NASCEU CAMPEÃO

Tu és a glória dos teus fundadores

22 de mar de 2011

PELA ESTRADA AFORA, EU VOU... AONDE?

Quem, na infância remota ouviu as histórias da famosa coleção "Disquinho", deve se lembrar dos discos coloridos, tocados naquelas vitrolas portáteis Phillips.
O grande barato dessas coleções era que algumas das trilhas sonoras eram feitas pelo grande Braguinha (João de Barro), que é o autor de letras clássicas como Carinhoso, As pastorinhas, Luzes da Ribalta, Chiquita Bacana, etc., mas também foi autor de músicas infantis, como essa que inspirou o título do post, pois hoje pegamos a estrada (a essa hora nosso time já tá no busão em direção a Chapecó, quase chegando - e já estive por lá, é longe pra cacete).


Pela estrada afora... nosso time vai em busca de uma redenção difícil, improvável, até, no Catarinão. A indiada tá com tudo e não tá prosa. Se não fosse o tropeço contra o Imbituba, já teriam 12 pontos. Mesmo que os vençamos ficaremos atrás deles na tabela.


A equipe jequeana deve ter o retorno do Fernandinho. É possível que Jailton ganhe a vaga de Jonatas, e que Eduardo volte à titularidade na lateral direita, porque o Daniel parece ter caído em desgraça com a imprensa, e talvez, com o Giba (acho que a contratação do Aderlan é sintomática a esse respeito). Não se sabe ainda se Gilton estará recuperado de sua asa quebrada (parece que não). Esso é nosso curto prazo - e menos importante.

Com vistas ao longo prazo (discussão que começou a ser antecipada nos comentários do último post), parece que o Clube anda se movendo.
Finalmente, alguém (Moysés -  ou Cândido, o optimista) irá a Belo Horizonte tratar daqueles 4 jogadores que o Cruzeiro tem de nos emprestar em razão da negociação do Ramires. Disseram que nosso gerente irá olhar os jogadores na própria Toca da Raposa e igualmente correr pelo interior de Minas para ver jogadores cruzeirenses que estão emprestados para outros clubes e escolher alguns que nos sirvam. O Ipatinga, em sua fase boa (agora tá numa merda federal), cresceu com jogadores do time de BH. Quem sabe não funciona por aqui.
Já se contratou esse tal de Aderlan (parece o Mtzplik - lembram desse? - do Super Amigos, pois o nome do novo contratado ao contrário quase dá Nardela). Esperamos que diferentemente do arquirrival do Superman, que ao dizer seu nome ao contrário, voltava para a 5ª Dimensão, não ocorra de alguém ao pronunciar o santo nome de Nardela ao contrário, e com isso nos levar de volta à 4ª Dimensão, ops, Divisão.
Estão sondando o Gilberto do Marcílio Dias, mas parece que Figueira e Atlético-MG também estão de olho (e aí dificilmente ganharemos, são dois times da série A).
Então é assim: No catarinense, vamos "pela estrada afora", 9 horas de ônibus até Chapecó, jogo, 9 horas de volta, com perspectivas nada animadoras.

Novo dirigente: rico ele é, até no nome!
 Mas visando a Série C, espero que tomemos a "Longa Estrada da Vida", que como cantam Milionário e José Rico (pelos nomes essa seria uma boa dupla de patrocinadores para o Tricolor, além da bela estampa do Zé Rico), "nesta longa estrada da vida, vou correndo e não posso parar, na ESPERANÇA DE SER CAMPEÃO, ALCANÇANDO O PRIMEIRO LUGAR".

Ora, daí finalmente entro na discussão que teve início nos comentários: como estarão nossos adversários na Série C?
E concordo que já é hora mesmo, de, vez em quando, começar a falar da competição que realmente nos importa em 2011: A SÉRIE C.

Alguns dos leitores acham que os times que enfrentaremos estão mais fortes agora do que estarão daqui a 4 meses (e exemplificam que a Chapecoense perderá o seu bom avante, o Caxias/RS será desmontado, e Brasil está na segundona gaúcha, e o Santo André até vai cair no Paulistão).
E nessa mesma toada, acreditam que o JEC estará mais forte do que hoje.

Tenho cá minhas dúvidas, mas a divergência é sadia. Vamos à discussão: 
Primeiro, a constatação óbvia: nosso time terá que melhorar MUITO para subir. Temos não mais do que 4 ou 5 jogadores titulares prontos para a série C (eu diria Linno, Gilton, Fernandinho, Ramon e Lima) e destes não se sabe se todos ficarão. Outros como Chris (se renovar - o que parece estar descartado), Jailton, Julio Bastos, Eduardo, Souza podem compor elenco (claro que não mencionei todos, mas não passa muito disso). O Max tem até a metade da Copinha pra entrar definitivamente em forma, ou teremos que ir atrás de goleiro, pois não podemos nos dar ao luxo de perder a vaga em eventual frango do nosso gladiador.
Depois, nunca se pode perder de vista que a primeira fase SÓ TEM 8 JOGOS, e ao fim destes, ou se disputa o acesso, em apenas um mata-mata (se ficarmos entre os dois primeiros numa chave de 5); ou se fica no rame-rame, garantindo a permanência na Série C para 2012 - 3º e 4º lugares da chave; ou fica em último e volta para o inferno da 4ª Divisão - t'esconjuro!
Ou seja, ou o time já entra pronto na Competição, ou fodeu! Não dá, por exemplo, pra fazer um começo de Série C como o deste returno, com dois empates em casa.

Por fim, os adversários:
O Caxias vem num processo de reconstrução interessante, mais ou menos parecido com o nosso, e com o auxílio de um empresário forte (o que não temos) - não me lembro o nome dele, mas vi o Presidente do Caxias dar entrevista ao PVC, na ESPN Brasil, e mencionar o auxílio deste empresário logo após o Caxias perder NO APITO o primeiro turno para o Grêmio, no Olímpico. Já está praticamente na terceira fase da Copa do Brasil. Estará forte, até por conta do empresário.

O Brasil de Pelotas, mesmo que seja fraco (e não sei se é), e esteja na segundona - em que é líder, é daqueles times que lá no Sul, na base da força e correria, imporão dificuldades. Basta ver o Zequinha, ano passado.

Não acredito que a Chapecoense se enfraqueça demais depois do término do Catarinense. Jogam um futebol à gaúcha (baseado na força), já tem uma base montada há tempos - não subiram ano passado por causa do gol "qualificado", com um empate com gols em Chapecó (empataram sem gols em Ituiutaba). Perder o Aloísio e mais um ou outro pode ser ruim, mas mesmo assim vão dar trabalho, e eles não gostam da gente lá pelo Oeste, o que acirra a rivalidade dos jogos.

E o Santo André é uma (perigosa) incógnita. Rebaixado da Série B, pode estar numa daquelas descendentes que já atingiram o JEC, o Santa Cruz, o Juventude - essa é a minha torcida. Pode ser rebaixado, de novo, agora no Paulistão. No último jogo, colocaram 400 pessoas no Estádio, e até o blogueiro deles no Globoesporte.com disse que o time voltou a ser um time pequeno. Mas esse time, outro dia ainda, tinha em seu elenco Bruno César, Willians, Branquinho, Rodriguinho, Nunes, foi vice-campeão paulista no ano passando, só perdendo pra Neymar, Ganso e Robinho. E por estarem em São Paulo, tem boas chances de montar um bom time (mais rapidamente do que nós), só com as sobras dos times grandes.
Por isso, temos que montar um bom (e caro) time, achar um patrocinador, para que possamos lutar pela Série B. Já temos um déficit mensal de mais de 100 mil reais com essa turma que aí está. O que vamos fazer se não arranjarmos grana? AVANTE, JEC!

7 comentários:

  1. Fala Jequeano, Tudo bem que o papo sobre serie C começou justamente depois da nossa "derrota" em casa, mas a meu ver, temos que nos preocupar com nóis memo(sic), a cada jogo sim, aqueles "videos" que sabemos que existe no dia-a-dia do nosso time, esses vão nos dar o tom de cada adversário.

    O que importa é a diretoria correr atras de jogadores qualificados (técnica,tática,garra), que estejam dispostos a nos dar a alegria de voltarmos a Serie B.

    Correr atras tambem de patrocinadores, quando digo correr é deixar de lado o orgulho "empresarial", voces sabem de quem estou escrevendo, temos grandes empresas em Joinville e região, entao, mesmo que essas empresas paguem uma parte do salário do jogador, não importa, um time reforçado, qualificado, com conjunto acima de tudo e reservas tambem no mesmo nivel.

    Feito isso e com o apoio incondicional da massa tricolor, vaiando as vezes, pulando, gritando, cantando, sentado escutando seu radinho, ou qualquer outro tipo de manifestação pelo nosso JEC, podemos sim degrau apos degrau, subir as escadarias do Ceu para a "B".

    No mais, Sds Tricolores

    ResponderExcluir
  2. Esta discursão vai longe, mas tenho que concordar com você Jequeano, jogadores gabaritados para jogar a série C, apenas Lino, Gilton, Fernandinho (acho que não fica), Ramom, Lima e também o Julio Bastos.
    Nas outras posições precisaremos de reforços, no minimo cinco jogadores prontos para jogarem, nada de vir com essa de ritmo de jogo ou condição física. Tem que estarem "na ponta dos cascos".
    Respondendo ao Dacio, que comentou na postagem anterior, se com o Nereu ta ruim, sem ele será pior ainda. Não temos ninguém na cidade capaz de assumir a responsabilidade de contratações, sengundo ele mesmo disse: "Se alguém quer este cargo, pode ir até a arena se apresentar ao Marcio, que vou embora na mesma hora".
    Então é correr ou morrer, não temos muitas alternativas, mas você esta correto quando diz que muitas das contrações foram equivocadas.

    ResponderExcluir
  3. Não adianta eu acho que fizeram macumba pro Jec, é melhor acreditar nisso ou viver justificando cada derrota ou empate....rsrsr
    O Nereu tem que continuar nesse barco furado, senão ai mesmo, vai tudo pro brejo.
    Com essas jogadas amadoras e perda de bola faceis até mulher sabe comentar o jogo.

    Beijinhos pros guerreiros.

    ResponderExcluir
  4. Mario L. Nascimento23 de março de 2011 01:33

    A primeira coisa é parar de pensar pequeno. Achar que os patrocinadores vão embora se sair A ou B é pensar pequeno. É pensar que A ou B são maiores ou mais importantes que o clube.

    Falta profissionalismo.

    Patrocínio é resultado de retorno para o patrocinador. E esse retorno vem em exposição na mídia e junto à torcida. Hoje o JEC não dá esse retorno. Porque não soube negociar a participação nas transmissões de TV. Porque o time não consegue engrenar. Porque os tropeços se sucedem.

    Quando a situação é essa só tem um jeito de conseguir patrocínios. Um projeto bom, apresentado da forma certa e por pessoas que mereçam a credibilidade dos possíveis patrocinadores. E isso parece que o JEC está longe de conseguir. Isso tudo: um projeto bom e credibilidade para que os patrocinadores acreditem no projeto.

    Talvez até o atual diretor de futebol tenha razão. Mas a solução não é continuar como está. A solução é mudar para que o clube adquira a credibilidade que tinha há 30 anos ou mais. Perdeu por muitos erros que cometeu. Só vai readquirir com profissionalismo. Do jeito que está, só um milagre nos leva para a série B. E se esse milagre acontecer, dependeremos de outros para não voltar para a C em seguida.

    Enquanto o clube for amador vai pensar pequeno. E enquanto pensar pequeno não será grande.

    ResponderExcluir
  5. Sandrão - JOINVILLE24 de março de 2011 09:20

    Normal perder lá em chapecó.

    O que não é normal.. é perdermos pontos em casa para o concórdia!

    E o Lima heim??? De novo falando merda e promovendo a discórdia no grupo!! Multa pra ele e banco contra o Avaí.

    Já estamos fudidos mesmo!

    ResponderExcluir
  6. Deu pra bola. Domingo vou aproveitar o dia pra ver uns filminhos, porque o catarinense já era. E o Lima, hein? Acha que é o Garrincha! Pede pra sair, Lima!

    ResponderExcluir
  7. É, o Catarinense acabou. Só por milagre classificaremos. Avaí é pedreira, Criciúma fora idem.
    Vou começar a tratar só do futuro, acho.
    Ainda mais que nossos dois melhores jogadores andam se bicando - e agora o Nereu vai ter de resolver. Ou enquadra o Lima ou um dos dois vai ter de sair.

    ResponderExcluir