NASCEU CAMPEÃO

Tu és a glória dos teus fundadores

15 de out de 2010

A "FINAL" IV - JEC x MEQUINHA - SOMOS TODOS IGUAIS NESTA NOITE

Na tarde-noite do dia 17, seremos todos iguais lá no Estádio Municipal, todos vestidos de preto-branco e vermelho, na esperança de que o JEC ressurja das cinzas, e conquiste o acesso à Série C, nosso principal objetivo neste ano.
Não se está pedindo demais: uma vitória simples, por um a zero, ou qualquer resultado com dois gols de diferença.
Nessa toada, é bom lembrar que  América fez gols fora de casa em três de seus cinco jogos, um retrospecto que indica algum perigo para JEC. Mas olhando por um outro lado, esse favorável às nossas pretensões, igualmente em três dos cinco jogos longe de Manaus, o América sofreu resultados que seriam suficientes para o JEC. Perdeu uma por um a zero, uma por três a zero e uma por quatro a dois.  

CLIMA:
Vai chover hoje e amanhã, e bastante, como se vê ao olhar pela janela. Domingo a previsão indica pouca chuva, só chuvas rápidas. Mas é certo que o gramado vai estar pesado, o campo vai estar pesado. Não é o melhor dos mundos possíveis para quem precisa da vitória, mas é um piso a que estamos acostumados. Neste ano de 2010, poucos jogos do JECÃO não tiveram alguma chuva. Cuido que podemos tomar essa condição também a nosso favor.

TORCIDA:
Nosso maior público do ano foi no JEC x Avaí - final do primeiro turno. Cerca de 13.500 pagantes. Na finalíssima do campeonato, deu menos gente - choveu bastante, é verdade - e aí a turma feita de açúcar não foi ao Estádio. Como disse acima, o tempo não deve ajudar muito no domingo, mas nem que chova canivete a torcida pode deixar de ir. São 17.500 ingressos à venda (na verdade, devem ser cerca de 11.000, pois há os mais de 6.000 sócios do Tricolor). Embora eu tenha certa desconfiança em relação ao público em razão da chuva que está por aí, espero que ao menos o público da final do turno seja igualado.
Na venda antecipada de ontem, apenas 261 ingressos foram vendidos. Vamos lá, cambada, vamos encher esse Estádio, porra!

O TIME:
Ontem, finalmente, o Leandro Machado parou com as invenções. Treinou no 4-4-2, com dois meias criativos e dois volantes. As opções ainda em aberto parecem ser Paulinho Dias (em lugar de Luis André) e Charles - o que já me dá um certo desespero - em vez de Eder (ou mesmo Pantico). Eu já disse que meu time teria Marcelo Silva e Pantico no ataque, mas acho que vai dar outra coisa.

MEU "ÍDOLO".
Ele voltou. O alagoano voltou! Com "prosopopeias" e tudo mais. Não agüento tanta erudição.

A HORA DE FAZER O JOGO DA VIDA:
Misturando um pouco as músicas - a do título é do Ivan Lins, vou de lugar-comum, mas que ora se aplica. Como diria o Vandré, é hora de fazer acontecer:
Somos todos iguais, braços dados ou não, nas esquinas, escolas, campos [de futebol], construções... quem sabe faz a hora, não espera que aconteça!
AVANTE, JEC! RUMO A SÉRIE C, A HORA É AGORA!

Nenhum comentário:

Postar um comentário