NASCEU CAMPEÃO

Tu és a glória dos teus fundadores

11 de jun de 2012

ONDE ESTÁ WALLY(SON TOVAR)? O MARKETING DO JEC!

Depois do feriado (em que quase ninguém lê o blog mesmo), é tempo de voltar a escrever. 
É chegada a hora de tentar fazer um pequeno balanço do - é verdade, recente - trabalho de Allison Tovar à frente da gerência de marketing do Tricolor. 
Alisson tem de mostrar a cara, e imagino que 
precise de grana para isso.
Não se vê muita coisa, ainda.


Já se sabe, e é até chato ficar repetindo, que o GRANDE PATROCINADOR DO JEC É A TORCIDA, ou para ser mais exato, os sócios.  Hoje anda se falando em 8.200 sócios, que rendem ao Clube 340 ou 350 mil reais por mês. 


E digo mais: como escrevi outra vez, a torcida pagante de ingresso varia muito - portanto é receita com a qual não se pode contar de antemão - e nesses três primeiros jogos em casa, não conseguimos arrecadar, somando tudo, cem mil reais líquidos (o jogo contra o ASA, por exemplo, deu prejuízo, olhando o borderô sem fazer muitos cálculos, de 11 mil reais). Depender desse público variável não dá, e isso que estamos bem pra cacete na tabela.  
Então, o caminho mais lógico, é arrecadar novos sócios, mas é necessária uma CAMPANHA CONSISTENTE para isso. Não dá para esperar apenas a lei da gravidade - ou seja, apenas apanhar os sócios que espontaneamente vêm ao clube - para aumentar o número de torcedores fieis e, via de conseqüência, as receitas. E se for verdade, como se diz, que Alisson participou do aumento do número de associados do time cujo placar de sócios está na imagem aí abaixo, estamos desperdiçando know-how da matéria, por inércia.


Abro parênteses para o que vi de melhora:
Parece-me claro que o site já melhorou. Muito mais informações, e estas mais detalhadas; a possibilidade de filiação/associação pelo próprio sítio eletrônico (ótima novidade); lembretes sobre apostas na TIMEMANIA; o clube também está mais atuante no twitter. Mas como disse, isso é pouco, pois quem vê o site, segue o clube no twitter, etc.,  já é um convertido, não precisa de incentivo para ir ao campo ou torcer para o JEC. Precisamos de canais de comunicação e aproximação com quem não tem uma relação (ainda) tão próxima com o clube.
Mesmo nisso que estamos bem, ainda dá pra melhorar. Olhem o site de nosso adversário de Série B, e verão coisas simples no banner do blog: links para facebook, twitter, orkut, youtube, e, mais importante, ao menos para mim, o "PLACAR DOS SÓCIOS". Transparência para a torcida ver que o quadro associativo cresce, que o time está querendo ir adiante. 
Mas o fato é que apenas essas mudanças "internéticas" foi o que vi acontecer até agora. Não duvido que faltem recursos para Alisson incrementar o marketing, até aposto que o Clube ainda não dê muita importância a isso. 
Vamos pensar o seguinte: ao ler o borderô de qualquer jogo, vê-se 5% da receita bruta vai para a Federação, 5% para o INSS, 1% para a Associação dos Cronistas Esportivos (???).  Não dá destinar uma pequena parcela - fixa -  da renda para o marketing ter verba, investir em TI, divulgar os jogos, espalhar outdoors, imprimir alguns folhetos para distribuição aos não-sócios na Arena em jogos maiores, entre várias outras medidas simples e possivelmente efetivas?
Quinhentos novos sócios representariam, grosso modo, 20 mil a mais por mês em nossos cofres. Será que um investimento de marketing de 20 ou 40 mil não se pagaria rapidamente? 
Esses dez dias em que estivemos parados, dentro da zona de acesso ou ali, na beirada, não poderiam ter sido utilizados para uma maciça campanha de associação, ainda mais às vésperas de um jogo contra um time de expressão, como é o Ceará (e já foram o Atlético-PR e o Guarani, sem que nada fizéssemos)?


A meta dos 10 mil sócios foi estabelecida em out.2009 (dois anos e meio, portanto), e até agora não alcançamos esse objetivo. Ou houve erro de planejamento, ou erro de execução do planejado (ou almejado). Fico com a última alternativa.


Não tô aqui cornetando o Tovar, mas querendo saber se sua contratação terá efeitos concretos. O MV, que está deixando o Clube - e ele terá, no momento devido, a homenagem merecida, pois olhando em retrospectiva seus quatro anos à frente do JEC foram bastante vitoriosos - apresentará como último ato a obra do CT pronta; poderia ainda ter mais esse gesto de comando e visão e tentar, nesses 30 ou 60 dias que lhe restam, com uma campanhazinha bem feita, deixar o clube com os 10 mil associados que se imaginou há quase três anos. Esse seria outro feito para a história. 


Falar de futebol mesmo, só mais adiante. O Ceará venceu a primeira (4 a 2 contra o CRB), e virá a Joinville mais empolgado do que se esperava. Nosso time afinou a preparação física durante a semana passada, e agora tem de azeitar o time para o confronto com o Ceará. 
Teremos a volta de Ricardinho, a escalação de um segundo atacante (ao que tudo indica), e a resposta à dúvida sobre o substituto de Maurício (Linno ou Jussani). LC tem cinco dias para o ajuste fino. Uma vitória no sábado (e com pelo menos 13 ou 14 mil na Arena, porque parece que não vai chover) nos levará a incríveis 13 pontos em 6 jogos. Basta comparar com nossa última campanha na Série B, em 2004, quando em 23 jogos fizemos apenas 18 pontos, para ver quanto evoluímos nesses últimos anos.


AVANTE, JEC. MAS QUEM NÃO SE COMUNICA, SE "TRUMBICA" (que o trabalho de Alisson dê frutos). 

10 comentários:

  1. Mario L. Nascimento11 de junho de 2012 16:38

    O MV tirou o time do fundo do porão para o segundo degrau do futebol brasileiro. E podendo deixar a torcida sonhar com um pulinho para o primeiro. Não é pouca coisa e aquela estátua de que o pessoal sempre fala nessa ocasiões já poderia começar a ser esculpida...

    Com golpes de cabeçadas (técnicos que nada fizeram) e outros de sorte (Arturzinho, que gerou apostas sobre a hora em que iriam brigar), chegou a um ponto digno da trajetória do maior campeão catarinense dos últimos 70 anos. Palmas para o Marcio e seus companheiros de diretoria.

    Mas... (aí é que pega; sempre tem um mas...) tem sido praxe perder oportunidades para aumentar a arrecadação do clube através do aumento do número de sócios. Para lembrar algumas, a decisão da série C, esperado pico de afluência à Arena, re-estréia a série B e o próximo jogo, com o time bem na tabela.

    Dez mil sócios é uma marca não tão difícil assim. E considerando a média do que se arrecada com o sócios e despesas de 10% para administração desse incremento, chegar-se-ia a uns 50 mil reais por mês. Metade do salário do tam meia diferenciado, que não veio e não vem.

    Já fiz conta pra caramba sobre isso, olhando nossos vizinhos. Lá no @MeuJoinville tem algumas dessas brincadeiras: http://meujoinville.net/site/?p=2238.

    Tirei de lá um resuminho: "De uma forma realista, o primeiro desafio deve ser chegar a 2% da população de Joinville mais 1% das demais cidades, o que dá 11.500 sócios. Pode ser o alvo de uma campanha para até o fim de 2012. A meta desafiadora, de médio prazo, é atingir 3% da população da Manchester Catarinense e 1,5% das outras cidades. Seriam 17.200 sócios."

    Não dá pra sonhar com muito mais do que isso. Mas já é o dobro do que tem hoje. Mãos à obra, Alisson!!! E se precisar de ajuda, tem um monte de cornetas dispostos a te ajudar. Convoca uns 10 e escolhe 2. Sem custo, porque, parodiando o hino do América, "a torcida jequeana é mesmo assim, a começar por mim".

    Jequeano, foste traído pelo alfabeto. O Ceará ganhou do ABC. O CRB, que na série C foi traçado pelo JEC lá, traçou o Atlético-PR, que traçou o JEC na Arena no começo do campeonato.

    ResponderExcluir
  2. Sandrão - JOINVILLE11 de junho de 2012 22:28

    Outra coisa simples que daria algum efeito.. e que pra variar o JEC perdeu o bonde, foi no jogo contra o avaí.

    Era só fazer um comercial para passar antes do jogo, no intervalo e após o jogo. Coisa de depoimento de atleta gravado, convocando o torcedor que assistia ao jogo transmitido pela RBS.. a se associar ao tricolor e ajudar o JEC na campanha da série B.

    A RBS vive dizendo que dá apoio aos clubes, e tá com o cú na mão com a Record, tanto que já fizeram até comercial falando dos times catarinenses. Seria facinho negociar um material para inserção nessa transmissão.

    Caralho... será que os torcedores tem que dizer aos manés como trabalhar???

    E mais uma vez... com a palavra o "anonimous" FM!

    SEEEEEENTAAAAA QUE LÁ VEM A HISTÓÓÓÓRIIIAAAAAAAAAA...

    ResponderExcluir
  3. Jequiano, você que é fã incondiciona do alagoano veja o que ele escreveu em sua coluna hoje:

    JOINVILLE - O último jogo do JEC foi na terça passada, na Arena, no dramático 1 a 0 sobre o ASA/AL, e o próximo será neste, também em casa, contra o Ceará. A folga foi boa num aspecto: o treinador Leandro Campos tem dado muita ênfase aos trabalhos táticos e poderá entrosar melhor o zagueiro Maurício que chegou já no Catarinense e nesta partida terá a missão de substituir Linno, suspenso pelo terceiro cartão. O Joinville é quem tem maiores obrigações pelo resultado.

    Realmente o cara conhece o JEC!
    Lambe saco do Angeloni.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todo dia tem pérola. Daria para escrever um livro de pérolas do Alagoano.

      Excluir
  4. Jean, Emerson. Com insônioa, levantei às 5 h e resolvi me irritar logo cedo, lendo o dito-cujo. Vi a pérola, postei no twitter, dizendo que ia voltar a dormir. Quem sabe não fosse só um sonho... Não era.

    Sandro: já falamos tantas vezes desse assunto, em vários posts, bate até um cansaço. Só para exemplo para os que não frequentam o blog há muito tempo, dá pra ler dois dos textos e comentários aqui:

    http://jecmania.blogspot.com.br/2012/01/ha-esperancas-mas-nao-para-nos-parte-ii.html

    http://jecmania.blogspot.com.br/2011/02/o-jec-acha-que-tem-mas-na-verdade-nao.html

    Tá foda. Patinamos.

    Mário, os teus três posts, depois unificados no link que colocaste acima, sobre os "limites" do sócio-torcedor deveriam ser de leitura obrigatória para uns e outros - da diretoria, principalmente.
    E não tenha dúvida que essas sopas de letrinhas (ABC, CRB, ASA, CSA) sempre me confundem. Devo ter algum "lápis" mental que me impede de acertar coisas como essa, bem como de degetar corritaminti o i i o e no computador.
    Ab, ST

    ResponderExcluir
  5. Marcos, o Messias: não posso dizer nada, senão agradecer pelo elogio. O trabalho que tu e os teus fazem por aí é espetacular. Ando esperando que o JEC evolua, e basta ver a evolução que o Santos fez, com um Conselho Consultivo, com grandes gênios opinando no clube, sem remuneração, mas pensando no futebol, mas também em negócio. Quero copiar o que o cara escreveu no "olhar crônico esportivo", do globoesporte, e propor um negócio mais ou menos parecido. Ab, ST

    ResponderExcluir
  6. Sandrão - JOINVILLE14 de junho de 2012 16:57

    Li hoje no AN, que o Nereu vai estinguir algumas diretorias no tricolor, e criar nos respectivos lugares gerências, pois segundo ele, os diretores atuais não se dedicam como deveriam; e os futuros gerentes serão cobrados por resultados. (é o que deu a entender).

    O que me preocupa é que os cargos de gerência são remunerados, e isso certamente onerará a folha de pagamento do tricolor.

    Se contratarem as pessoas certas e pagarem para depois cobrarem resultados, tudo bem. Isso seria um passo a mais para uma profissionalização.

    A pergunta é:

    Se nem o Alisson Tovar conseguiu mostrar serviço ainda, e provavelmente por falta de grana a se investir... de que forma o clube vai suportar um acréscimo na folha de pagamento contratando novos "gerentes"???

    Se for pra ter gerentes que não produzem efetivamente... é melhor pegar esses 5mil/mês (NO MÍNIMO!!!) que cada gerente ganhará de salário, e investir em algo concreto no marketing do clube.

    O que acham???

    Abraços!

    ResponderExcluir
  7. Sandro, não dá ainda pra saber bem o que vai acontecer. O Fontan já é remunerado. O Léo Franco também. Ou seja, o gerente administrativo e o gerente de futebol já recebem. O gerente de marketinte, também. Faltam, de início, a divisão de base (acho que quem está lá (é o Nazareno, ainda) também tem salário; a área médica (Vilela) e a Jurídica (Pugliese), que não sei como são remunerados. Acho que a distância não será tanta assim, talvez seja um pequeno passo para a profissionalização, mas mais do que isso, me parece que Nereu não quer um Diretor de Futebol para ele não perder controle sobre isso.

    ResponderExcluir