NASCEU CAMPEÃO

Tu és a glória dos teus fundadores

26 de set de 2012

JEC 3x0. BOA NOITE, E BOA SORTE

Um placar que só foi construído dessa forma pelas circunstâncias em que se deu o jogo. Parafraseando um filósofo qualquer, um jogo é um jogo e suas circunstâncias, e se não fossem elas, poderíamos estar amargando outro resultado. 
E digo que BOA parcela do BOM resultado da noite se deu por uma BOA dose de sorte.  

Num primeiro tempo amarradíssimo, nosso time teve quase nada de profundidade no ataque, e quase nada fizemos. Lima perdeu um gol sozinho à frente do goleiro, mas Vanger, igualmente, perdeu chance claríssima à frente de Ivan, que fechou bem o ângulo do chute, nos salvando.
Na única chance do BOA em todo o jogo, eles poderiam ter aberto o placar. Circunstâncias, circunstâncias...
É bem verdade que Péricles Bassols fez uma arbitragem horrorosa na primeira etapa (deixou de dar um pênalti claríssimo sobre Ricardinho), e foi o principal alvo dos gritos de nossa torcida que, corretamente, pressionou bastante a arbitragem. E todo mundo viu que essa pressão deu resultado, pois no segundo tempo o apitador voltou pianinho, bem diferente e bem melhor. 
Nossas reclamações nos últimos dois jogos em casa parecem ter surtido algum efeito. Não perdemos ponto por causa do apito - o que já é alguma coisa.

Mais uma BOA dose de sorte veio ainda na primeira etapa, com a expulsão do volante "cabeça de cotonete" Olívio, do BOA, que vinha fazendo uma partida muito boa na contenção. 
Digo que houve sorte porque o primeiro cartão amarelo que Olívio sofreu foi numa falta em que ele sofreu de Eduardo, e num disse-me-disse, levou cartão de graça, e sem merecer. Aí, ao dar uma entrada imprudente sobre Leandro Carvalho, aos 45' da primeira etapa, foi expulso ao tomar o segundo cartão amarelo, este sim, merecido. Essa expulsão nos deu a chance de recomeçar o jogo na segunda etapa, com um a mais, e podendo mudar a sorte de um jogo em que quase nada acontecia. 

A SUBSTITUIÇÃO E A SEGUNDA ETAPA: 
A troca que LC fez não merece tantos méritos assim, penso eu. 
Primeiro, que se não tivesse posto o time ao ataque, com um a mais em campo, seria um rematado de um cagão. 
Era óbvio que Carlos Alberto seria o jogador a sair, não por ter ido mal, mas porque Marcinho já fora testado e tem sabido jogar pela esquerda - prova disso é que o cruzamento para o primeiro gol foi do LATERAL ESQUERDO Marcinho - e era evidente que este iria recuar para colocarmos mais um atacante. 
A entrada de Adailton, pela conformação do banco, era a única possível. Não estavam entre os suplentes nem Vanderlei, nem Jailton, para mim numa clara demonstração de que o banco não foi bem montado por nosso técnico, e provando mais uma vez que essa era a inafastável e óbvia mudança possível. 
Adailton batendo um papo com seu amigo Forrest.
E aí, com uma só opção (as outras não existiam por escolha do Leandro Campos) minimamente inteligente de alteração, LC deu uma SORTE desgraçada porque Adailton (que em jogos anteriores vinha entrando mal, jogando pouco, atrapalhando-se com a bola) entrou, fez dois gols, deu uma assistência, enfim, matou a pau num jogo em que tínhamos um a mais em campo, só deu JEC na segunda etapa, pressionamos todos os 45 minutos finais. Circunstâncias. 3 a 0 e fim. 

Para encerrar. Willian vem jogando muito bem, cada vez melhor, distribuindo o jogo, chutando bem de fora da área. Ramon volta a ser uma opção, pois Ricardinho em certos (muitos) momentos irrita, e a substituição deste por aquele, pra lá da metade do segundo tempo, é boa ideia. Marcinho cresceu muito, inclusive fisicamente, e ontem deu mais uma assistência. Jussani e Maurício parece ser a zaga titular até o final do certame. Jailton não pode ficar fora do banco. 

Demos os dois primeiros passos largos dos seis esperados. Sexta sábado temos compromissos sérios demais: secar. 
E, depois, daqui a 10 dias, enfrentar o agora vice-lanterna Barueri na casa deles, e vencer. E não me venha o técnico jogar pra não perder, com um discursinho ensaiado de que o Barueri venceu o América-MG, e que precisamos ser cautelosos, e etc, etc. Jogar para vencer, e não pra não perder. O empate não nos serve. 
Ontem foi "Boa noite, e boa sorte". AVANTE, JEC!

Ficha técnica: JEC 3 x 0 Boa Esporte, Arena, 25.09.2012, 7677 pagantes

JEC: Ivan; Eduardo, Diego Jussani, Maurício e Carlos Alberto (Adailton); Leandro Carvalho, Glaydson, Ricardinho (Ramon), William e Marcinho; Lima (Jean Carlos).
T: Leandro Campos.

BOA: Wilson Júnior; Robert, Carciano (Rafael Goiano), Neylor e Neilson; Olívio, Alan, Ruan e Francismar (Tiago Azulão); Vanger e Siloé (Petros). T: Sidney Moraes 
Gols: Adailton, aos 17 e aos 19 e Willian aos 46/2º tempo (Joinville).

4 comentários:

  1. Jequeano, o que está dificil é um lateral esquerdo preparado, todos estão machucados, o Tarcisio que vinha bem esta voltando aos poucos, acho que na meia direita devia jogar o Jailton, fazendo assim tabela com o Eduardo.

    No mais, Sds Tricolores

    ResponderExcluir
  2. Jogando bem, mal, merecendo, na raça ou com sorte, não interessa. Faltam 6 vitórias em 11 jogos

    ResponderExcluir
  3. Dácio, eu pensei que após o intervalo a primeira mudança seria o Jailton, mas aí vi os jogadores aquecendo e me surpreendi. Não estava no banco.
    Agora há dez dias para Tarcísio, Romano e Alvim se recuperarem.

    Alexandre, a verdade é que não importa como, temos é de subir. Acho que não deixei claro que houve sorte, mas de fato, jogamos muito bem no segundo tempo.
    Ab, ST

    ResponderExcluir
  4. Aquele babaca com o laser, foi denunciado pela torcida e detido pela policia.
    Se fosse na minha frente eu dava era uma camassada de pau

    ResponderExcluir