NASCEU CAMPEÃO

Tu és a glória dos teus fundadores

24 de fev de 2011

O JEC ACHA QUE TEM, MAS NA VERDADE NÃO TEM UM PROGRAMA DE SÓCIO TORCEDOR

Vou dizer uma coisa séria e simples: não basta falar da boca pra fora que "O JEC vai chegar a 10 mil sócios". É preciso fazer alguma coisa para que isso aconteça. Por mágica (que era o nome da antiga marqueteira do Tricolor) ou inércia, não vai acontecer!

O post vai ser longo, o mais longo desde que comecei o blog, mas, é porque, para mim, esse também é o post mais importante que já fiz. Deixarei uns dois ou três dias sem postar mais nada, até porque o JEC tá mais parado que olho de vidro! Jogo-treino dos reservas contra a Tupy é dose pra leão.

Leia-o. Retransmita-o. Faça chegar ao conhecimento de alguém do clube, se conhecem alguém lá de dentro. Te asseguro, não quero nenhum direito autoral. Eu só quero ver o JEC bem!

Esse é o nosso benefício de ser sócio!
Enfim, um programa de sócio do JEC (um programa de verdade, não essa lenga-lenga que espera que um sócio transmita ao outro, por osmose, a condição de sócio-contribuinte-torcedor do Tricolor) precisa ser posto em prática. Esse que taí é pouco mais do que nada. A única coisa que o torcedor ganha é UMA CARTEIRINHA e o direito de sofrer desgraçadamente a cada partida na Arena.

O pior (ou o melhor) é que a receita - o como fazer - já existe, ninguém precisa reinventar a roda, basta pô-la pra funcionar. Porra, vamos começar COPIANDO, isso mesmo, COPIANDO o que já deu certo. Vamos lá!

Copiei - é isso mesmo, cacete! - se tem alguém que faz melhor do que eu, eu posso copiá-lo; se a idéia é melhor do que a minha, eu posso copiá-la - do Blog do Santinha (Santa Cruz, time que vive calvário até pior do que o nosso, haja vista ser um clube da mais tradição) um texto que fala sobre o programa de SÓCIO TORCEDOR do Internacional de Porto Alegre.

Só um parêntese para dar uma nota triste: o blog santacruzense era excepcional, mas tantas cagadas (da diretoria, ora bolas) fizeram por lá que até os blogueiros, depois de 5 anos, cansaram e abandonaram o blog - mas não o clube. É que todo mundo, um dia, cansa. Por isso é hora de o JEC deixar de cansar a sua torcida. Cerra la ventana. Volto ao assunto.

Eis o que copiei do Blog do Santinha. Os negritos e sublinhados foram feitos por mim, salientando as partes que achei mais importantes:

"Só hoje pude falar com o responsável pelo setor de comunicação com sócios do Inter, Sr. Julio Emmel. Na semana passada, a grande maioria dos diretores estava em Abu Dhabi, por isso dificultou o acesso.

Buenos, ele me atendeu com muita gentileza também, disse que estava sempre à disposição. Contou até que no mês anterior tinha ido ao vitória, em Salvador, palestrar para a diretoria sobre o esquema montado para atender sócios e cativá-los.
O Sr. Julio coordena esta parte desde 2003/2004, quando o Inter possuía 7 mil sócios e fez um planejamento para atingir 20 mil ao final de 2006.
Primeiramente, pesquisaram o perfil do associado e dos clientes em potencial. Depois, passaram a investir neste perfil. Descobriram que o sócio não quer ser sorteado com carros ou TVs. Ele quer o diferencial que só o clube pode oferecer: participar da vida do time de coração. Fizeram assim campanhas como levar a bola do jogo, a camisa do jogo, viajar com a delegação, etc. A grande mídia foi o boca a boa. Isso tudo, aliado à rede de descontos, acrescentaria.
No começo, eles aproveitaram alunos de cursos de administração que estavam para se formar e incentivaram eles a pesquisarem o clube. Deram ingressos de graça durante 6 meses para grupos de até 20 alunos e cada um fez uma análise embasada das necessidades do clube, do tratamento ao cliente, das vontades de quem acessa ao estádio, etc. Assim, houve uma análise rigorosa, com precisão cientifica, mas absolutamente gratuita (fora o dinheiro dos ingressos). Tudo dentro de um planejamento. Para se ter uma idéia, até 2019 já está montando o plano para cativar ainda mais sócios e manter os atuais.
Na estrutura, ele ficou de me passar mais dados por e-mail, mas me adiantou que são hoje 35 funcionários e 8 terminais de call center (o que foi sendo ampliado na medida do crescimento dos sócios). Foi desenvolvido também um software só para os sócios. 80% dos associados são por débito automático (eles estão abandonando os boletos bancários, pois o índice de inadimplemento é mais alto).
Dos 106 mil sócios, existe uma faixa variável de 10 a 15% de inadimplemento. A maior quantidade de sócios é da categoria “sócio campeão do mundo”, que paga 22 reais por mês, tem 50% de desconto no ingresso e preferência na compra
(...)
Qual o número exato de sócios em dia?
Total de sócios: 105.380
Rigorosamente em dia: 92.438
(...)
Quantos funcionários trabalham no setor?
Na central de atendimento aos sócios, temos atualmente 35 funcionários, todos operando o sistema de sócios e 8 no Call Center.
Quantos computadores?
35 computadores.
Há um programa de computador especial para isso?
Existe um programa específico desenvolvido para este controle de sócios.
Qual a formação dos funcionários?
Todos com no mínimo segundo grau.
Quantos setores eles se dividem?
Atendimento ao sócio, Call Center, atendentes que respondem e-mail e revista, coordenação.
Qual o funcionamento por telefone, e-mail, relação com redes sociais?
Temos um Call Center com 8 linhas ativas que contatam com os sócios e pretendentes a sócios, e 2 linhas para atendimento de dúvidas. Duas pessoas respondem e-mail e contatam com redes sócios identificados com o clube.
Há esquema especial em dias de jogo?
Sim. Atendimento para facilitar acesso ao estádio, controle das catracas e cartões de acesso, e atendimento até o intervalo do jogo.

Puta que o pariu! É tão difícil assim? - Pergunto eu.
A resposta é que não, não é tão difícil, mas as coisas também não acontecem por acaso, não há geração espontânea de vida, é preciso um impulso, idéias, e trabalho (e aí é que o bicho pega).
Enumero fatos, razões por que dá para fazer, e dou idéias simples (adeqüei as do Internacional) e realizáveis:

1. O Inter, em 2003 tinha 7 mil sócios (temos quase isso), e no ano de 2002, o Colorado se safou do rebaixamento num jogo suspeitíssimo, vencendo o Paysandu, na última rodada, por 2x0, lá em Belém. Em 1999 também já se salvara na última rodada, vencendo o Palmeiras por 1x0, com um gol do Dunga - pra você ver - o Dunga precisou fazer um gol pra salvar o time.
Resumindo: o Inter tava na merda no início deste milênio. De lá para cá, já ganhou duas Libertadores, uma Sulamericana e um Mundial, embora como li outro dia, a Libertadores hoje é uma Copa do Brasil com grife, nada mais. Time estrangeiro decente é um ou dois, o resto é timeco.
Hoje o INTER tem 105 mil sócios.
Ou seja, temos espaço para o número de sócios crescer.

1.1. Aqui faço um ressalva: veja-se que o Internacional tem uma vantagem em relação a nosotros. É um time estadual, ou seja, com penetração (ui!) num mercado muito maior do que o nosso. No Rio Grande, praticamente só há dois times, e o Inter e o Grêmio têm torcida em todo o Estado (que conta com mais de 10 milhões de habitantes).
Aqui em Santa Catarina, os times são no máximo, regionais, e a população beira os 6 milhões de habitantes: Criciúma no Sul, Chapecoense (com grande concorrência dos times gaúchos) no Oeste. Figueira e Avaí na "grande Florianópolis", JEC no Norte/Nordeste (com concorrência de Flamengo, Vasco e outros menos cotados). Então,  é óbvio que não temos como chegar a 100 mil sócios, mas podemos chegar a um número que represente, verdadeiramente, o número de torcedores do JEC. Num chute rápido, colocaria como objetivo palpável o jogo em que tivemos maior público desde que a Arena foi criada - acho que em torno de 17 ou 18 mil torcedores (isso é verificável, com pesquisa, como tratarei logo abaixo, no item 4).

2. Vamos, então supor que tivéssemos 18 mil sócios a 40 reais (sim, a mensalidade vai aumentar a partir de maio, não sei pra quanto e a diretoria não vem divulgando essa informação, e vai gerar revolta nos sócios se o aumento for simplesmente efetivado, sem aviso prévio). Acho que com as cobertas, com a contribuição dos conselheiros dá para chutar como valor mínimo para associação a quantia de 50 reais.
Teríamos, por mês, 900 mil, um milhão de reais. Com essa grana dava para nós mesmo pintarmos a Arena, nós mesmos terminarmos o Estádio, em dois ou três anos, gastando uns 300 ou 400 mil por mês com o Estádio. E somadas as outras receitar, dar um salto enorme na arrecadação do Tricolor

3. Mas como chegar a esse número de sócios - 18 ou 20 mil, aproximadamente?
Eu já escrevi sobre a nossa Torcida num post intitulado "Qual o tamanho da Torcida do JEC?" (link aqui), que não sabemos (ou melhor, o Clube não sabe) nada sobre quem é o nosso real torcedor, e nem quantos somos. A conclusão a que cheguei lá foi a seguinte:
"Esse patrimônio imaterial – a torcida do JEC - deveria ser melhor analisada e explorada (no bom sentido) pelo Clube. Nesse meu cálculo (na verdade um grande chute, reconheço), entre esses 10 mil que vão a campo com alguma regularidade, e os 50 mil que são torcedores, há um grande espaço para crescimento (de receitas, de visibilidade, de presença no estádio) e fortalecimento do nosso Tricolor. O clube deveria fazer uma pesquisa séria - não essa porcaria da RIC - para conhecer (não digo conhecer melhor, porque não conhecem nada) os torcedores e conseguir trazê-los para perto do time e para dentro da Arena.
O diagnóstico de quantos somos e quem somos os jequeanos é necessário até para que boas campanhas como a do "sócio-amigo" ou "Joinville - 10.000 sócios", possam ter algum resultado. Não adianta dar tiro no escuro. Não se mata bugio dando tiro em rolinha".
Por isso, vamos ao primeiro passo - conhecer!

4. CONHECIMENTO DA TORCIDA
Então, partamos do princípio irrefutável de que não sabemos quem são nossos torcedores.

O que fez o Inter a esse respeito? - Em troca de ingressos, cooptou vários estudantes de administração (e poderiam ser de marketing, e de estatística, de qualquer área afim), que fizeram quase de graça o diagnóstico dos anseios do Torcedor (ou seja, como agradar o cliente). Porra, que baita sacada!
Ora, o que mais tem em Joinville é faculdade (Univille, Guimbala, Anhaguera, Iesville, Ielusc, UDESC, campus da UFSC, Sociesc, entre outras), e por isso não seria tão difícil arranjar esse estudo.
Pronto, teríamos o diagnóstico, saberíamos o tamanho da torcida(pensem nela como os clientes do JEC), quem somos nós, o que queremos do Clube, por que não temos ido ao estádio, por que não nos associamos, etc...

4.1. Essa pesquisa é o primeiro e inafastável passo, porque, no popular, você tem que saber quem você quer agradar, e como agradar.
Exemplifico: você convida uma mulher pra sair, e assim, de chofre chama a gata pra uma churrascaria rodízio e depois curtir uma Festa do Reencontro no Gina, achando que vai "abafar".
Aí você leva a gata mas dá tudo errado, porque a mulher queria ir a uma Pizzaria e depois ir numa festa Sertanejo Universitário (sei lá o que isso significa, mas vamos adiante). Você acha que agradou a moçoila?
É isso, assim na tentativa e erro, que o JEC vem tratando a sua namorada, digo, o seu torcedor! Não se mata bugio atirando em passarinho.

4.2. Podíamos começar nas empresas, fazendo essa pesquisa onde tem um monte de gente concentrada, facilitando o trabalho. Quem são os principais empregadores de Joinville? A Prefeitura é a maior, sem dúvida. Depois devem vir Tupy, Whirlpool (Consul e Embraco), Tigre, Doehler, Docol, etc... Por que não começar um diagnóstico por aí? Ou nas próprias universidade e colégios de segundo grau, onde há novos torcedores, que poderiam ser fiéis por muitos anos.
De posse desse estudo, poderíamos dar os passos seguintes.

5. TECNOLOGIA:
5.1. Sem qualquer demérito às atenciosas "coelhetes" da Toca, elas pouco mais fazem do que atender para realizar as vendas das lojas, preencher formulários de novos sócios, receber mensalidades em atraso e entregar carteirinhas. São muito atenciosas e tal, mas falta algo.
Primeira coisa, penso eu, seria um bom treinamento para atendimento ao sócio pelo telefone. Gastar com call center é demais pro JEC, então teríamos de qualificar - cursos, etc. - as meninas para tal fim.

5.2. Depois, parece que a loja vai ser aumentada, segundo o Márcio, the president. Então, coloquem lá dentro duas pessoas que entendam o básico em tecnologia e futebol, e que além de fazer o trabalho tecnológico, interajam com o torcedor.

Por que tecnologia e futebol?

Futebol: quem trabalha com futebol (ainda que na área de informática) tem que gostar um pouco do que faz, se não vai empurrar com a barriga tal qual um burocratazinho qualquer, e nós precisamos de alguém que goste de futebol e que queira ver o JEC ir adiante. E gostando, vai ter ouvidos para ouvir sugestões, reclamações, de quem realmente importa: o cliente-torcedor, que, de vez em quando, trará boas idéias, gratuitamente, para o crescimento do Tricolor. Isso porque não há um canal sério de contato da torcida com o clube. A única coisa a que temos direito, hoje, é reclamar na arquibancada.

Tecnologia: qualquer idiota sabe que hoje tudo se faz pela internet. Compra de ingressos, compra de mercadorias da loja, segunda via dos boletos de mensalidade, tudo isto poderia ser feito por meios informáticos para facilitar a vida do associado e conquistar o Torcedor. Até mesmo a associação (ou pelo menos a impressão do formulário para ser sócio) poderia ser feita pelo torcedor, em casa, em seu computador. O número exato de sócios, por exemplo, deveria constar da home page do Clube, atualizável dia-a-dia.

5.3. Pesquisei na internet que se contrata um programador de informática e/ou um webdesiger por mil e pouco reais cada um.
Então, contratar um ou dois, ou três - não tenho como dimensionar quantos precisam ser contratados - é necessário para fazer o JEC finalmente chegar, com dez anos de atraso, ao século XXI.

Um webdesigner para cuidar do nosso site, atualizá-lo constantemente, melhorá-lo (inclusive colocar no site a história do Clube, seus jogadores, todos seus ex-técnicos e ex-presidentes, etc.), receber as informações das áreas do futebol e repassá-las à torcida com um visual atraente, com agilidade (atualização do elenco, informações sobre contratados, número de sócios sempre visível na home page, como já disse), e que possa produzir conteúdo para disponibilizar à torcida - p. ex. através de um informativo periódico eletrônico - vamos dizer, um jornalzinho do JEC - que não teria custo algum, seria digital (basta cadastral os e-mails do sócios - e mesmo dos não sócios, que poderiam se cadastrar no site pra receber o informativo), e aí já há um nicho de possíveis novos sócios).
Diga aí, quantos e-mails vc já recebeu de seu clube?

Um programador para fazer a informatização moderna do programa de associados, controle de inadimplência, impressão dos boletos de mensalidade, ou informando ao sócio, por e-mail ou mala direta, por exemplo, sobre a sua situação, sobre o serviço do jogo (preços, abertura dos portões, etc.), tabulação dos dados (em que bairro há mais torcedores, em que empresa trabalham, orientando a estratégia futura para novas associações) e quem sabe, num futuro próximo, possibilitar venda de ingressos pela internet.
E não venham me dizer que isto seria caro! Qualquer gasto com uma dispensazinha dessas mequetrefes (e as fazemos aos montes) que o JEC faz de jogadores que não deram certo pagaria um ano de salário desses profissionais que poderiam direcionar o Tricolor para o futuro.
Por isso importante que usemos a tecnologia para melhorar o programa de sócio-torcedor e para que o Clube se comunique melhor com o torcedor e com o associado. Como diria a imortal da Academia Brasileira de Letra, a sra. Joana Prado, vulga "A Feiticeira", na propaganda do Elysée Belt, com seu português castiço: "não é feitiçaria, é tequinologia".

6. COMUNICAÇÃO: Como o JEC se comunica com o Torcedor?
Mal pra caralho! - Digo eu.
A única comunicação que se tem é quando o Weber agradece, no Estádio, ao final dos jogos: "obrigado pela presença, tenham todos um bom final de domingo". VTNC, assim mesmo, em sigla, para não ser grosseiro demais. No mais, ficamos dependendo dos programas esportivos e dos jornais de Joinville.
A melhora da tecnologia da informação acima analisada, aliada à possibilidade infinda de comunicação com o Torcedor por meios digitais, poderia ser uma ferramenta de aproximação e resposta ao torcedor, ao associado, a custo quase zero.
Dizem que a tal de V02 faz um press release, um folder (desculpem-me se estou usando a terminologia errada, não entendo de marketing nem de comunicação social), sobre os novos jogadores que têm sido apresentados. Bastaria que a repassasse esse documento para nossa comunicação, e com um simples enter, todos os torcedores pudessem saber quem é e o que fez tal ou qual jogador, e não que ficássemos à merce das informações porcas que hoje temos que catar aqui e ali, e pouquíssimo se descobre.
Os exemplos de como melhorar isso (a comunicação) seriam infinitos. Pense aí e você logo vai descobrir alguma coisa que o JEC deixa de fazer nesse quesito, e que lhe agradaria se fosse feito.
Ademais, a comunicação bem feita daria TRANSPARÊNCIA à administração do clube, evitando inclusive críticas (às vezes) não fundamentadas.

7. CONCLUSÃO (finalmente, não é?)
Pelo que expus acima, e olhem que sou leigo nisso tudo, já se vê como ENGATINHAMOS nessa questão de sócio-torcedor. Na verdade, engatinhar já é muito para nossa atual postura. Estamos estatelados, no rés do chão, esperando um guindaste nos erguer. E o pior, é que o guindaste não existe; não existe uma força externa (ou interna), alguém lúcido que possa nos fazer ficar de pé.
Só para provocar: como anda o convênio com a AJORPEME? Em ponto morto, acho eu, nunca mais se falou nisso. As coisas são assim no JEC, começam, mas nunca são levadas adiante, com seriedade e persistência.

O JEC é o 29º Clube com mais apostas na Timemania. Isso é um dado importantíssimo, e que parece que ninguém para pra pensar que, em tese, temos torcida para ficarmos entre os 30 maiores Clubes (e por conseqüência, Times) do Brasil.
As apostas semanais no JEC beiram 8.000, ou seja, mais apostas do que o número de sócios que temos. Só aí deveria haver espaço para pelo menos dois mil novos sócios que estamos desperdiçando - por falta de interesse e trabalho.
Mas tudo isso é desprezado.
Não seremos tantos tão logo!
Repito: do jeito que a coisa vai, só chegaremos aos 10 mil sócios por um aborto da natureza, se por ventura (sinônimo de sorte) chegarmos à série B, e garantirmos um calendário digno. Mas se não subirmos, ficaremos patinando, iguaizinhos, mais um ano, nesses 5,5 mil sócios. Aposto!

Conhecimento aprofundado de quem é a nossa torcida (efetiva e potencial), de seus desejos - o que ele quer do Clube para planejamento e direcionamento das ações futuras. Estruturação de um departamento que insira o JEC no mundo tecnológico, de modo a dar resposta rápida ao associado. Comunicação para o sócio e para os não-sócios (quem não se comunica se trumbica, já dizia Abelardo Barbosa), a fim de aproximar o Clube de seus clientes e os clientes do Clube. Acho que esse seria um bom começo.
AVANTE, JEC! VAMOS FAZER UM PLANO DE SÓCIOS DECENTE, PELAMORDEDEUS!

28 comentários:

  1. Diego Roberto Sbitkowski24 de fevereiro de 2011 10:17

    Sensacional!
    Devemos fazer isso chegar ao maior número de olhos e ouvidos que pudermos!
    Mandar email pra diretoria, pra jornal, pra onde for, quanto mais gente ver esse post é um ponto de partida que teremos pra ver se alguém se mexe!

    ResponderExcluir
  2. Jequeano, Bom Dia e Parabéns.Acrescento, se me permite: Até estes dias, o JEC não sabia quantas sócias ele tinha. Falar em pesquisa de público alvo? Até aqui é sonho. Abs. Wilson França

    ResponderExcluir
  3. Com certeza a campanha tem que começar, alem do perfil do sócio Tricolor, oferecendo alguma coisa, por exemplo, uma sede social digna, sei la, quantos times tem clube, piscina, restaurante, convenhamos o JEC nao nos oferece nada, absolutamente nada, e a questao dos boletos, eu quando junto as dividas normais de começo de mês, alem de nao receber o boleto para pagamento tenho que ficar ligando pra Toca e pedindo para as moças me passarem via email, isso tem que ser disponibilizado no site, cada sócio com sua senha, facilitaria muita coisa e o JEC nao gastaria mais com papel, tinta para impressora, materiais de expediente que sao cada vez mais descartados, outra questao e produtos para vender, cade o site da loja, Meu Deus, é muita desinformacao do mundo ao redor, nao pode ficar no tempo da maquina de escrever, Jequeano, esperemos que a nova empresa de marketing saiba colocar essas ações em pratica, no mais, Sds Tricolores

    ResponderExcluir
  4. Diego, muito obrigado pelos elogios. Pelo que me lembro, é a primeira vez que comentas por aqui. Seja bem-vindo.

    Caro França. Cada vez que ouço alguém falar do sócios, vem um número diferente, um diz-que-diz. Acho que não sabem mesmo. O futebol em Joinville tá feio, até a primeirona tá em crise. Obrigado pelas menções ao blog nos meios em que atua (blog, rádio, twitter. Cada vez que falas, aumenta o número de leitores desse espacinho.

    Dácio, acho que sede social é inviável. Falta dinheiro para construí-lo, e se construído, mMais custos, mais manutenção (não conseguimos nem cuidar do gramado da Arena). No mais, estás corretíssimo, estamos no tempo da Remington, e o mundo no tempo do iPad.
    abs, ST.

    ResponderExcluir
  5. Diego Roberto Sbitkowski24 de fevereiro de 2011 13:19

    Obrigado pelas boas vindas JEQUEANO!
    O que me deixa mais revoltado nisso tudo é que o tempo vai passando e soluções como as propostas em teu post nunca passam pelos planos de implementação das dirigencias. São planos tão simples e pouco onerosos, que requerem até mesmo pouca criatividade, basta copiar e adaptar. O Grêmio copiou o programa de sócios do Inter, e isso não tem nada de mal. Se é bom, fácil de ser implementado e traz resultados tem mais é que ser copiado mesmo! O problema é mexer com a cabeça dura de gente que nunca teve envolvimento com esse tipo de questão, pras quais trabalhos de desenvolvimento em técnologia, marketing, trabalhar com estatística, parecem apenas mais uma relação de gastos inúteis pra o clube.

    ResponderExcluir
  6. Parabéns pelo post Jequeano, são ações como estas que podem fazer nossos dirigentes tomarem alguma medida para chegarmos, pelo menos, nos patamares de Avai e Figyera.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  7. É Jequeano, sera que é tao dificil pros nossos dirigentes notar isso, porque sera a maioria da torcida esta impaciente, tolerancia zero, acidentes acontecem, a gente sabe, a vida não são só vitórias, temos que aprender com as derrotas(ja ouvi/li isso antes, hehehe), mas nossa diretoria nao aprende, parecem mulas, sinto que é um pouco de orgulho de boa parte desta diretoria, nao cedem em nada, nao seguem os bons exemplos, Deus queira que o acesso a serie B seja esse ano, porque senao a vaca vai pro brejo e os sócios diminuiram com certeza, mas eu confio que as ações estao voltadas para a serie C, no mais, Sds Tricolores

    ResponderExcluir
  8. Acho que o número de sócios do JEC é menor que o número de frequentadores do JECmania hehehe

    Você falou tudo, o mínimo de vontade da diretoria certamente resolveria a questão. Mas vamos ter que esperar gente nova assumir o JEC. Essa nossa atual diretoria, apesar do esforço em montar times competitivos, peca pela falta de visão em vários departamentos.

    Li essa semana o Glória e Fracasso, do Alexandre Perger. Leitura boa, poucas horas você lê e já tem um bom conhecimento da história do JEC. Eu recomendo.

    ResponderExcluir
  9. Bom post do Fronzi falando do Criciuma do ano passado, que viveu no catarinense situação semelhante a que o Joinville está passando agora. Por que não aparece alguém estilo Angeloni pra salvar o JEC?

    ResponderExcluir
  10. Parabéns, Jequeano. Suas ponderações são perfeitas e colocam as coisas de uma maneira simples e efetiva, como tem mesmo que ser. Não é preciso re-inventar a roda.

    Se a diretoria ler e se dispuser a seguir essa linha, algo vai mudar. Confesso que a minha esperança é bem pequena. Se não conseguem modernizar a administração nem do "core business" que é o futebol, imagina na comunicação e serviços aos sócios...

    Você citou que a maior comunicação que o JEC tem com seu torcedor é o serviço de alto-falantes da Arena, do nosso indefectível Weber. Não é que é pouco. É muito pior que isso. O JEC em campo e o serviço fica fazendo propaganda dos concorrentes ("Patrocinador XXX informa: pelo campeonato carioca, Flamengo 1, Vasco da Gama 0"). Pra repetir a tua expressão e complementar com uma adjetivação igualmente impublicável: VTNC, FDUP. Vai ser burro assim na PQP. Se não tem resultado de jogo que interessa ao JEC e seus torcedores (e não a torcedores de outros times que vão ver o JEC por falta de opção), que cale boca. Mas parece que o Weber tem um contrato que lhe dá direito de falar o que quiser. É muita estupidez pra eu ficar quieto. Sugiro que toda a torcida vaie quando der resultado de jogo que não seja do campeonato do qual o JEC esteja participando. Eu já faço isso. Seja que resultado for. VAIA NELES!!!

    Tenho uma observação, sobre a quem se deve considerar torcedor. Acho que torcedor do JEC é aquele que, mesmo tendo simpatia por outro clube, torcerá pelo JEC se os dois jogarem um contra o outro. Independentemente se vai ao campo, se acompanha o campeonato, se sabe ou não a escalação, conhece os jogadores. Acho que esta consideração é que deve dimensionar a torcida como um todo. E isso é particularmente importante em SC, onde a maioria das pessoas tem alguma simpatia por algum clube de fora. E este seria o público alvo para angariação de sócios. Continua...

    ResponderExcluir
  11. Sandrão - JOINVILLE24 de fevereiro de 2011 14:27

    mandei email pra alguns amigos.. com o link.

    Se der tudo certo.. chegará nas mãos de pessoas do JEC e da VO2.

    Parabéns pelo post... muito bom !!!!!!!

    ResponderExcluir
  12. ... continuando...

    Uma continha rápida. População do RS (potencial de torcida do Internacional) = 10,7 milhões, destes 1,41 milhão em Porto Alegre. Alguns levantamentos na Internet mostram que o Inter conta com 109 mil sócios. Digamos que 5000 estejam fora do RS (chute meu). O Inter divulgou em 2008 que sócios do Inter na capital perfaziam aproximadamente 2% da população desta. Admitamos que tenha tido um aumento de 10%, para 2,2%. Isso dá 31 mil sócios na capital. O restante do RS tem 9,29 milhões de habitantes, entre os quais 73 mil seriam sócios do Inter, ou 0,79% (a meta do clube era 1%, pelo visto não alcançada).

    Transportando para a realidade do JEC.

    1) O Inter tem no Grêmio um concorrente local que tem a mesma importância. Se o JEC não tem concorrente local, digamos que os interessados locais em clubes de fora façam o papel de "torcida adversária". Portanto se o JEC chegar ao mesmo porcentual (2,2%) da população de Joinville, estará fazendo um papel semelhante ao que o Inter tem em POA. Isso dá um total de 11,3 mil sócios.

    2) A área de potencial influência do JEC é o norte de SC. População de 1,255 milhões, 515 mil em Joinville e 740 mil em outros municípios. Como sabemos que o potencial de torcida do JEC nesse universo não chega perto do que o Inter tem em todo o RS, digamos que se poderia chegar a 1/3 do que tem o Inter no interior do RS: 0,26% ou 2 mil sócios. É ousado. Quem viria a Joinville para assistir o time ser goleado pelo Metropolitano?

    3) Isso dá uma meta de 13,3 mil sócios para serem atingidos em uma campanha semelhante à que o Inter fez para seu centenário. Convenhamos que o JEC não está tão longe disso. Mas tem que trabalhar para chegar lá. E não ficar esperando que os sócios caiam do céu. A arrecadação mensal com sócios seria de aproximadamente R$ 580 mil, considerando uma inadimplência igual à citada para o Inter.

    4) Com esse orçamento e mais os patrocínios (outro post para este assunto, Jequeano?) dá para montar um time para subir pra a série B já em 2011. Conseguido isso, a meta para sócios até 2013 ou 2014 pode ser tranquilamente aumentada em 50%, chegando a 20 mil. Aí a arrecadação com sócios chegaria a quase 900 mil. Os patrocínios também subiriam consideravelmente, assim como outras arrecadações, direitos de transmissão para TV incluídos. Não é difícil pensar em série A...

    Mas tem condicionantes:

    > mudar o comando do futebol, pois acho que quem está lá já mostrou que com ele(s) o time não vai a lugar algum. Chega de passar vergonha. Do jeito que vem jogando, temos que torcer para não cair pra D do ano que vem. Menos mal que não precisaremos disputar vaga. Senão não fosse assim...

    > deixar as reformas da Arena para mais tarde, apesar do mal que isso já fez e faz para a imagem do clube.

    Ah... só para lembrar, em 2011 o JEC é o 27º em arrecadação na Timemania

    (http://www1.caixa.gov.br/loterias/loterias/timemania/colocacao_acumulado_2011.asp).

    E já que falamos no assunto, uma campanha de todos para que os torcedores apostem no JEC não faria mal nenhum. Silêncio total no Bucarein, nas redações e nos estúdios da cidade...

    ResponderExcluir
  13. Ah pessoal voces acham que o Marcio e o Nereu não sabem disso.
    Eles são empresários bem sucedidos aqui na cidade com certeza conhecem o formula do sucesso.
    As coisas ja melhoraram bastante, temos uma loja, estão arrumando o CT, contrataram um intendido de futebol, e agora uma empresa especializada em marketing.
    Mas no futebol o que divulga um time tráz investimentos e consequentemente lucro é o resultado, e é esse o nosso problema.

    ResponderExcluir
  14. Bom dia.

    Realmente este post merecia ser longo. Falaste tudo. É impressionando como ações simples e pouco custosas podem alavancar um crescimento exponencial deste clube. O problema é que da forma que nosso estatuto está disposto hoje, para tomar uma ação, esta além de ser interessante ao clube também tem que ser interessante para as pessoas que estão envolvidas, pois como eles mesmos dizem são abnegados.

    Mas também falta algo, aí uso uma frase do meu amigo Thales: Falta sangue no olho!

    Mais uma vez parabéns pelo post. Excelente, tem até a foto da Feiticeira ehuehae.

    ResponderExcluir
  15. Leonardo, concordo com você de que algumas coisas melhoraram. O que não quer dizer que não existam muitas mais para melhorar mais ainda.

    Temos que nos espelhar em quem está acima de nós, e não no que fomos (ainda piores) no passado ou em quem está abaixo de nós.

    Outro dia, ao chegar para um jogo nas arquibancadas cobertas, pedi licença e comentei com um dos caras que teve que se espremer para que eu pudesse passar: "é o que dá botar cadeira de ônibus ao invés de assentos próprios para estádios". Pensava eu no espaço inútil ocupado pela estrutura das cadeiras da Arena, além de serem desconfortáveis. Podem ser as melhores do mundo para ônibus, mas não foram feitas para estádios.

    Para minha surpresa, o meu "vizinho de sofrimento" me perguntou: "já foste no Augusto Bauer? Lá é que é bom, né?". Confesso que demorei para entender o que ele queria. Citei aqueles assentos tipo trator (sem encosto) que tem nas cobertas do velho estádio do Carlos Renaux. Mas ele me corrigiu, dizendo que se referia às descobertas, atrás do gol de fundos, que são bem mais desconfortáveis, com certeza. Ou seja: como tem coisa pior, não vou me preocupar de corrigir o que está ruim. Quase apanhei quando disse que eu preferia comparar com a Arena do Atlético Paranaense.

    É claro que esta foi só a opinião de um torcedor. Mas serve para ilustrar o comportamento de quem pensa pequeno. Comparar-se só a quem está pior só consegue nos levar à (ou nos manter na) mediocridade.

    Volto ao exemplo do Inter. Em 2003 o clube tinha 7 mil sócios. Projetou chegar a 20 mil em 2006 e hoje tem quase 110 mil. Se tivessem pensado "estamos melhor que o JEC, que tem 3 mil sócios", continuariam com aqueles 7 mil, estariam na série B (ou C, quem sabe) e seriam motivo de chacota para os gremistas. Como hoje somos motivo de chacota para todas as torcidas de SC.

    O primeiro passo para ser grande é pensar grande. Enquanto estivermos satisfeitos com a mediocridade, ali ficaremos. Como os outros crescem, acabamos ficando cada vez mais para trás. É esse o filme a que assitimos hoje no JEC. No time em campo, na Arena, no CT, no númeor de sócios...

    ResponderExcluir
  16. Jequeano, as idéias são pertinentes e acessíveis. Aproveito o ensejo e compartilho com todos aqui um documento criado por um torcedor do Grêmio e que foi entregue em mãos pelo mesmo ao presidente daquele clube: http://www.scribd.com/doc/31826454/PROJETO-PARA-AMPLIACAO-RAPIDA-DO-QUADRO-SOCIAL-DO-GREMIO-Versao-Final

    ResponderExcluir
  17. Srs., enviei o link do blog e este arquivo dos gremistas ao Luisão da VO2, ele já me respondeu e agradeceu pelas sugestões. Vamos aguardar.

    É isso que me motiva a torcer cada vez mais pelo JEC, estar próximo do clube e contribuir para o seu crescimento, o JEC pode ser do tamanho que nós quisermos, mas para isso é necessário muito esforço e trabalho.

    ResponderExcluir
  18. Obrigado pelos comentários e pelo acesso expressivo nestes últimos dias. Tentarei fazer breves considerações sobre os comentaristas que deixei sem resposta, para amanhã tratar de nosso novo (sim, é outro time o do segundo turno) time. Valeu!

    Thales, arquivei o projeto do grêmio para lê-lo com mais tempo, é bem extenso, mas que bom que já o fizeste aos marqueteiros do JEC.

    Mário: uma campanha séria da Timemania é uma coisa que sempre considerei; nunca entendi o imobilismo do Tricolor nesses aspecto.
    Acho que temos pouco potencial associativo em qualquer lugar além de Joinville. Quanto à comunicação do JEC, tens razão, além de ser inexistente, é na verdade contraproducente ao ficar anunciando gols de terceiros.
    Quanto à diretoria - e como consta do blog, não tenho com ela nenhum vínculo - não tenho opinião formada sobre a sua mudança. Dê uma olhada no quadro de conselheiros, no site do JEC. Quem lá mudaria o estado de coisas que hoje temos?
    Vou pensar em algo sobre os patrocínios.

    Leonardo: Nereu e Márcio são empresários de sucesso, mas na advocacia/contabilidade e britagem/pavimentação. Advogado não pode sequer anunciar, e a empresa do Márcio vive de contratos públicos. Não é absolutamente certo que eles entendam de marqueting, e especialmente do esportivo.

    Sandro, obrigado por repassar o post adiante, via email. Torçamos para que cheguem às pessoas certas e que sirva para que eles procurem uma forma - não precisar ser essa que aqui discutimos - de melhorar a relação sócio-clube.

    Cristiano: é urgente que cresçamos rápido, para chegar perto de Avaí e FIG logo. Com a grana que a TV anda ameaçando dar para os times da série A, é capaz de logo abrir um abismo insuperável entre esses e os outros clubes.

    Emérson: o JECMANIA não tá assim tão fodão, mas são uns 200 acessos por dia, graças a voces.
    Ainda não li o livro. Tem na toca?
    Quanto Angeloni, conheço um conselheiro do Tigre, e ano passado o Antenor botava 300 paus por mês no clube, além de ter pago a dívida. Em compensação ele quer transformar o time praticamente em seu, arcando com prejuízos e embolsando eventuais lucros.

    Dácio:concordo, as desculpas são sempre as mesmas, concordo, e ninguém mais agüenta. Mas não tenho certeza absoluta de que nossa diretoria esteja pensando na série C, prioritariamente. Vejam esse pacotão de contratações e várias dispensas. Será que no fim do segundo turno, se tudo der errado, não vamos, mais uma vez, recomeçar do zero para ter que decidir tudo em 60 dias (prazo para início da série C?).

    Alisson: eu também fiquei muito surpreso com a engenhosidade colorada - não contratou ninguém para dar o primeiro passo, usou a torcida para pesquisar - e com os dados na mão, soube ir adiante.

    Acho que respondi a todo mundo. Ab, ST. Amanhã ou segunda, trato de nossas dispensas e novo time que está sendo armado.

    ResponderExcluir
  19. Comprei o livro na Midas, 10 paus.

    ResponderExcluir
  20. Concordo com você de que o potencial de sócios fora de Joinville é pequeno. Até por isso já coloquei números modestos - 0,26% contra 2.2% - em relação à população. Poderiam ser ainda menores, como 0,2%. Esses sócios teriam mensalidades reduzida, para atrair mais gente, mas teriam igualmente acesso (gratuito ou com o pagamento de valores pequenos) nos dias de jogos.

    A estratégia do Inter em relação a sócios fora de Porto Alegre tem por objetivo a manutenção do nome do nome do clube em todo o estado, no caso deles. É o chamado marketing institucional. Que dá um retorno financeiro pequeno mas é importante para a imagem do clube. mesmo que não dê retorno, tem que ser encarado como investimento em marketing. Vale lembrar que em número de sócios do Inter, o interior do RS é amplamente majoritário (algo como 78 mil contra 31 mil em Porto Alegre). Em arrecadação não sei.

    No caso do JEC, penso que só com joinvilenses que moram nessas cidades e também em outras regiões de SC é possível atingir essa marca. Algo entre 1500 e 2000 pessoas. Mas tem que haver estratégia para atingí-los.

    Não há como se iludir de que isso possa ser conseguido na situação atual, com o time nesse marasmo. Acho que se, por milagre, o JEC conseguir a vaga para a série B neste ano, já é possível pensar em algo maior para 2012.

    O primeiro passo está demorando: um time com jeito de vencedor. Com pegada de vencedor. Sem isso, tudo o mais fica muito mais difícil.

    Com isso, muita gente vai resgatar algo que as frustrações sucessivas estão conseguindo acabar: o orgulho de torcer pelo JEC. Qual o joinvilense morando fora de Joinville que não se sentirá orgulhoso de dar R$ 10 ou R$ 15 por mês para o clube, se o time for vencedor, motivo de orgulho?

    Eu sou um que pago mensalidade apesar de morar fora. E vou a quase todos os jogos na Arena, apesar dos gastos com combustível. Mas não deve haver 2 mil loucos como eu por aí...

    ResponderExcluir
  21. Dificilmente, Mário, haverá 2 mil como você. Mas sem dúvida, já morei no interior do RS, e muita gente tem paga a mensalidade de sócio-interior. Em Joinville, um colega de trabalho paga a mensalidade - acho que 30 pilas, e vai, no máximo, a um ou dois jogos do Inter por ano.
    Mas volto a frisar: sem conhecimento da trocida potencial, ficaremos como estamos agora, conjecturando sobre base nenhuma, fazendo cálculos sobre o que não conhecemos. Ab, ST.

    ResponderExcluir
  22. Falando da decisão do 1 turno, deu Tigre e nosso estimado brócolis morreu na praia"literalmente", praia do ingleses, joaquina ou qualquer uma destas...
    Vamos ver se conseguimos o returno, para protagonizarmos o maior clássico de S.C....Joinville x Criciuma...
    Abraço.

    ResponderExcluir
  23. Cristiano. Acho até pior. Agora será obrigação vencer Avaí e Figueira em casa no segundo turno se quisermos ter alguma chance (teremos que fazer 12 pts em casa), e ainda será necessário fazer alguns resultados contra Brusque, CRI, Metrô, Marcílio e Chape fora. Ab, ST

    ResponderExcluir
  24. Nem sei se isso foi bom. Agora, no returno, vamos pegar um Avaí embalado e um Figueirense mordido. A vitória do Trigue foi legal só por ter evitado o "crássico de Flonópixx" na final.

    ResponderExcluir
  25. Nas contas sobre os torcedores do JEC em Joinville e região é interessante já cogitar um percentual de torcedores do Caxias. Ano passado eles sempre tiveram um bom público no velho ernestão. O Jequeano comentou num post passado que não acha saudável termos dois times na cidade. Eu penso o contrário. Me parece que a rivalidade dentro da cidade só faz aumentar as torcidas. Havendo duas possibilidades dentro de Joinville isso fará com que toda a população venha a tomar partido entre um e outro time, mesmo não sendo torcedores fervorosos e fanáticos (trata-se de um achismo, eu sei). Além do mais, é possível vislumbrar Caxias e JEC administrando a Arena em conjunto e quem sabe se mobilizando para terminar a bendita obra.

    ResponderExcluir
  26. Eu sigo o pensamento do Jonas. Também acho que uma rivalidade, se bem cultivada, pode trazer bons frutos ao futebol da cidade. Todos nós sabemos que o JEC não desperta a simpatia de todo mundo. Tem muita gente de Joinville que - pasmem - seca o JEC ou adora vê-lo perder só pra depois falar: Eu sabia que esse time não ia pra frente. Eu prefiro que essa parcela torça pro Caxias e fomente uma rivalidade na cidade, do que secar de graça, sem contribuir com nada. Sem falar que os inimigos estariam fardados, saberíamos quem são hehehe. A questão da ARENA também é de se pensar, embora este seja um problema mais complexo.

    ResponderExcluir
  27. JONAS E EMERSON:
    Eu realmente não tenho certeza de que o Caxias sirva para melhorar o JEC. Ninguém dá um patrocínio decente para o Tricolor. Vejam hoje no AN o A.Angeloni falando dos patrocínios do Tigre - que só existem por causa do Angeloni: tiram mais de 415 mil de patrocínio. Nós mal e mal tiramos 100 mil.

    Vai ter dinheiro para mais um time nessa terra de pãos-duros filhos da puta?

    Já tivemos o Caxias jogando na 1ªa divisão, no primeiro ou segundo jogo há algum interesse, depois acho que esmorece.
    Essa rivalidade, é bem verdade, funciona em Porto Alegre ou Belo Horizonte. Mas vejam Campinas, por exemplo, onde Guarani e Ponte Preta andam mal, há muitos anos. E é uma cidade maior e mais rica do que Joinville.

    Agora, se o Caxias vender o Ernesto Schlemm Sobrinho, e vier para a Arena ajudar a conservá-la e for mais uma força de pressão para que o estádio seja terminado, seria uma boa.
    Ab, ST

    ResponderExcluir
  28. Eu também penso na questão da falta de apoio ($$$$). Mas qual a razão de não apoiarem? É só por que não querem? Já vimos patrocinador forte (Consul) investir no Joinville e os cabeções do clube não levaram a sério o apoio e fizeram um monte de caca. Nem um time decente pra série B montaram naquele ano. Penso que os potenciais apoiadores talvez tenham receio de patrocinar o clube e depois perceberem que investiram num clube mal gerido. Ou talvez (estou apenas conjecturando) o Joinville não vá atrás da coisa. Esperar que os caras apareçam na ARENA dizendo: 'queremos patrocinar o JEC" não é uma estratégia interessante. Lembrando: JEC é JEC, Caxias é caxias. Nós não sabemos ao certo como eles estão se preparando para "A Elite II - o retorno". Pelo menos no plano das ideais eles sonham alto: construir um novo estádio, estar pelo menos na série B no ano do centenário, etc. Saber onde se quer chegar já é um importante passo. Aguardemos o desenrolar da novela hehehe

    ResponderExcluir