NASCEU CAMPEÃO

Tu és a glória dos teus fundadores

3 de jul de 2010

QUARTAS - JOGO 4 - ESPANHA x PARAGUAI

Capítulo I - Pizzaro X conquistados. Disse o técnico paraguaio que, em 20 vezes, o Paraguai ganharia dos espanhóis uma vez, se tanto. Aposta nessa única chance, todas as fichas - 27 vermelho, seco, na roleta. Uma bola, uma chance. E nos primeiros minutos, mais do que nunca, como diria nosso guia e mentor, o Paraguai demonstrou que poderia cumprir seu plano modesto, pero cumplidor.
Capítulo II: DEFENSORES DEL CHACO: não há nome mais bonito, no futebol mundial, para um estádio, do que o do principal estádio paraguaio. Os defensores do Chaco. Hoje, o chaco paraguaio foi tão bem defendido como o foi no primeiro tempo; a vitória paraguaia e falsificada teria sido merecidíssima.
Mas como afirma Clint Eastwood, "merecer não tem nada a ver com isso", e, dessa forma, merecimento à parte, o fato é que o Paraguai fez um a zero, com Valdez, em gol pessimamente anulado pelo assoprador de abito guatemalteco BATTRES.
Para lembrar Claudio Coutinho, de 78, o placar moral foi de 1x0 na primeira etapa, para os falsificados.
Voltemos a la pelota. Comienza el partido, segunda etapa.

Capítulo III - Impressionante, os paraguaios continuam melhores, quando a aposta era um baile espanhol. Só que nesse baile só cantava Perla, entonando Galopeira. "Foi num baile en Asunción, capital de Paraguai...".

Pênalti. Paraguai. Bate Cardoso. Nas mãos de Casillas. Puta que o pariu.
Um minuto depois, penalidade máxima inventada para a Espanha. Acabou o jogo! 60 minutos perfeitos do Paraguai, e a falsificação se apresenta.
Mas, deixemos Xabi Alonso bater, antes de decretar a morte paraguaia. Bateu - gol - não valeu, porque houve invasão na área. Bate de novo: Villar defendeu, a bola sobra pro Fabregas, pênalti escandoloso (agora sim), o juiz não dá. Já está cagado, já fodeu com o jogo faz muito, no gol de Valdez.
Parênteses: o replay mostra que no pênalti em favor do Paraguai a Espanha invadiu grosseiramente, e o Batráquio não mandou voltar (um peso, dos medidas españolas).

Estamos vendo e ouvindo o samba do crioulo doido. Tudo pode acontecer. Mas se acontecer contra o Paraguai é pura sacanagem. Só há um merecedor neste jogo. São 32'. Haja o que "hajer", o Paraguai merece passar.

EPÍLOGO: então, finalmente, a jogada do craque. Iniesta faz uma jogada linda pela esquerda, Pedro chuta na trave, a bola volta para o craque espanhol (o maior artilheiro desde Butragueño) David Villa, e novamente, com o auxílio das duas traves, marca. Gol. Espanha. 1X0. Agora sim, o jogo acabou.
O sonho do Paraguai, que foi melhor time o tempo inteiro, volta para Asunción. Deverá ser recebido como nunca ninguém o foi. Mas... faltou o craque. Faltou o goleador. Faltou ser time grande. Jogou como nunca. Perdeu como sempre. A Copa América faliu. Brasil sifu, Argentina sifu. Paraguai (o mais injusto de todos) sifu. Somos todos uruguaios agora. Toda a "américa do sul" está lá em cima, no mapa. Um pedacinho de terra com 3,5 milhões de pessoas. Todo o resto sumiu. Que os de la banda oriental prevaleçam. Volta Obdúlio Varela, volta Gigghia (esse não morreu ainda), encarnem no Fórlan, no Muslera, no Lugano, e tragam a glória para esse pequeno pedaço do globo terrestre. URUGUAI.

Nenhum comentário:

Postar um comentário