NASCEU CAMPEÃO

Tu és a glória dos teus fundadores

3 de abr de 2011

CRICIÚMA X TIGRE - TEMPO QUASE REAL (É O DELAY DA SKY)

Aos 3' o Criciúma teve boa chance. Aos 11', bateu o reumatismo no Ramon que teve de ser substituído pelo Jonatas. O bom é que tão logo nosso vetusto jogador sentiu a perna, já pediu pra sair, espero que para não agravar a lesão. O fato é que Ramon, até agora, ficara em campo todos os jogos, durante todo o tempo. Lima, enquanto se procedia à substituição, fez boa jogada e chutou de longe.
Nos dez primeiros minutos o Tigre esteve um pouco melhor. A partir dos dez o JEC teve três boas chances, duas vez com Lima e uma com Jailton.
O jogo assentou, acalmou. O avante criciumense, o tal de Lincoln, segurava bem com o corpo nossos zagueiros, sempre levando perigo. Gilton, quando tinha de ir mano a mano contra o Roni, ia bem, mas às suas costas sempre havia espaço para jogadas do Tigre, pela direita do ataque deste.
Muitos erros simples de passes prejudicavam nossa saída para o jogo, nosso contra-ataque. Jocinei foi quem mais errou passes. Nós não conseguimos entrar dentro da área, e qualquer analfabeto sabe que de dentro da área é mais fácil fazer gols.
O primeiro tempo acabou igual. Vamos para a segunda etapa.

Nossa bola aérea defensiva continua problemática - o primeiro toque na bola sempre era do Tigre. Isso pode dar merda, qualquer hora dessas (mas hoje não deu).

Aos 8', Lima teve ótima chance, mas a bola caiu na perna ruim. Aos 9', resposta imediata. Ótima defesa de Max e, no rebote, bola na nossa trave. O JEC deixou o jogo ficar mais aberto, o que não era interessante para quem estava jogando fora de casa e deveria (mas não conseguia) jogar no contra-ataque.

Aos 15 minutos, depois de quase termos feito três gols na mesma jogada, na batida do escanteio, o Lima, depois de sofrer pênalti e tudo, e mesmo sentado abriu o placar para o Tricolor. 11 Gols no Catarinão (empatado com Leandrinho, que meteu três pelo Brusque, hoje).
Mas PQP, dois minutos depois, empate criciumense. Gol de Roni, de cabeça, sobre o Gilton - que hoje não foi bem (talvez falta de ritmo pós-contusão na asinha).
Pedro Paulo não teve problemas no jogo, pois coube ao Linno marcar o único - e  perigoso - atacante de ofício do CriciúmaLinno que fez ótima partida, uma vez mais.
O Criciúma esboçou uma pequena pressão. Fernandinho entrou - imagino eu que para dar um pouco mais de qualidade no passe - dada a grande quantidade de bolas que o Rodeio passou mal, mas pouco fez o Santa Clara (eterno amor do alagoano).
Aos 31', lance duvidoso - possível pênalti sobre o Lima. Pareceu normal, tanto que nem nosso atacante reclamou (e nisso ele também é especialista - nisso e em fazer gols.
Aos 38' Lima perdeu gol feito - uma injustiça, considerada a ótima partida que nosso atacante fez - após jogada de vontade e sorte do Tiago Real.
Nada mais de importante houve. Empate por um gol. Poderíamos ter ganho.
O JEC, sem o brilho da semana passada, foi consistente. Gostei. Comentários mais elaborados só amanhã. Dormiremos fora do G4, mas só dependemos de nós mesmos. AVANTE, JEC!
Ficha técnica: Criciúma 1 x 1 JEC, Heriberto Hülse, 03.04.11

JEC: Max; Daniel, Pedro Paulo, Linno e Gilton; Diego Zanuto, Mateus, Jocinei (Fernandinho), Jaílton (Tiago Real) e Ramon (Jonatas); Lima. T: Giba.
Criciúma: Andrey; Fábio Santana, Rogélio, Toninho e Fabiano (Diego Felipe); Carlinhos Santos, Mika, Rosembrick (Diogo Oliveira) e Pedro Carmona (Valdo); Lincom e Roni. T: Guilherme Macuglia.
Gol: Lima, aos 15/2º tempo.

14 comentários:

  1. Lima procurou o jogo, mas perdeu dois gols de maneira bisonha. Se ele caprichasse mais, poderia pedir várias músicas no fantástico. E que lance do Jaílton antes do gol, hein? Que beleza!

    ResponderExcluir
  2. Sandrão - JOINVILLE4 de abril de 2011 08:11

    Lamentável a jogada do Jailton não terminar em gol.

    Lima perdeu 2 outras chances claras... que pena!

    Só não entendi porque o Giba já não entrou com o Fernandinho logo de cara quando precisou substituir o Ramon.
    Aquele Jonatas já deu pra bola... ruim demais!!!
    Além do que.. tinha todo o histórico das encrencas com o Fernandinho junto ao Criciúma, e a entrada dele podia ter botado mais pressão pra cima do Criciúma logo de cara.

    Bom jogo... acho que o JEC se comportou bem lá no sul.

    Agora é ganhar, ou ganhar, ou ganhar!!!!!

    6 pontos é obrigação!

    ResponderExcluir
  3. Corre um boato de que o JEC poderia estar negociando com um jogador que já passou pela Seleção, e que esse jogador possivelmente seria o Kleberson. Alguém sabe algo mais sobre isso?

    ResponderExcluir
  4. Sandrão - JOINVILLE4 de abril de 2011 15:04

    Também ouvi falar.

    Se for, seria um bom meio de campo jogando ao lado de Ramon.

    Independente de reforços pra série C... agora o negócio é focar as 2 partidas restantes contra a águia e o jacaré.

    Só o cume interessa!!!! hahahaaha

    ResponderExcluir
  5. Acho que a nossa briga daqui em diante é para tentar chegar em terceiro lugar. Se na semifinal, nós, terceiros, ganharmos do segundo, e o quarto ganhar do primeiro, a final do returno será na ARENA. Terceiro é o ideal, já que não seremos mais primeiros e o Figay, que tem 14, provavelmente vai confirmar pelo menos mais uma vitória. Mas acho que mesmo que cheguemos em terceiro e façamos uma vitória contra o segundo, o quarto não vai se ajudar, então devemos nos preparar, espero, para DUAS batalhas fora de casa.

    ResponderExcluir
  6. O filho do seu Kleber está para vir para o Joinville? NO flamengo era um jogador muito dispersivo, sumia do jogo. Se vier, viria para ser mais meia do que volante - nas partidas que participou no ATL jogava num 3-5-2, mais de volante que sai para o jogo do que como meia. E qual o salário do rapaz. Não é titular nem do Atlético-PR. Só virá, acho eu, se o ATL pagar o salário. Mas acho que pra série C seria um craque.

    Nesse Catarinão, se classificarmos será em 3 ou 4o, não dá mais do que isso, e aí volta a necessidade de ganhar de alguém fora de casa, provavelmente duas vezes. Acho que o melhor, então, seria enfrentar a Chapecoense na semi e ir pro tudo ou nada na final.
    Ab, ST

    ResponderExcluir
  7. Bela partida do Linno, vem se destacando a cada jogo, para mim seu "parceiro" na zaga é o Souza, é só ele entrar em forma que essa vaga é dele. Nosso P.P é muito lento. Gostei muito do Zanuto, mais uma bela apresentação dele.
    Falando do jogo de domingo, quero ver o comportamento da equipe com Gilton na esquerda e Eduardo pela direita.
    Estamos evoluindo na hora certa, ainda que poderiamos ter sorte melhor na terra do carvão, se entrarmos entre os quatro, podemos sim vencer fora de casa.
    Avai, figeyra, tigrinho não botam mais medo, indiarada ja, ja começa a pipocar como todos os times que o Ovelha treina.
    É esperar para ver.
    Sorte para nós!
    Saudações Tricolores!

    ResponderExcluir
  8. Cristiano, para mim também o Souza é o parceiro ideal pro Linno. Ab, ST

    ResponderExcluir
  9. Acompanho o pensamento de vocês, o Souza já confirmou sua titularidade ano passado, quando fez uma belíssima série D. Linno e Souza serão os nossos zagueiros. Renato Santos é uma excelente opção para o caso de uma emergência. O PP é como o Cristiano disse, lento.

    ResponderExcluir
  10. Mario L. Nascimento5 de abril de 2011 11:52

    Amigos,

    concordo com todos que o PP (já teve um no Caxias, na década de 60, mas era meio-campo) é lento. O Souza, com ritmo de jogo e em forma, fará uma dupla mais consistente com o Linno. Acho que Linno (não consigo deixar de lembrar do Mario Vianna, com dois enes... hehehe), Souza e PP pode ser um trio bacana para um 3-5-2.

    Sobre o JEC só depender de si para se classificar, não é bem assim. O pessoal do marreco e o gatinho desdentado estão na nossa frente. O time do vale do Itajaí joga contra o Metrô em Blumenau e contra a indiarada do oeste em casa. Os bananas de pijamas pegam o Marinheiro no porto e o frangote do oeste no mangue. Se os dois ganharem seus jogos, babau. O JEC só se classifica se o ventinho do estreito no máximo empatar seus dois jogos (contra a jaguatirica do sul em casa e contra o Zimba, lá na dita). Ainda assim o JEC teria que ganhar seus dois jogos e tirar uma diferença de 3 gols no saldo. Não alcançamos mais o índio. Pelo número de vitórias ficam na nossa frente, mesmo que percam as duas. E ainda tem o Cri-cri, que está com o mesmo número de pontos e de vitórias e só um gol a menos de saldo, com 3 gols marcados a mais.

    Se perdermos a classificação será devido ao empate em casa contra o inexistente Concórdia. Com direito a gol de Miro Bahia no finzinho do jogo. Todos os outros resultados foram normais.

    Que sina, não? Em 2009 não fomos à decisão por pontos perdidos contra os menores. Em 2010 deixamos de decidir em casa pelo mesmo motivo. Quando o JEC vai finalmente jogar como time grande? A goleada contra o Avaí e o empate em Criciúma (sem o Ramon) mostrou que não é questão de qualidade. De novo o tema de sempre: há algo errado com o lado psicológico, emocional ou algo assim. Quem trata dessas questões no Joinville?

    ResponderExcluir
  11. Mário, só de pontos imperdíveis, perdemos 8 (3 contra Marcílio, trÊs contra Metrô e 2 contra Concórdia) contra os três lanternas do campeonato. Só com esses pontos teríamos os mesmos 31 pontos da indiada, no geral, e teríamos sido os primeiros da primeira fase. Que bela trapalhada, hein?

    ResponderExcluir
  12. O problema do Joinville este ano em nenhum momento foi falta de qualidade. Até poucas rodadas atrás o time do Joinville era um bando de jogadores em campo. Os caras colocavam a camisa, entravam em campo e Deus que nos ajudasse. Agora, porém, percebe-se ORGANIZAÇÃO tática. O Giba está se mostrando um excelente "professô". Acho que mesmo que aconteça o provável, que é o JEC não ser campeão (torço pelo improvável), o Giba tem grandes chances de se manter no cargo. O JEC vai terminar o campeonato bem, atuando bem, não fará sentido algum o Giba sair da equipe. A Diretoria do JEC adora usar um ou mais técnicos para um mesmo campeonato, mas acho que o Giba tem grandes chances de virar uma exceção.

    ResponderExcluir
  13. Mario L. Nascimento5 de abril de 2011 14:21

    É por essas e outras que digo que o assunto "lado" psicológico, emocional, motivacional (dá para dar vários nomes ou várias nunances do mesmo problema) é uma das coisas mais importantes dentro do JEC. Deixando os 3 pontos do Marcílio, que ao meu ver foram para derrubar o Leandro (não que isso seja certo, mas aconteceu assim), os outros 5 (3 contra o Metrô e 2 contra o Concórdia) só podem ser explicados por um desarranjo emocional. O time não encontrou equilíbrio para vencer adversários muito mais fracos. Não digo apenas teoricamente mais fracos. Suas campanhas estão aí para mostrar o desempenho de ambos.

    Até onde se sabe, o diretor de futebol acha isso tudo uma bobagem e que só o treinador dá jeito nisso. Só que o time sofre desse mal há quase 10 anos. Quantos treinadores já passaram pelo clube? Será que foram todos incompetentes nesse aspecto? Eu não tenho dúvida de que só o trabalho de um profissional da área, com experiência específica no futebol pode dar jeito nisso.

    Ontem vi um exemplo de como algumas questões podem ser resolvidas com algo além da intervenção do treinador. No "Bem Amigos" foi abordado o caso Cuca x Roger no Cruzeiro. O treinador queria "isolar" o jogador e a intervenção da diretoria, chamando ambos para conversar e acertar os ponteiros foi decisiva. A partir da conversa, o Roger voltou ao time e tem sido um dos seus jogadores mais importantes.

    É tudo que nunca se vê no JEC. Parece que esse tipo de assunto é sempre deixado para ser resolvido com o tempo. E esse tempo nem sempre existe. Ou nem sempre é suficiente. E, como diz o canto da torcida: "não é mole não. Estou cansado de perder em decisão".

    ResponderExcluir
  14. Emerson: às vezes faltou qualidade, sim. Já vimos cada cabeça de bagre por aqui que dava dó. Agora, com certeza, se tivermos um técnico mais ou menos (nem precisa ser aquilo tudo), que consiga montar um time, e não um amontoado, com jogadores de razoáveis para bons, e que estes joguem com vontade (por que também já vimos cada joguinho chocho que nem te conto), essa jabiraca vai pra frente.

    Mário: acho que a própria diretoria tem culpa nisso (como já diria o infame, tem culpa todo mundo), não só por não contratar um psiquiatra, psicológo, macumbeiro ou coisa que o valha, mas por implementar, repetidas vezes, um clima de caça às bruxas, de eterna renovação de elencos quando perdemos alguma competição. Ou seja, ou ganha, ou vão todos pra rua, tudo que estava aqui até agora tava ruim, vai ser todo mundo demitido, vamos contratar um time novo daqui a cinco minutos. Quem é que não treme nas bases com uma "confiança" dessas passada pela Diretoria? Ab, ST.

    ResponderExcluir