além disso, nossa torcida se houve muito bem. Em Joinville, estádio lotado, muita festa, elogios em rede nacional ao Estádio e à galera, uma renda de quase 400 mil no bolso; em Santos, uma boa presença de nossos torcedores, as duas organizadas marcando presença, e na TV praticamente não se ouviu a torcida santista, só a Tricolor.
Poderíamos ter vencido lá e cá, mas costuma ser assim quando se enfrenta um time de grande expressão: eles não costumam desperdiçar as poucas chances que têm, e aí, lascou-se. Mas esse time do JEC promete, desde que...

A SÉRIE B: prevejo uma estreia difícil, afinal de contas, estamos com uns dez jogadores encostados no DM para esse jogo (Eduardo, Ricardinho, Lingueta, Kim, Wellington Bruno, João Paulo, Eduardo atacante, Mateus Carvalho, Artur Sanches, Tarcísio, Somália), o que dificulta a escalação. 
Pelo menos a armação defensiva está garantida com Ivan, Cazalberto, Sandro, Rafael e Rafinha, com Recife e Marcus Vinícius de volantes. Na meiúca devem jogar Marcelo Costa, Artur Maia e Jailton (?), com o Lima, que há 7 jogos não marca um golzinho, lá na frente. 
O Bragantino parece que vem com um time experiente, e deles eu conheço o zagueiro Álvaro (ex-Inter e Flamengo, que tá velho), o meia Deivid Sacconi (ex-Palmeiras) e o perigoso avante Lincom (ex-Criciúma). Pelo jeito (só dois atacantes relacionados), eles vêm como no ano passado, jogando num 4-5-1. E não é demais lembrar que vencemos por um a zero, muito beneficiados pela arbitragem. 
Mas não pensemos só nesse jogo, embora uma vitória seja desejável (ano passado estreamos perdendo em casa, embora contra um dos favoritos ao acesso, que acabou se confirmando - Atlético-PR). Vamos pensar um pouco adiante.

Outro dia, Paulo Pelaipe, diretor de futebol do Flamengo, falou algo importante sobre o campeonato de pontos corridos. Cito: "campeonato brasileiro não se decide nas últimas rodadas (...) não tem essa de perder duas, três e depois recupera. Não recupera porra nenhuma. tem de ter a mesma disposição e vontade da primeira à ultima rodada".
Então, pessoal (ou melhor, Arturzinho), nossa missão é fazer esse time jogar com a aplicação que tivemos contra o Santos, por 8 meses ou 38 rodadas. Difícil pra Audálio (que aliás, refugou e não vem mais), porque uma coisa é TV aberta pro Brasil inteiro, Neymar de outro lado, estádio lotado; outra coisa é enfrentar Betim ou Oeste de Itápolis, vinte gatos pingados na arquibancada, enfrentado Monga, Rayllan, e outros craques que veremos por aí. Temos que manter a pegada se quisermos algo. Elenco eu acho que temos para brigar pelo acesso.

Outra coisa importante é largar bem: são seis jogos até a pausa da Copa das Confederações. Bragantino, Asa e América-RN em casa, e Atlético-GO, Avaí e Guaratinguetá fora. Largando bem, teremos 20 dias para tranquilamente planejar a perna mais longa do campeonato, deixar todo mundo em forma, etc. Com maus resultados serão 20 dias infernais, procura de culpados, etc. Atenção, portanto, nesses primeiros 18 pontos em jogo.

Então, até amanhã, na Arena. Quem ficar em casa para ver final de Champions League que não se apresente aqui no blog na segunda, pra comentar qualquer coisa. Lugar de Tricolor é no Estádio Municipal, amanhã às 16h, para ajudar a vencermos o Bragantino. AVANTE, JEC!

16 de mai de 2013

WELLINGTON BRUNO, PATROCÍNIOS, SERIE B PROMISSORA.

1. Copa do Brasil - breves:
Ainda não quero falar de forma aprofundada sobre o embate contra
Macumba não deu. Vamos de Santo(s)
o Santos. Jogamos muito bem, e mesmo assim perdemos. Muita raça, algum acerto tático, e a certeza de que se tivéssemos jogado essa bola no Catarininha, as coisas teriam sido diferentes, em vez de uma melancólica sexta colocação.
De melhor, não sofremos diferença de dois gols, mantivemos a renda em nossos bolsos - com o que parece já se adiantou o pagamento de uma folha, vimos um time mais estruturado, com gana, e com a subida de nível do futebol de algum de nossos jogadores, e uma sensível melhora coletiva. 
Aguardarei o jogo da volta, na Vila Famosa, onde uma classificação é improvável, mas não impossível. O Santos decide o Paulistão, Neymar está - parece - se despedindo para ir à Espanha, o Peixe não vem jogando bem. Quem sabe... Depois da volta, um post sobre o que houve nesse mata-mata. Vamos ver se o JEC não entrega

2. Wellington Bruno - é o novo camisa 10 da Arena.

O sonho antigo da torcida (o terceiro em escala de pedidos, depois de Artur Neto e Arturzinho), o meio-campista Wellington Bruno, ex-Ipatinga, Flamengo e Ponte Preta, desejado desde o jogo JEC 1x0 Ipatinga, na partida mais difícil da Série C-2011, onde gastou a bola, comandando sozinho a meia-cancha do time mineiro e encantando a todos. Que aquele futebol se confirme que teremos finalmente achado um jogador de meio-campo que rege o time, o faz jogar, e ainda marca gols. Uma grande contratação, das melhores que podíamos fazer. 
Parece que essa contratação foi garantida pela explosiva mistura "cubística" de uma caninha 101 mais Red Horse, devidamente preparada pelo Rainor, que se diz assegurou o pagamento do salário do nosso novo jogador (quase ia dizer craque, mas acho melhor segurar a onda, por ora). 

3. Série B que se avizinha, promissora.
Esse campeonato são dois: um nas primeiras SEIS rodadas, uma pausa de 30 dias para ver a Selecinha na Copa das Confederações, e depois as outras 32 rodadas.
Quem largar bem, vai manter a equipe, só treinando para o restante, quem largar mal vai fazer nova pré-temporada, farão contratações "salvadoras", etc. Queremos estar no primeiro grupo [jogos contra Bragantino (C), Atlético-GO (F), ASA (C), América-RN (C) e Bvaí (F) e Guaratinguetá (F)] após a pausa. De 13 a 15 pontos nos deixarão entre os primeiros do certame, nos dando trinta dias de tranquilidade, sem questionamentos às contratações. 

E como começaremos o certame? Jogando com a raça com que enfrentamos o Santos, e ainda com mais qualidade? 
Especulam-se ainda atacantes. Quase certo Edgar Junio (Atlético-PR), fala-se mais discretamente em Lúcio Maranhão (seria ótimo).
Arturzinho terá muitas opções para a meia-cancha (Artur Maia, Ricardinho, Marcelo Costa, Wellington Bruno, Liguera) e parece que igualmente as haverá no ataque (Lima, Kim, Mateus Carvalho, Edgar Junio, Lúcio Maranhão(?)). Enfim, com esses jogadores, nosso técnico terá à sua disposição jogadores para diferentes formas de armar o time, e todas elas qualificadas. 

Poderá escalar de formas variadas. Num 4-4-2 simples, com Liguera e Wellington Bruno no meio. Um 3-5-2, com Rafinha e Eduardo (quando recuperado, logo após a Copa das Confederações) jogando ofensivamente; ou mesmo uma tentativa dessas formações mais modernas, com dois volantes e três meias (Ricardinho mais recuado), dois mais ofensivos (Bruno e Liguera), e apenas um centroavante. Enfim, temos possibilidades muitas, e boas. 
Acertamos patrocínios pontuais para o embate contra o Santos (Tuper, e querem firmar com essa empresa para o resto do ano, e incremento da verba da Romaço), e um definitivo até o fim da Série B (Orbenk). Tudo caminha bem (exceto a ridícula foto do Brüno para qualificar nosso reforço, mas achei a piada do Sacha Cohen vestido de alemão imperdível, me perdoe, meu craque). AVANTE, JEC!

7 de mai de 2013

AGORA, QUEM DÁ A BOLA É O ...

Santos? Não creio - mas também não descreio (êta neguinho pra
ficar em cima do muro...).
Se esse jogo fosse há três ou quatro semanas, meu medo seria grande. Agora estou um pouco mais confiante - ao menos quanto à partida inicial, em nossa Casa
Vejamos: O Santos classificou-se para a final do Paulistão - não é pouca coisa, reconheço - depois de empates com o Palmeiras (time de série B, igual o nosso) e Mogi-Mirim, batendo ambos os clubes apenas nos pênaltis. Antes disso, pela Copa do Brasil, empataram por 2 a 2 com o Flamengo-PI e venceram por dois a zero na Vila Belmiro, com o primeiro gol só aos 38' da segunda etapa - retrospecto recente nada espetacular, convenhamos.
E não há dúvida de que eles vêm a Joinville com a cabeça na final do Paulistão, contra o Corinthians, no final se semana. Embora digam o contrário, parece-me óbvio que a rivalidade estadual preocupe mais ao nosso adversário que o próprio JEC. Ótimo pra nós. De outra banda, Muriçoca declarou que não vai poupar ninguém, embora impossível a escalação de Montillo, por contusão.

Então, se fôssemos escolher um momento para encarar o Santos, não poderia haver melhor momento do que o atual - sem jogar muito bem e em hora de decisão do Estadual de São Paulo. Mas há poréns (e é nos entretantos é que mora o capeta).
O maior dos problemas, então, não parece ser efetivamente o Santos, mas sim a nossa má-fase, a indefinição do time para o importante confronto pela Copa do Brasil. 
Parecia que teríamos três zagueiros. Mas no treino desta segunda-feira, Carlos Alberto fez a lateral-esquerda, para bater de frente com Neymar - acho boa opção, pela experiência. No meio, Ricardinho, Marcelo Costa, Marcus Vinícius e, pasmem, Augusto Recife, farão da lentidão a marca registrada de nosso time ali na meiúca. É rezar para Mateus Carvalho e Lima fazerem alguma coisa lá na frente. 
Arturzinho, ademais, tencionava colocar Tarcísio na lateral-esquerda. Acho um erro. No último jogo a que assisti (se não me engano, contra o Camboriú, na Arena), Tarcísio - de quem gosto - foi uma lástima por ali. Rafinha fez um ótimo Catarinão pelo Metrô, e deveria ser o titular - e ponto. Nesse caso, antiguidade não é posto. Melhor que, ao que soube, Rafinha treinou de titular. 
Assim, se os meus maiores receios estão no próprio JEC e não no Santos (embora seja prudente marcar bem a Neymar), cabe a Arturzinho não ajudar a aumentar nossos medos. 
Se o time for o que aparenta (Ivan, Carlos Alberto, Sandro, Rafael e Rafinha; Marcus Vinícius -falso terceiro zagueiro, Augusto Recife Ricardinho e Marcelo; Mateus e Lima), teremos um 4-4-2 variando pra 3-5-2 com o recuo de Marcus Vinícius, com seis jogadores eminentemente de marcação. Será difícil chegar à frente, mas provavelmente o time ficará mais seguro. Oxalá dê certo, embora me parece que teremos dificuldade na criação. 
Eles vem de santos, nós vamos de Macumba.
Mas me parece bastante importante que busquemos não sofrer gols, e uma vitória é até possível eis que, se queremos algo no confronto, necessitamos de um bom resultado em Joinville (especialmente para que não entreguemos 60% da renda para o nosso adversário), pois na Vila Belmiro será bastante improvável, haja vista que dificilmente o Santos perde em seus domínios - contra quem quer que seja. 

Terminando, e deixando de falar no jogo e passando a uma questão que já encheu o saco mas, puta merda, é recorrente. Hoje parece que a PM só liberou a Arena pra 17 mil torcedores. Porra, dizem que cabem 22 mil no estádio, embora nunca tenha sido liberado para tal lotação. Somente na final da Série C conseguimos liberar para 20 mil. Isso não tem uma solução definitiva? Ficaremos sempre dependendo do bom-senso (e será que ele existe) da PM? Alguém tem que providenciar um laudo definitivo - me parece que a Prefeitura - que permita a completa utilização do Estádio. Não podemos abrir mão de lotar o Estádio quando a chance aparece.
Não vem com santos, que nós vamos de macumba. AVANTE, JEC!

3 de mai de 2013

MAIS UM NOVO JEC. ESPERAMOS QUE MELHOR.

"Lingüeta", Boiadeiro, João Paulo, um goleiro do RS pra reserva do
Acho que esse vai acertar a lateral-esquerda.
Ivan - o Oliveira, Rafinha e Audálio. E segundo o Nereu, na apresentação de Martin Liguera, virão para o clube mais dois meias e outro atacante. Também foi ventilado pelo dono da empresa 
Red Horse - que é nossa patrocinadora master  - o Rainor, que ele vai bancar um camisa dez que o Nereu quiser contratar. Em resumo, estamos fazendo 8 contratações com perfil de jogadores para serem potencialmente titulares, ou seja, um novo time. 
Esses dois meias precisam ser jogadores velozes, pois Marcelo Costa e Ricardinho são jogadores mais cadenciados (para não dizer lentos). 
Dois dos novos contratados - Rafinha e João Paulo são ótimos nas bolas paradas, o primeiro bate forte, o segundo colocado, de perto da área - o que é um ganho considerável para nossa equipe porque Ricardinho batendo aquelas faltas medonhas a gol eu não aguentava mais. 
Especula-se que finalmente a barca seja anunciada - mas parece que só depois do(s) jogo(s) contra o Santos, e se comenta a dispensa de 6 jogadores (apostaria, de cara, em Augusto Recife, Somália, um dos vários zagueiros (Artur Sanches, talvez), um dos laterais-esquerdos,  Jailton e o atacante Bruno Veiga. 

É o JEC 2013, versão 2.0. Um outro time, até porque o do Catarinão (campeonato fraquíssimo, diga-se) não deu liga, malgrado os nomes dos jogadores fizessem pensar que pudesse dar certo. 
Acho que faltaria apenas um zagueiro incontestável, dono da zaga, para formarmos um bom elenco para a disputa da Série B, e podemos contar ainda que lá o início de julho teremos a volta de Eduardo. 
O elenco provavelmente será Ivan, Oliveira e Jonathan (G); João Paulo, Jussani, Sandro, Rafael, Jacó, Sanches (Z); Eduardo, Boiadeiro, Rafinha, Cristian e Pará ou Alex Barros (L);  Audálio, Marcus Vinícius, Carlos Alberto, Tarcísio (V); Ligüera, Ricardinho, Marcelo Costa, Anatole, Fernando Viana, Artur Maia (M); Kim, Matheus Carvalho, Lima, (ATA), e mais os dois meias (um deles parece ser o tal de Diguinho, do XV de Piracicaba) e outro atacante que "serão contratados". Falam no retorno de Pedro Paulo para a zaga (boa medida). Será suficiente? 
O post tá meio mambembe; tentarei melhorar para o jogo contra o Santos - porque pela escalação no coletivo desta tarde, o time não vai melhorar muito não. AVANTE, JEC!