NASCEU CAMPEÃO

Tu és a glória dos teus fundadores

28 de jan de 2011

FIM DE SEMANA PARA BARBA, CABELO E BIGODE - JOGO E ANIVERSÁRIO DO JEC

Teremos um final de semana movimentado. Aproveitando a sugestão, nos comentários, do Sandro, leitor assíduo, falo do jogo e do aniversário do Tricolor - 35 anos - que nasceu campeão.
Nasci mais ou menos um ano depois da fundação do JECÃO, e comecei ir ao estádio, com meu pai, lá pelos 4 anos de idade. Então posso dizer que acompanhei de perto uns 30 anos da história de nosso Clube.
Nesse período, algumas alegrias, algumas tristezas, mas sempre parte importante de meu dia-a-dia, na arquibancada, ou com o ouvido colado ao rádio, ou pela internet quando morava longe de Joinville.
Vi Paulo Egídio (pra mim o maior), Nardela, Maringá, Wagner, Valter, Alfinete, Jacenir, Leandro, Adilson, Adilço, Moreno, Geraldo Pereira (mas também Geraldo Touro), Ademir Padilha, Paulinho Cascavel. Em outra época, Marcão, Magal, Zé Carlos (vulgo Zé Galo), Héverton (e até o Bandoch), Adão, Selmir. Vi Perdigão, Doriva, Lico, Fabinho, Juari. Nas vacas magras, Jairo Santos, Lica, Emerson, Pansera, Alcinei, Bandeira, Maurício, Silvy, Marlon, etc, etc.  Comentem aí os jogadores de quem vocês se lembram.
Já bati palmas pro Waldomiro, agüentei Florêncio, Bartholi, Adelir, Irineu, Márcio e Nereu.
São muitos boleiros e cartolas que já vaiei, já apoiei, mas sempre sabendo que o JEC é muito maior do que eu, do que qualquer nome, do que qualquer individualidade. É o JEC, porra!
Essa, aí abaixo, é a programação do aniversário de 35 anos do Tricolor. Não vai ter chopp, espero que a turma da V02 não seja evangélica - sem qualquer ofensa a quem seja - e contra a bebida. Aquele choppinho na Arena, nas manhãs de sábado era uma grande idéia. Participemos, compremos a camisa comemorativa (vão fazer um teste com a venda em lojas que não a Toca), gritemos, torçamos, berremos JEEEE-QUEEEE, JEEE-QUEEEE, a plenos pulmões. Eis a programação:

- Sexta, das 8 às 19 horas e sábado, das 8h ao meio-dia, Toca do Coelho: venda antecipada de ingresso, com desconto, para Joinville e Chapecoense.

- Sábado, às 10 horas, na Toca do Coelho: lançamento oficial (e venda) do livro “Glória e Fracasso: a história de uma paixão”, do estudante de jornalismo Alexandre Perger.
- Sábado, das 8h ao meio-dia, na Toca do Coelho: venda da camisa oficial de jogo comemorativa dos 35 anos do JEC, a mesma que o Tricolor vestirá contra a Chapecoense.
- Sábado, em horário comercial: atendendo aos pedidos dos torcedores, a camisa comemorativa dos 35 anos será vendida em outros cinco estabelecimentos. A princípio, serão cinco os locais: Apolo Sport, Cia do Esporte, HSports, RS Sports e Lojão Beber.
- Sexta, das 8 às 19 horas e sábado, das 8h ao meio-dia, Toca do Coelho: troca de ingresso para mulheres e filhos de sócios torcedores. Para o jogo entre JEC e Chapecoense, a entrada de esposas e filhos de sócios será franca. Para tanto, o sócio, munido da carteirinha, documento pessoal e documento dos familiares deverá trocar os ingressos na Toca, até ao meio-dia.
- Sábado, 19h30, Arena: jogadores vestirão camisa comemorativa dos 35 anos e entrarão em campo com uma faixa de agradecimento à torcida. Selo comemorativo no centro do campo. Show de fogos e fumaça na entrada do JEC em campo.
-Sábado, 19h30, Arena: A convite do presidente Márcio Vogelsanger, os ex-presidentes do JEC serão convidados a acompanhar a partida no camarote do clube, juntamente com outras autoridades.

Amanhã, portanto, todos à Arena. Gostaria eu de levar meu pai (que levava eu e meu irmão , um canguta e o outro no colo, nos jogos cheios), mas ele já se foi. Meu irmão também, com quem assisti a um JEC x Marcílio sob uma chuva imensa, mas ele também não está mais por aí. Meu filho ainda é muito pequeno - fez um ano outro dia - e se ele começar a chorar ou cagar nas calças, teria eu de sair do Estádio - e isso eu nunca faço antes de o jogo acabar (pra mim, quem sai antes pra evitar o trânsito é um puta corneteiro).

Por isso, como sempre, amanhã vou sair de casa, tomar umas cervejas de posto de gasolina e da padaria lá da esquina da Arena antes de, sozinho, ou com um grande amigo, tomar assento nas arquibancadas descobertas, preferencialmente atrás do gol dos fundos do Estádio, como fazia quando sentava no poleiro do Ernestão, e torcer, torcer, torcer.
Ah, falta falar do jogo. Desculpem-me, mas o jogo não tem importância nenhuma. Viva o JEC! AVANTE, JEC!

3 comentários:

  1. Bom jogo a todos...terei que acompanhar na radio, já que o PFC não irá transmitir. Mas Noroeste x Americana e Oeste x Mirassol estão garantidos no canalzinho!!
    É pra phuder!!!

    ResponderExcluir
  2. Eba, vai passar Avaí x JEC pela RBS na próxima semana.

    ResponderExcluir
  3. Mario L. Nascimento29 de janeiro de 2011 02:06

    Alguém sabe por que a RBS mudou a programação? Será que aprenderam a fazer contas? Passar Chape x Figueira pra metade de Fpolis e deixar de passar Avaí x JEC pra Joinville inteira, só se não souber fazer contas.

    De qualquer forma, eu fiz um monte de comentários condenando as transmissões no Blog do Braga (RBS) e muita gente comentou no mesmo sentido. Ele não pode fazer muita coisa (as decisões são tomadas na ilha), mas encaminhou para lá e parece que alguma coisa mudou.

    Nada como uma boa pressão do público. Sugiro que a gente não deixe de comentar sobre isso. Aqui e em qualquer outro lugar onde houver espaço pra isso. Eles têm o monopólio, mas nós temos o controle remoto.

    Ainda assim, o JEC está fora do PFC. Perderam um cliente em potencial. Se passassem os jogos do JEC eu seria mais um assinante, para ver os jogos em Curitiba. Se eles souberem o quanto estão perdendo, quem sabe isso também muda.

    O comentário geral: a RBS deu o maior drible da vaca nos clubes do interior. Todos eles reclamaram dos valores da suas cotas no ano passado. A RBS aumentou as cotas de todos para 2011. Só que ninguém lembrou de cobrar quem vai aparecer. Daí lançaram aquela programação em que iriam transmitir só os jogos dos dois de Fpolis. Daí se imagina que os jogos deles devem bombar no interior. Por que na capital, só atinge a metade. Por esse raciocínio, o clássico deles deveria bombar no resto do estado, certo? Errado. Nas rodadas dos maiores clássicos, passa Criciúma x JEC (e vice-versa no outro turno).

    Os clubes do interior precisam acordar para isso. Transmissão não vale só pela cota paga pela emissora. Vale (mais até, para quem sabe negociar) também pela exposição das marcas dos patrocinadores. O que o patrocinador vai preferir: estampar a marca nas camisas de um time que aparece só para o estádio, algumas fotos e por poucos segundos nos gols ou para outro que será visto (além dos já citados) por todo o estado durante o jogo?

    Acordem!!!

    ResponderExcluir