NASCEU CAMPEÃO

Tu és a glória dos teus fundadores

9 de jun de 2011

POR QUE MOISÉS NÃO ENTROU NA TERRA PROMETIDA?

Na bíblia, Moisés não pode entrar em Canaã (a terra prometida) pois teria desobedecido ao altíssimo, e em vez de falar com a rocha da qual sairia água, nela bateu com seu cajado - partiu pra ignorância sem a aquiescência divina. Não cumpriu a ordem estrita que lhe foi dada.  Mudando o que deve ser mudado, o nosso Moysés não obedeceu ao Poderoso Chefão do JEC.
Resumindo, ele desobedeceu a ordens da direção.
Nereu disse que ficou determinado que ele, o cândido, fizesse viagens a Belo Horizonte e Porto Alegre, para avaliar jogadores de Cruzeiro e Internacional. Além disso, ele deveria fazer a ligação entre a divisão de base e o profissional, devendo gastar metade de seu tempo para cuidar da base, e metade para cuidar dos profissionais. Não que o JEC seja a terra prometida (na verdade, passa bem longe disso), mas o Cândido perdeu seu empreguinho e foi pro beleléu por não cumprir ordens.
As intenções da diretoria - cuidar da base, principalmente - eram corretas e importantíssimas. Não fazer esse trabalho vai contra o "projeto" de futuro do JEC, de cuidar da gurizada para criar jogadores profissionais e fazer caixa (se não fosse o Ramires estaríamos ainda mais quebrados do que estamos hoje).

São essas razões explanadas pelo Diretor de Futebol suficientes para a demissão? Pode-se dizer que sim, pode-se dizer que não.
Se alguém que trabalhasse para mim descumprisse uma ordem, eu também ficaria puto da cara. Continuaria com o empregado?
Tudo é uma questão de análise de custo-benefício. O cara é bom pra caralho? Releva, conversa, reforça a ordem e exige cumprimento, e toca em frente se ele rever seu erro e se dispor a cumprir a ordem. O cara é meia-boca, relapso, e não quer se emendar, manda pra puta que o pariu. Tchau e bença.

Eu acho que o cara era bom, e dava pra contornar o problema. Mas o Márcio é linha-dura e não aceita insubordinação, então, na cartilha marciana, Moysés praticou um pecado mortal, não um mero pecadilho venal. Então, o JEC é assim, e o Cândido, talvez até para afirmar sua autonomia gerencial, avaliou mal a situação e resolveu agir como entendia ser o correto.
Embora eu - e aí é subjetivo, ou seja, cada um pode achar o que quiser - considere que Moysés deveria ficar, até compreendo a demissão, e com o passar dos dias parece mais justificável a demissão do gerente do que a do Giba - pois este é apenas o presente e Moysés também deveria cuidar de nosso futuro.
Vamos ver se o Lazarento (ops, Nazareno) cumpre as ordens, e faça essa porra dessa divisão de base dar resultados (mas não esqueçamos que isso não vai acontecer em 4 ou 5 meses, que tem sido o prazo de validade da pessoas ligadas ao futebol do JEC).

É isso, não é fácil tirar leite de pedra. E se quiseres fazê-lo, é melhor falar com a pedra, e não bater nela, porque alguém pode ficar puto.

Antes de terminar, quero falar de uma coisa, adivinha onde ela anda... (desculpas, por um minuto viajei com o Milton Nascimento). Quero falar de algo de que o JEC não tem culpa alguma -, e por isso, aqui a reclamação não é com o JEC, mas com a FELEJ e com a imprensa (que repercute sem crítica) - mas é que se trata de uma (ou duas) mentira que todo dia é repetida nos programas esportivos, durante o "Momento FELEJ": a FELEJ arrota que cuida da Arena.
Cuidar da Arena é um exagero. Nosso Estádio Municipal está pela hora da morte, no canto ali onde ficava a "desorganizada da curva", está nascendo, na arquibancada, pasmem, uma árvore. Não é mato, não é arbusto, é uma árvore. Vou tirar uma foto no próximo jogo - se eles não lerem e arrancarem - e vou postar aqui. 
E há ainda outra mentira, e dupla - anunciam que foi instalado pela FELEJ um placar de alta definição. Dupla porque o placar foi instalado pela Tupy (pela merreca de 50 contos) e não pela FELEJ, e se aquilo é de "alta definição", minha vó é uma bicicleta, como dizia o pequeno-grande Miguel Livramento (sempre é bom rir e ver esse vídeo aqui, que já postei anteriormente, é um bálsamo). AVANTE, JEC!

11 comentários:

  1. O Jequeano...
    E foi penalti?Fazia tempo que eu não ria tanto...
    ST RAFAEL

    ResponderExcluir
  2. Rafa, olhei o jogo por alto, não sei se foi pênalti ou não. E do que rias tanto, da turma reclamando? Ab, ST

    ResponderExcluir
  3. Sandrão - JOINVILLE9 de junho de 2011 16:48

    Jequeano..
    Post perfeito.. penso exatamente a mesma coisa a respeito da saída do Moisés.

    ResponderExcluir
  4. O Miguel Livramento é uma comédia.Lembro que quando era criança, meu pai assisitia esse programa em uma televisão PB, minha mâe odiava os caras, dizia que gritavam.
    Tempo bom...

    ResponderExcluir
  5. Nossa imprensa infelizmente é uma baita de uma cambada de amadores, infelizmente a verdade é essa basta ter escutado a rádio no dia de hj dá até nojo só falam em Vasco, Flamengo, o meu time ganhou a copa da Brasil, o meu time deixou a copa do Brasil para os coitados, o meu time ganhou o carioca e etc....Me senti um carioca no dia de hj.
    E no canal 11 domingo a noite, que não assisto mais, já fazem uns 3 meses, os camaradas discutiam sobre uma placa em homenagem ao tebaldi que foi arrancada da sala de troféus do jec. O detalhe é que eles batiam na mesa que aquela placa tinha que ser reposta, pois o tebaldi fez muito pelo jec e foi nosso melhor prefeito. Por mim deveriam ter arrancado a placa e cagado em cima ainda, pois desde quando esse cara entrou o jéc só foi pra traz.
    E os caras ainda enfatizavam dizendo que a bela arena foi ele quem fez.
    Pelo menos no governo atual (muito criticado talvez corretamente) as obras que estão em andamento parecem que vão ser concluídas

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Eu só imajino a grana que o nosso ex prefeito desenbolsava todo o mes, pois nunca se via ninguém criticando ele.

    ResponderExcluir
  8. Leonardo, aqui não se fala de política, mas...
    Tu não poderias estar mais certo. Cagar na placa do Tebaldo não deveria ser só uma faculdade do joinvilense, é um dever. Fazer um estádio pela metade e achar que é grande coisa é vergonhoso. Leia, meu caro Leonardo, se tiveres saco, o que já escrevi sobre o assunto: http://jecmania.blogspot.com/2011/02/volta-dos-assuntos-mortos-vivos-arena.html

    Sandro: obrigado pelo elogio. Mas tu és do glória, e elogio de conterrâneo eu não posso aceitar assim, sem modéstia, pois nascemos no berço punk de joinville, onde tocava replicantes, garotos podres, inocentes e outros bandidos desse naipe, e por isso, quem entende aquele pedacinho da cidade como nós entendemos, não pode elogiar um ao outro, por que é covardia e fica até feio. Um abraço ao fernandinho, teu querido irmão.

    Anônimo: quem não viu "os comentaristas" da RCE, numa TV 14 polegadas em preto e branco Colorado, e não riu ou se irritou com o Roberto Alves ou o Miguel, não sabe o que é ou foi o futebol catarinense. Nunca houve um programa tão bom e que levava tão a sério o futebol de SC . Grande abraço.
    Saudações tricolores a todos.

    ResponderExcluir
  9. Olha, eu confesso que nem perco meu tempo assistindo a esses programas dominicais. Só falam bobagem. E só sabem fazer críticas à diretoria ou ao Nereu quando não estão ali ao lado deles. Quando o Nereu é convidado para ser entrevistado, os caras tremem e ficam puxando o saco dele.

    ResponderExcluir
  10. Jequeano, nova dúvida: li que o Arturzinho vai manter praticamente o mesmo time que vinha jogando até agora.
    O problema realmente era o técnico, ou o Arturzinho que vai ensinar os caras a jogar de um dia pro outro?
    Qual é o segredo do Mister M?

    ResponderExcluir
  11. Sandrão - JOINVILLE13 de junho de 2011 09:03

    Jequeano
    Sem contar altas bandas que surgiram lá no nosso "beco". Eu mesmo cheguei a ter uma na garagem lá de casa.. .e volta meia tocávamos no Osvaldo Aranha.. hehe

    Eu até posso mandar um abraço pro Fernandinho... mas seu eu falar em "jequeano" ele vai saber quem é? rsrsrs

    Quanto ao nosso JEC, prefiro nem comentar... tô sem saco!!!!!

    ResponderExcluir