NASCEU CAMPEÃO

Tu és a glória dos teus fundadores

15 de mar de 2011

A "SELEÇÃO" DO JEC EM ANOTÍCIA. CONCORDAM?

Abri no domingo último, ansioso, o AN para ver a "seleção de todos os tempos" do JEC. Ei-la, segundo leitores (internautas, na verdade):
Gilmar, Alfinete, Bandoch, Edinho Baiano e Jacenir; Ramirez, Maringá, Moreno e Nardela; Geraldo Pereira e Paulinho.

Desculpem-me os jovens, mas nessa vou de Nelson Rodrigues. Ele tinha um prudente conselho aos jovens: ENVELHEÇAM!

Não que eu seja velho, e muito menos quero ser o dono da verdade, mas pelo menos 5 jogadores dessa lista eu não colocaria nem a pau numa relação de melhores jogadores da história do JEC.

Eu pouco acompanhei os primeiros oito ou nove anos de nossa história, era criança , e então não posso opinar com toda a certeza sobre alguns desses que mencionarei, por não tê-los visto jogando. Mas sempre podemos buscar a história, ouvir aqueles que a presenciaram pessoalmente, que estão aí desde mil novecentos e Aracy de Almeida.
Grande Araca!
Enfim, temos a obrigação de saber que o mundo não começou com Sandy e Junior (Carlos Heitor Cony cunhou esta frase, mas ele citava Elis Regina em vez dos irmãozinhos pop; contudo, dada a juventude de hoje, sou obrigado a citar a "devassa" Sandy), ou seja, há muita coisa imporante acontecida antes que disso pudéssemos nos dar conta.

Onde estão Valter Diab, ou Bosse, ou Borrachinha, ou Marcão?
Onde estão Vagner Bacharel, Leandro, Léo, Adilson, Adilço?
Onde estão Jorge Luiz Carneiro, Júnior, Veiga, Fontan, Vagner, Paulinho Cascavel, PAULO EGÍDIO (essa ausência pra mim é indesculpável), Zé Carlos Paulista, Marcos Paulo, e o Lima - muito melhor que o Paulinho - Ademir Padilha, Linha, LICO, Tonho, entre vários outros?

Como diria Miguel Livramento naquele vídeo que postei outro dia, se o Paulinho jogou mais que o Lico, que o Paulo Egídio, que o Padilha, minha vó é uma bicicleta!

Que títulos com a Tricolor têm Gilmar, Bandoch (tá, ganhou um), Edinho Baiano, Ramirez e Paulinho (também tem um, mas sequer era titular)?

O Ramirez virou craque depois que saiu daqui. Não me venham com essa de que por aqui já era o bom da boca. Aqui era deslocado ora para a lateral, ora jogava de volante, e há muitos da imprensa que hoje o incensam, mas naquela época queriam vê-lo crucificado, chutado para fora do JEC como cão sarnento. Quem realmente viu o seu futebol foi o então técnico do Figueirense, o Adilson Batista.
Sempre aparece pai pra filho bonito! Tão votando no Ramirez do Cruzeiro, do Benfica e do Chelsea (e esse realmente joga muito e admiro seu futebol), não no Ramirez do JEC!

Sou capaz de escalar um time que, fazendo algumas substituições (acho que manteria 5 ou 6 dos escalados pelo "povão" da internet, talvez se tivesse acompanhado o Clube desde 1976 - quando nem era nascido, mudasse ainda mais), daria de goleada nesse aí. Qualquer um poderia fazê-lo.

Mas, reconheço, essa juventude do videogame e internet só vota (ou gosta) no que viu, e o tempo que importa é o de hoje.
Não quero ser saudosista, mas os fatos são os fatos, e não podemos subvertê-los asssim, impunemente. Craques do passado foram preteridos por jogadores não mais do que razoáveis de um tempo mais recente. Ora, é que bem sei  que "o que há algum tempo era novo, jovem, hoje é antigo... e o passado é uma roupa que não nos serve mais", como diria Belchior - outro que anda esquecido. Mas daí a desprezar completamente o passado vai uma distância enorme.

Acho mais do que tudo, triste que grandes craques tenham sido esquecidos/preteridos. Tentei lembrar de alguns deles nesse espaço, e humildemente, os aplaudo de pé, pois foram eles que fizeram a história do Tricolor.

Nesse mote, não posso deixar de mais uma vez elogiar a iniciativa do JEC em prestar aquela homenagem ao nosso primeiro time, àqueles que pela primeira vez, em 09.03.1976, envergaram a camisa branca, preta e vermelho-sangue do nosso JEC. Hoje não tem "AVANTE, JEC", hoje é AO PASSADO, JEC!

14 comentários:

  1. Sandrão - JOINVILLE15 de março de 2011 14:46

    Vou citar aqui alguns que (mesmo criança) eu vi jogar, pois SEMPRE fui ao estádio desde que o JEC nasceu. Meu pai levava eu e meu irmão mais velho, junto com nossa garrafa térmica cheia de capilé..hehehe... bons tempos!

    Caras que me encantaram e fizeram meu amor pelo JEC crescer mais e mais:

    BORRACHINHA
    ADILÇO
    ADILSON
    VAGNER BACHAREL
    JORGE LUIZ CARNEIRO
    LICO
    PAULO EGÍDIO
    NARDELA
    ALFINETE
    JACENIR
    JOÃO CARLOS MARINGÁ
    ZÉ CARLOS PAULISTA
    LADINHO
    BARBIERI
    e
    WALDOMIRO SCHUTZLER

    Não dá pra falar nos melhores sem citar o Waldomiro Schutzler... e inclusive ums dos mais apaixonados Jequeanos: Cau Hansen !

    Sim, porque foi graças a paixão e incentivo financeiro de Cau Hansen que o JEC se tornou uma realidade nos saudosos anos 80!

    Tá, tá, tá... eu sei que eu citei mais de 11 jogadores e que todos eles simplesmente não caberiam no mesmo time. Mas, como já disse no início, são caras que eu vi jogar e que ficaram na minha memória como "os caras" que fizeram do JEC um milagre possível !

    A todos esses... meu mais sincero OBRIGADO !!!!

    ResponderExcluir
  2. Que injustiça, vocês esqueceram de mencionar o Perdigão e Selmir hehehehehe

    ResponderExcluir
  3. Bom galera, na verdade nao acompanhei tao de perto nosso time nos anos 80, mas me lembro de alguns como Borrachinha, Paulo Egidio, Alfinete, Nardela, Maringa, Zé Carlos Paulista, Lico, Perdigao,entre outros, entao assim como eu, mesmo sendo véinho e ja totalmente habituado a internet mencionei os mais antigos jogadores e que levaram o nome da cidade e do time pelo Brasil afora.

    Mas é notótio que nossa torcida é bem jovial, então é bem provavel que nomes mais recentes apareçam e os jogadores mais antigos fiquem de fora.

    No mais, Sds Tricolores

    ResponderExcluir
  4. Assassinei a lingua portuguesa, onde lê-se notótio favor considerar "NOTÓRIO"

    hehehehehehe

    Sds Tricolores

    ResponderExcluir
  5. Rapeize (salve Cacau Menezes): comecei a ir ao estádio com 4 ou 5 anos, lá pelos idos de 82/83, na canguta de meu pai, mas disso tenho quase nenhuma lembrança. Jorge Luiz, Ze Carlos, Barbieri, Ladinho, destes não me lembro, infelizmente.
    E é claro, podia-se levar a bebida de casa - meu pai fazia um cubinha de um litro e meio numa garrafa de água mineral para beber com seus amigos.
    Bons tempos, bons jogadores. Essa gurizada - e é ótimo que tenhamos torcedores jovens (já falei de um jogo contra o Lousano Paulista, em que jogava o casagrande em que não havia mais de 300 torcedores, e todos idosos - tem o seu time do coração, tenho que entender, mas não consigo, realmente. Só viram o JEC das vacas magras.
    Tenho um amigo que diz que o melhor lateral esquerdo que ele viu por aqui foi o Gilmar Nass. Esse sim nasceu em uma época triste (rs).
    Ab, ST.

    ResponderExcluir
  6. Mario L. Nascimento15 de março de 2011 17:48

    Jequeano,

    depois do F5, o primeiro comentário.

    Time do coração, um 4-3-3 clássico, com justificativas:

    Raul Bosse
    Alfinete
    Pompeu
    Vagner Bacharel
    Ladinho
    Piava
    Fontan
    Nardela
    Paulinho Carioca
    Zé Carlos Paulista
    Lico.

    As justificativas:

    1) Esse time tem a maioria dos jogadores oriundos de Caxias (Pompeu, Piava e Fontan) e América (Bosse, Ladinho e Lico), mostrando que o futebol de Joinville já era bom antes do JEC. Faltava organização.

    2) Para quem não viu jogar:

    > Bosse estava no mesmo nível dos melhores goleiros que passaram pelo JEC (Borrachinha e Valter)

    > Pompeu era um zagueiro no estilo clássico e com muitos recursos. Nunca o vi dar sequer um pontapé.

    > Piava foi o primeiro e (junto com Jorge Luiz Carneiro - deixando o Ramires para outro comentário) melhor médio volante da história do JEC. Se tivesse sido um profissional exemplar, não teria ficado nem no Caxias. Era jogador para qualquer clube do Brasil. Infelizmente desperdiçou seu talento.

    > Ladinho, embora tenha vindo do Grêmio, apareceu no Ferroviário de Tubarão e foi para o América de Joinville, onde foi campeão estadual em 1971. Depois de rápida passagem pela Portuguesa, voltou ao América e foi negociado pelo grande Schnecke com o Atlético Paranaense. Dali foi para o Grêmio, voltou ao JEC e terminou sua carreira no Avaí. Podia ter encerrado como campeão, né?

    > Fontan dispensa apresentações. Foi o primeiro craque do JEC. Já era craque no Caxias, onde estreou goleando o Figueirense no Ernestão. Depois que confirmar com ele digo quantos gols ele fez no jogo... hehehe

    > Lico foi campeão mundial pelo Flamengo em 1981. Começou no América de Joinville, saiu para o Grêmio, também negociado pelo Schnecke numa tentativa de salvar as finanças do alvirrubro da zona norte. Depois, jogou na dupla da capital e voltou para Joinville, no JEC. Suas atuações pelo tricolor no campeonato nacional o credenciaram para jogar ao lado de Zico no Flamengo.

    Todos eles poderiam fazer parte do JEC de todos os tempos e alguns fazem mesmo. Em algumas posições houve jogadores melhores, que comentarei em outra ocasião. Mas um time desses no catarinense de hoje não daria nem graça. Patrola geral. Vi todos eles em campo. E sustento cada escolha. hehehe

    Para quem acha que o futebol de Joinville começou com o JEC, fica como informação. E olha que aí só estão os que jogaram no JEC. Nem fui aos mais antigos como Euclides do Reis, Norberto Hoppe, Cilo, Zabot, Jairo, Luizinho, Dinho, Mickey, Ivo Meyer, Juarez, Vi...

    ResponderExcluir
  7. Mario L. Nascimento15 de março de 2011 18:09

    Antes que venha algum americano chiar (com razão), dava pra citar também Cocada, Badeco, Antoninho, Didi, Renê (estes dois jogaram no Caxias também). Além do Velho Bosse, pai do Raul, goleiro do Caxias por 10 anos e terminou a carreira no América. Em seu lugar chegou Puccini, outro que poderia ter sido citado.

    ResponderExcluir
  8. Pessoal, infelizmente não sou deste tempo tão vitorioso do nosso tricolor, muito por causa de meu pai, que não deixava eu ir com ele ao ernestão, dizia que era muito perigoso. Hoje ele vê a injustiça que cometeu comigo, ficava só no radinho escutando o jogo, tentando imaginar como era estar no meio da nação tricolor.
    Meu primeiro jogo foi na época das vacas magras (bem magras), onde o Joinville venceu o tigre de bengala por 1x0, gol de cabeça do Paulinho. A escalação do nosso time tinha: Marcão, Evandro, Jairo Santos, Bandoch, Gilmar Nass, Benson, Veiga, Fabinho, Alcinei, Marcos Paulo e Paulinho. Acho que o time era +ou- este....oh época sofrida...
    Saudações tricolores!

    ResponderExcluir
  9. Não acompanhei a época de ouro, mas apenas fazendo um comentário sobre o Ramires, da época dele, no meu ver o Edgar para o JEC como jogador foi mais importante que ele, mas é claro que o sucesso que o Ramires obteve depois de sua saída, acabou tornando-o um ídolo da torcida.

    ResponderExcluir
  10. Sandrão - JOINVILLE16 de março de 2011 10:27

    É tanto guri novo com saudade daquilo que nunca viu (só ouviu falar).. que penso que um documentário sobre a trajetória do JEC e seus personagens seria um sucesso!

    Meus filhos mesmo... que tem agora apenas 11 anos.. não acreditam quando eu conto as histórias que vi acontecerem diante de meus olhos ali no ernestão, na companhia do tio e do avô deles. Eles me olham com carinha de quem tá pensando: "meu pai é doente. Não pode ser do mesmo JEC que ele está falando".. rsrsrs

    E, sinceramente, não acredito que verei outra vez o JEC ser octacampeão ou coisa parecida. Acredito sim, que possa voltar a disputar campeonato brasileiro de série A, e ser campeão estadual esse ou aquele ano. Mas, voltar a mandar no futebol de SC... isso acho pouco provável que volte a acontecer.

    Isso, só na nossa memória!

    Fica no entanto, uma dica legal para a gurizada que quiser conhecer ao menos uma história de uma das feras do JEC: Lico!!!

    Procurem pelo ótimo documentário "A travessia de um Sabiá", realizado por acadêmicos de jornalismo de imbituba (terra natal do Lico).

    Segue link para o trailer do documentário citado:

    http://www.youtube.com/watch?v=iiP7vWUlU8c

    ResponderExcluir
  11. Sandrão - JOINVILLE16 de março de 2011 10:36

    Hahaha... o Jequeano é que vai gostar... tem até um depoimento do ilustre alagoano nesse documentário.. .hahahahahaha

    ResponderExcluir
  12. Outro dia joguei com o Zé Carlos, aquele lateral da seleção, que jogou também no JEC Hoje aposentado e jogando menos que eu, mereceria esta (desculpa a falta de acento) nesta seleção. Pode incluir também o Juari.

    ResponderExcluir
  13. Sandrão - JOINVILLE17 de março de 2011 08:40

    Viram essa?

    "Leandro Cearense deve se despedir do Cametá no próximo dia 27, data do segundo jogo da decisão do turno contra o Paysandu. O atacante confirmou à coluna que abriu negociações com o Joinville/SC e com o ABC/RN. Concordou com ambas as propostas, mas optou pelo clube de Natal, atraído pela chance de jogar na Série B do Campeonato Brasileiro.


    Além de Leandro Cearense, o meia Robinho também fechou negócio com o ABC. Duas grandes perdas para o clube cametaense, que não tem potencial financeiro para concorrer com o atual campeão nacional da 3ª divisão. As negociações foram feitas através do ex-jogador Almir Conceição, que descobriu Leandro Cearense numa competição de pelada em Castanhal em 2009, quando o atleta ainda era guarda de segurança, e o levou para o Santa Rosa. "

    http://www.nosnamidia.net/nosnamidia/secao.php?id=18&sec=2405

    Nossa diretoria está se mexendo para contratar mais um atacante!
    Provavelmente em função das anunciadas saídas de Pantico e Chris.
    Estão de olho no mercado... e isso é bom!

    ResponderExcluir
  14. a seleção do jec deveria ser votada e escolhida por Jornalistas e pessoas ligadas ao clube desde 76. Os mais votados são eleitos com justiça, a torcida do Jec é jovial e carente de titulos. Não conheceram os tempos aureos do tricolor e não viram verdadeiros craques desfilando seu futebol no gramado de nosso eterno Ernestão.

    ResponderExcluir