NASCEU CAMPEÃO

Tu és a glória dos teus fundadores

31 de jul de 2010

UM PONTO CONQUISTADO, DOIS PERDIDOS

Depois de tanto tempo pedindo um pontinho fora, finalmente conquistado, não sei se comemoro ou lamento o resultado de hoje, em Porto Alegre. Num jogo em que abrimos o placar aos 26' do segundo tempo, com Pantico, tomar o gol de empate aos 47', quando tínhamos um a mais em campo e o jogo já tinha praticamente terminado, significa de um lado a conquista de um ponto indispensável, mas também a lamentável perda de dois pontos que já estavam praticamente no bolso, no apagar das luzes.
Ouvindo o jogo no rádio, me pareceu uma grande pelada, dadas as circunstâncias. Muita chuva, campo encharcado, e pouquíssimas chances de gol, mas o JEC se entregando em cada bola disputada. Que assim seja, sempre com muita raça e concentração. Na série D, se a igualarmos na raça, vamos ganhar na bola - embora modesto, nosso elenco é melhor do que o da grande maioria de nossos adversários.  
Na primeira etapa da peleja, Pantico chutou uma bola na trave. Logo depois, num erro da zaga do JEC na saída da bola, o São José teve uma grande chance, desperdiçada. E assim foram os econômicos primeiros 45 minutos.
Na segunda metade do jogo, tudo como antes, um prélio amarrado, até que Pantico abriu o placar, de cabeça, após jogada de Marcelo Silva. Faltavam vinte minutos pra acabar e tudo corria "nos conformes" para uma vitória como visitante. Marcelo Silva, ao que tudo indica, cansadíssimo, saiu pra dar lugar ao Renato Santos. Foi a senha pra desgraça - não se deve recuar, penso eu. No apagar das luzes, gol São José. Um minuto antes de acabar o jogo (pelo que entendi da jogada, no rádio), uma falta lá da intermediária jogada para dentro da área foi desviada (ou talvez tenha até entrado direto) por Gustavo e morreu nos fundos de nossa rede. Empate bom e ruim ao mesmo tempo.
Com duas vitórias em casa garantiremos nossa passagem para a próxima fase, e amanhã é possível que fique bastante claro o provável adversário do outro grupo (maiores chances para Metrô, Iraty ou Pelotas - o Marcílio Dias está tenebroso).
Basta fazer lição de casa - e é mais do que obrigação vencer os próximos dois jogos contra São José e Operário. Nosso aproveitamento dentro da Arena, neste ano, é de 71%. São 13 vitórias, 5 ou 6 empates, e uma só derrota - para o Avaí, na final do Campeonato Catarinense. Os dois times que vêm aqui terão de ser batidos, inapelavelmente, se realmente pretendemos alguma coisa nesse brasileirãozinho. Vamos olhar pelo lado bom e celebrar o ponto fora de casa. AVANTE, JEC!

Ficha técnica: São José 1x1 Joinville - Passo d´Areia - Porto Alegre 31/07/2010.

São José: Tiago Luís; Deurik, Carlos Alexandre, Gustavo e Juca (Anderson); Tairone, Marabá, Cauê (Grafite) e Leandro; Rafael Oliveira e Rafael Xavier (Cassiano). T: Luiz Carlos Winck.
Joinville: Fabiano; Rafael Tesser, Fernando, Souza e Chiquinho; Paulinho Dias, Luis André, Ricardinho e Neném (Jocinei); Marcelo Silva (Renato Santos) e Pantico. T: Edinho
Gols: Pantico 26/2º tempo – Joinville. Gustavo 47/2º tempo – São José.

Nenhum comentário:

Postar um comentário